Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Governo federal nega liberação que Atila celebrou nas redes sociais

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

União contesta início de obras de Mobilidade em Mauá; prefeito garante ter obtido aval


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

02/02/2018 | 07:00


O Ministério das Cidades negou ontem que já tenha liberado o início de obras na área de Mobilidade Urbana em Mauá, ao contrário do que divulgou nas redes sociais o prefeito Atila Jacomussi (PSB). O socialista garante ter obtido aval da Pasta.

Na quarta-feira, o socialista esteve em Brasília, em reunião com o ministro Alexandre Baldy, acompanhado do ex-deputado federal e ex-ministro Aldo Rebelo (PSB). Na ocasião, Atila gravou vídeo no qual comemora a garantia da liberação de R$ 33 milhões, em recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Mobilidade, para construção de dois terminais (jardins Itapark e Zaíra), reforma da estação do Itapeva e implantação de corredor de ônibus no Jardim Itapark.

Ao Diário, porém, o Ministério das Cidades informou que a autorização das intervenções ainda está “em processo final de análise” pela Pasta e que, caso aprovado o projeto, os recursos só serão liberados conforme o andamento das obras. Na prática, segundo informou o ministério, a etapa atual não permite sequer que seja aberta licitação para contratação de empresa para tocar as intervenções.

“Assim que emitida a AIO (Autorização de Início de Objeto), os repasses ocorrem conforme o andamento das obras, ou seja, o Ministério das Cidades pagará o que for executado”, contrapôs o governo federal, por meio de nota.

Nas imagens, Atila aparece em frente ao Congresso Nacional festejando a transferência do recurso. “Acabamos de sair do Ministério das Cidades e estamos trazendo na mala a realização de um grande projeto para a cidade. Finalmente, após muitos anos, o PAC Mobilidade vai se tornar realidade em Mauá. Nossa cidade pode comemorar. Mauá sai na frente novamente. É o primeiro PAC Mobilidade aprovado e assinado agora pelo ministro Baldy em toda a Região Metropolitana”, comemorou o prefeito no vídeo, editado com o desenho de um avião e a frase: “Mauá ganha a maior obra da história”.

Não é a primeira vez em que o prefeito de Mauá anuncia a transferência de recursos provenientes do governo federal após visitas a Brasília mesmo sem a garantia real de que o recurso será aportado. Em abril do ano passado, Atila celebrou a liberação dos repasses desses mesmos recursos. Na ocasião, o socialista cravou que o então ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB-PE), havia dado o aval para o repasse da verba, o que ainda não ocorreu.

A Prefeitura de Mauá reafirmou que o ministro autorizou o repasse. Segundo o Paço, o chefe da Pasta avalizou o objeto do projeto, que, consequentemente, se tornará a ordem de serviço para o início das obras. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Governo federal nega liberação que Atila celebrou nas redes sociais

União contesta início de obras de Mobilidade em Mauá; prefeito garante ter obtido aval

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

02/02/2018 | 07:00


O Ministério das Cidades negou ontem que já tenha liberado o início de obras na área de Mobilidade Urbana em Mauá, ao contrário do que divulgou nas redes sociais o prefeito Atila Jacomussi (PSB). O socialista garante ter obtido aval da Pasta.

Na quarta-feira, o socialista esteve em Brasília, em reunião com o ministro Alexandre Baldy, acompanhado do ex-deputado federal e ex-ministro Aldo Rebelo (PSB). Na ocasião, Atila gravou vídeo no qual comemora a garantia da liberação de R$ 33 milhões, em recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Mobilidade, para construção de dois terminais (jardins Itapark e Zaíra), reforma da estação do Itapeva e implantação de corredor de ônibus no Jardim Itapark.

Ao Diário, porém, o Ministério das Cidades informou que a autorização das intervenções ainda está “em processo final de análise” pela Pasta e que, caso aprovado o projeto, os recursos só serão liberados conforme o andamento das obras. Na prática, segundo informou o ministério, a etapa atual não permite sequer que seja aberta licitação para contratação de empresa para tocar as intervenções.

“Assim que emitida a AIO (Autorização de Início de Objeto), os repasses ocorrem conforme o andamento das obras, ou seja, o Ministério das Cidades pagará o que for executado”, contrapôs o governo federal, por meio de nota.

Nas imagens, Atila aparece em frente ao Congresso Nacional festejando a transferência do recurso. “Acabamos de sair do Ministério das Cidades e estamos trazendo na mala a realização de um grande projeto para a cidade. Finalmente, após muitos anos, o PAC Mobilidade vai se tornar realidade em Mauá. Nossa cidade pode comemorar. Mauá sai na frente novamente. É o primeiro PAC Mobilidade aprovado e assinado agora pelo ministro Baldy em toda a Região Metropolitana”, comemorou o prefeito no vídeo, editado com o desenho de um avião e a frase: “Mauá ganha a maior obra da história”.

Não é a primeira vez em que o prefeito de Mauá anuncia a transferência de recursos provenientes do governo federal após visitas a Brasília mesmo sem a garantia real de que o recurso será aportado. Em abril do ano passado, Atila celebrou a liberação dos repasses desses mesmos recursos. Na ocasião, o socialista cravou que o então ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB-PE), havia dado o aval para o repasse da verba, o que ainda não ocorreu.

A Prefeitura de Mauá reafirmou que o ministro autorizou o repasse. Segundo o Paço, o chefe da Pasta avalizou o objeto do projeto, que, consequentemente, se tornará a ordem de serviço para o início das obras. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;