Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 18 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Presidente do BC da Austrália prevê mais desemprego para o país



13/02/2015 | 05:49


Após a taxa de desemprego da Austrália subir em janeiro para o seu maior nível em mais de 12 anos, a 6,4%, o presidente do banco central australiano (Reserve Bank of Australia, RBA), Glenn Stevens, afirmou nesta quinta-feira que "a tendência é de que a taxa cresça ainda mais, caso a economia não apresente um crescimento mais robusto", em discurso a parlamentares.

O resultado de janeiro surpreendeu o mercado, que esperava uma leve alta para 6,2%, de 6,1% em dezembro do ano passado. A surpresa elevou a expectativa por novos cortes na taxa básica de juros do país. No início do mês, o RBA reduziu a taxa em 0,25 ponto porcentual, para 2,25% ao ano, depois de mais de um ano sem alterações. Agora, espera-se uma nova redução em abril, para o que seria a mínima histórica de 2,0% ao ano.

O último corte do banco central foi realizado em resposta à desaceleração da inflação ao consumidor, que no último trimestre do ano passado registrou alta anualizada de 1,7%, ante aumento de 2,3% no trimestre anterior. A meta do RBA é atingir algo entre 2,0% e 3,0%.

Com o aumento do desemprego, a economia parece precisar de mais estímulos. Em relatório recente, o banco central estimou que a taxa de desemprego pode subir a máximo 6,5% em um horizonte que abrange os próximos dois anos.

Em seu discurso, Stevens declarou que a redução de juros "não é mais uma ferramenta tão eficaz quanto foi no passado". "Há uma década, havia um desejo maior das famílias de tomar emprestado e gastar, o que era um estímulo para a demanda na economia. Hoje, só um canal pode ser pouco eficaz", disse. Com informações da Dow Jones Newswires



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;