Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Câmara libera Santo André a usar fundos para comprar vacina contra Covid

Banco de Dados/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Projeto é aprovado em primeira discussão, que permite Prefeitura a aportar R$ 85 mi para adquirir imunizante; segunda votação acontece na quinta


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

02/03/2021 | 17:59


A Câmara de Santo André aprovou projeto do prefeito Paulo Serra (PSDB) que prevê liberação de recursos de 13 fundos municipais para a compra de vacinas contra a Covid-19. Dezesseis vereadores foram favoráveis à propositura e apenas um parlamentar – Ricardo Alvarez (Psol) – se absteve.

Conforme o projeto apresentado pelo tucano, a intenção da administração é transferir 100% do superavit financeiro de 13 fundos municipais apurado no encerramento de 2020 para o Tesouro Municipal com objetivo de adquirir os imunizantes. A movimentação financeira envolve R$ 85 milhões. A propositura precisa passar por segunda votação, agendada para esta quinta-feira (4).

O texto exige que a verba seja devolvida em 36 meses. O projeto também impede que o dinheiro seja empregado para outras finalidades.

Vereador e líder de governo na Câmara, Professor Jobert Minhoca (PSDB) afirmou que o montante arrecadado pelo Executivo possibilitaria a compra de cerca de 580 mil doses de imunizantes. “Tenho certeza que este projeto poderá ser copiado por outros municípios, dada sua importância. Na próxima sessão, os vereadores deverão aprovar a matéria em segunda votação”, declarou Minhoca.

O líder de governo sustenta que, assim que o dinheiro entrar no Tesouro Municipal, o Executivo já buscará negociar com os laboratórios que tenham vacina aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). “Com dinheiro em caixa fica mais fácil negociar com os laboratórios. E aquele (laboratório) que demonstrar interesse e preencher os requisitos, poderá participar das negociações”, argumentou o tucano.

A gestão de Paulo Serra se baliza em recente entendimento do STF (Supremo Tribunal Federal), que liberou a compra de vacinas por parte de Estados e municípios caso o governo federal não cumpra as diretrizes do PNI (Plano Nacional de Imunização) ou se as doses disponibilizadas a uma determinada região não contemplar a população.

A Prefeitura estima poder vacinar 400 mil moradores, número que se aproximaria dos 70% de imunização coletiva, percentual considerado por especialistas como ideal para frear a disseminação do vírus. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Câmara libera Santo André a usar fundos para comprar vacina contra Covid

Projeto é aprovado em primeira discussão, que permite Prefeitura a aportar R$ 85 mi para adquirir imunizante; segunda votação acontece na quinta

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

02/03/2021 | 17:59


A Câmara de Santo André aprovou projeto do prefeito Paulo Serra (PSDB) que prevê liberação de recursos de 13 fundos municipais para a compra de vacinas contra a Covid-19. Dezesseis vereadores foram favoráveis à propositura e apenas um parlamentar – Ricardo Alvarez (Psol) – se absteve.

Conforme o projeto apresentado pelo tucano, a intenção da administração é transferir 100% do superavit financeiro de 13 fundos municipais apurado no encerramento de 2020 para o Tesouro Municipal com objetivo de adquirir os imunizantes. A movimentação financeira envolve R$ 85 milhões. A propositura precisa passar por segunda votação, agendada para esta quinta-feira (4).

O texto exige que a verba seja devolvida em 36 meses. O projeto também impede que o dinheiro seja empregado para outras finalidades.

Vereador e líder de governo na Câmara, Professor Jobert Minhoca (PSDB) afirmou que o montante arrecadado pelo Executivo possibilitaria a compra de cerca de 580 mil doses de imunizantes. “Tenho certeza que este projeto poderá ser copiado por outros municípios, dada sua importância. Na próxima sessão, os vereadores deverão aprovar a matéria em segunda votação”, declarou Minhoca.

O líder de governo sustenta que, assim que o dinheiro entrar no Tesouro Municipal, o Executivo já buscará negociar com os laboratórios que tenham vacina aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). “Com dinheiro em caixa fica mais fácil negociar com os laboratórios. E aquele (laboratório) que demonstrar interesse e preencher os requisitos, poderá participar das negociações”, argumentou o tucano.

A gestão de Paulo Serra se baliza em recente entendimento do STF (Supremo Tribunal Federal), que liberou a compra de vacinas por parte de Estados e municípios caso o governo federal não cumpra as diretrizes do PNI (Plano Nacional de Imunização) ou se as doses disponibilizadas a uma determinada região não contemplar a população.

A Prefeitura estima poder vacinar 400 mil moradores, número que se aproximaria dos 70% de imunização coletiva, percentual considerado por especialistas como ideal para frear a disseminação do vírus. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;