Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Projeto que reduz salário de vereadores ganha aliado


Do Diário do Grande ABC

16/02/2017 | 07:00


Projeto de lei que pretende reduzir salários dos vereadores de Ribeirão Pires ganhou apoio declarado do vereador Humberto D’Orto, o Amigão (PTC).

A proposta visa cortar de R$ 10.071,21, salário atual, para R$ 2.298, piso nacional dos professores. A explicação de Professor Amaury Dias (PV), autor do projeto, é que o valor é mais compatível com a realidade da população.

Protocolado há duas semanas por Amaury, o projeto não foi bem aceito pelos parlamentares e causa desconforto nos bastidores da Câmara.

De acordo com o verde, não houve nada muito tenso, por enquanto, tudo ficou na esfera dos debates de ideias.

Apoiador do projeto, Amigão explica que escolheu auxiliar Amaury com a ideia porque pretende deixar um legado positivo ao fim de seu mandato. “Era um projeto que nós conversávamos desde a época de campanha. Tinha muita gente saindo candidato (por causa do salário)”, justificou.

De acordo com Amigão, ele foi indagado por colegas da Casa sobre a possibilidade de doar o próprio salário como alternativa à proposta. “Se eu estiver doando meu salário, não vou resolver nada. A cidade está quebrada, não só a cidade, mas o País”, rebateu.

A pretensão é que, ao fim dos quatro anos de legislatura, sejam economizados R$ 6 milhões com a redução salarial dos vereadores.

Segundo os parlamentares, existe a chance de ambos sofrerem com boicotes. Mas, por enquanto, Amaury afirma que isso não está acontecendo. “Não quero acreditar (que isso acontece). Mas, se eu falar que estão me olhando do mesmo jeito, eu estou mentindo”, contou.

Amigão fala que os ânimos já estão mais exaltados. “Você acaba sentindo isso até pessoalmente. Você leva isso para o lado da saúde, (tendo) transtornos pessoais”, revelou. A expectativa de Professor Amaury é que o projeto seja votado em, no máximo, um mês.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Projeto que reduz salário de vereadores ganha aliado

Do Diário do Grande ABC

16/02/2017 | 07:00


Projeto de lei que pretende reduzir salários dos vereadores de Ribeirão Pires ganhou apoio declarado do vereador Humberto D’Orto, o Amigão (PTC).

A proposta visa cortar de R$ 10.071,21, salário atual, para R$ 2.298, piso nacional dos professores. A explicação de Professor Amaury Dias (PV), autor do projeto, é que o valor é mais compatível com a realidade da população.

Protocolado há duas semanas por Amaury, o projeto não foi bem aceito pelos parlamentares e causa desconforto nos bastidores da Câmara.

De acordo com o verde, não houve nada muito tenso, por enquanto, tudo ficou na esfera dos debates de ideias.

Apoiador do projeto, Amigão explica que escolheu auxiliar Amaury com a ideia porque pretende deixar um legado positivo ao fim de seu mandato. “Era um projeto que nós conversávamos desde a época de campanha. Tinha muita gente saindo candidato (por causa do salário)”, justificou.

De acordo com Amigão, ele foi indagado por colegas da Casa sobre a possibilidade de doar o próprio salário como alternativa à proposta. “Se eu estiver doando meu salário, não vou resolver nada. A cidade está quebrada, não só a cidade, mas o País”, rebateu.

A pretensão é que, ao fim dos quatro anos de legislatura, sejam economizados R$ 6 milhões com a redução salarial dos vereadores.

Segundo os parlamentares, existe a chance de ambos sofrerem com boicotes. Mas, por enquanto, Amaury afirma que isso não está acontecendo. “Não quero acreditar (que isso acontece). Mas, se eu falar que estão me olhando do mesmo jeito, eu estou mentindo”, contou.

Amigão fala que os ânimos já estão mais exaltados. “Você acaba sentindo isso até pessoalmente. Você leva isso para o lado da saúde, (tendo) transtornos pessoais”, revelou. A expectativa de Professor Amaury é que o projeto seja votado em, no máximo, um mês.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;