Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 28 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

'Bush precisa ter sentimento', diz mãe de soldado morto


Da AFP

26/03/2003 | 02:22


Simona Garibay, mãe do primeiro soldado de origem mexicana morto no Iraque, se pronunciou contra a guerra nesta terça-feira.

"Eu não concordo com a guerra. A meu ver, há outras maneiras de acertar as coisas", declarou a mãe do fuzileiro José Angel Garibay, 21 anos, morto em combate no último fim de semana, no Iraque.

"O presidente (George Bush) precisa ter sentimentos pelas mães como eu, para parar a guerra", afirmou a mãe do fuzileiro, que morava no povoado de Los Tecomales (Estado mexicano de Jalisco).

"Não sei se o ofenderei com o que penso, mas acho que o presidente (Bush) precisa sentir o que está fazendo", acrescentou.

Garibay, soldado da Segunda Brigada Expedicionária de Fuzileiros, baseada em Camp Pendleton (norte de San Diego, na Califórnia), entrou para os Marines em 1999 em busca de oportunidades de estudo, explicou seu tio, Mel Garibay.

"Nós não temos dinheiro. Angel viu que no Exército poderia se preparar e ao mesmo tempo ganhar dinheiro", destacou.

"Em sua última carta me pediu que mandasse pão doce mexicano", conta Simona. "Eu sei que tenho que ser forte para receber o corpo de meu filho. Não sei quando isso vai acontecer. Nada mais me faz seguir adiante, mas, olha, não concordo com a guerra. Não há justificativa."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'Bush precisa ter sentimento', diz mãe de soldado morto

Da AFP

26/03/2003 | 02:22


Simona Garibay, mãe do primeiro soldado de origem mexicana morto no Iraque, se pronunciou contra a guerra nesta terça-feira.

"Eu não concordo com a guerra. A meu ver, há outras maneiras de acertar as coisas", declarou a mãe do fuzileiro José Angel Garibay, 21 anos, morto em combate no último fim de semana, no Iraque.

"O presidente (George Bush) precisa ter sentimentos pelas mães como eu, para parar a guerra", afirmou a mãe do fuzileiro, que morava no povoado de Los Tecomales (Estado mexicano de Jalisco).

"Não sei se o ofenderei com o que penso, mas acho que o presidente (Bush) precisa sentir o que está fazendo", acrescentou.

Garibay, soldado da Segunda Brigada Expedicionária de Fuzileiros, baseada em Camp Pendleton (norte de San Diego, na Califórnia), entrou para os Marines em 1999 em busca de oportunidades de estudo, explicou seu tio, Mel Garibay.

"Nós não temos dinheiro. Angel viu que no Exército poderia se preparar e ao mesmo tempo ganhar dinheiro", destacou.

"Em sua última carta me pediu que mandasse pão doce mexicano", conta Simona. "Eu sei que tenho que ser forte para receber o corpo de meu filho. Não sei quando isso vai acontecer. Nada mais me faz seguir adiante, mas, olha, não concordo com a guerra. Não há justificativa."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;