Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 18 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Queiroga fala em fim do uso de máscaras até dezembro

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ministro da Saúde disse que avanço da vacina vai acabar com o caráter pandêmico da doença


Da Redação
Do Diário do Grande ABC

12/08/2021 | 08:13


O Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou ontem que o avanço da vacinação contra a Covid no País possibilitará o fim do uso de máscaras até o fim deste ano.

“Eu garanto a vocês, em nome do (presidente Jair) Bolsonaro (sem partido), que até o fim do ano toda a população brasileira estará vacinada contra a Covid-19. Poremos fim ao caráter pandêmico dessa doença para tirar de uma vez por todas essas máscaras”, afirmou o ministro.

O chefe da pasta esteve na inauguração de uma UBS (Unidade Básica de Saúde) em Paranoá, em Brasília, e subiu o tom contra opositores ao governo do presidente, dizendo ainda que o ato de tirar máscaras irá “desmascarar aqueles que, mesmo que nunca tenham usado máscaras, precisam ser desmascarados”.

Depois da declaração polêmica, Queiroga explicou que qualquer flexibilização levaria em conta o cenário atual. “Depende não só do percentual da população vacinada, mas também do momento da pandemia. Se você tem uma situação como hoje sinaliza para uma redução de casos e óbitos, e a gente avança na campanha de vacinação, é possível já flexibilizar o uso de máscaras, como aconteceu nos outros países”, comentou.</CW>

O chefe da pasta afirmou ainda que 70% da população brasileira com mais de 18 anos recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid, além de que, mais de 30% teriam sido imunizados com as duas aplicações. Queiroga pontuou ainda que o Brasil está próximo de chegar à distribuição de mais de 200 milhões de doses de vacinas. Conforme o painel de informações sobre a campanha de vacinação, das 184,8 milhões de doses que foram enviadas aos Estados, 155,4 milhões já foram aplicadas na população.

Queiroga defendeu ainda a gestão do ministério e apontou ações como a compra das vacinas e o repasse de recursos. “O Ministério da Saúde adotou uma estratégia diversificada de aquisição de vacinas, com a participação do consórcio Covax Facility, o acordo entre a Fundação Oswaldo Cruz e a Astrazeneca e as compras de doses da Pfizer, Janssen e da Coronavac, do Instituto Butantan”, finalizou o ministro.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;