Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Psol terá candidatura coletiva à Prefeitura de S.Bernardo

Partido se inspira em bancada conjunta da Assembleia para inovar na corrida ao Paço


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

28/08/2020 | 00:01


O Psol de São Bernardo decidiu inovar na campanha à Prefeitura neste ano e vai apostar em uma candidatura coletiva ao comando do Paço.

Depois de rejeitar aderir à pré-campanha do ex-prefeito Luiz Marinho, nome do PT na corrida eleitoral deste ano em São Bernardo, o Psol aprovou no projeto chamado bancada majoritária.

A inspiração veio da bancada coletiva do partido na Assembleia Legislativa. Em 2018, a legenda apostou na bancada ativista, que uniu nove lideranças da sigla em torno de uma só campanha e obteve 149.844 votos. Mônica Seixas foi quem representou o bloco nas urnas, por exigência legal, mas o mandato é dividido entre os representantes.

Segundo o presidente do Psol em São Bernardo, o ex-vereador Aldo Santos, a ideia é ampliar o diálogo e as perspectivas da legenda junto aos eleitores são-bernardenses. “A política exige novas possibilidades e leituras do mundo. É preciso inovar.”

O Psol participou de três eleições majoritárias em São Bernardo, todas com Aldo à frente da chapa. Em 2008, foram 3.806 votos. Em 2012, 3.596. Há quatro anos, 6.972. Em nenhuma das vezes ficou perto dos protagonistas do pleito.

A discussão interna, depois de aprovação de lançamento de candidatura própria, sem coligação com o PT, caminhava para debate entre militantes. Severino Ramos Félix, professor da rede estadual, apresentou seu nome como pré-candidato a prefeito, mas viu Aldo fazer o mesmo.

Segundo Aldo, hoje à noite haverá reunião para afinar o discurso em torno do mandato coletivo para a Prefeitura. Uma das deliberações, conforme apurou o Diário, é a inclusão de Severino dentro da bancada majoritária. Resta saber quem vai ser a figura do bloco, como determina a legislação eleitoral.

“Não temos nomes nem pré-nomes definidos ainda. Antes de definirmos pela bancada majoritária, várias foram as citações (de pré-candidatos). A Lei Eleitoral está deficitária nesse sentido, por isso precisamos buscar alguém que fará o registro (de prefeito e vice). Mas, para a gente, o debate é mostrar e a condução da campanha é corresponsabilidade coletiva”, emendou o ex-parlamentar. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;