Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

TRT proíbe demissões e Ford retoma parte da produção

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Leo Alves
Do Garagem360

23/02/2021 | 12:48


A Ford retomou parte de sua produção no Brasil na última segunda-feira (22). As plantas de Taubaté (SP) e Camaçari (BA) retomaram a fabricação após algumas questões judiciais e acordos com sindicatos.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link

Ford retoma produção

A fabricante também foi proibida de realizar demissões em massa pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT). O TRT já havia entrado com uma liminar no início de fevereiro para suspender o processo de demissão. Nesta segunda-feira, a desembargadora Maria da Graça Bonança Barbosa manteve a decisão.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau), a decisão do tribunal manteve a obrigatoriedade do pagamento dos salários e licenças para os profissionais da fábrica do interior paulista. A Ford também está proibida de apresentar propostas individuais aos trabalhadores e de vender o maquinário da fábrica.

Essas questões judiciais foram geradas por conta das estabilidades firmadas pela Ford com os sindicatos de Taubaté e Camaçari. Na planta paulista, o acordo prometia manter os funcionários até 31 de dezembro de 2021. Já na unidade baiana, foi assinado em 2020 um termo de estabilidade de quatro anos.

LEIA MAIS: Entenda como o fim da produção nacional da Ford impacta o setor automotivo

Opinião: 4 erros da Ford que contribuíram para o fim da produção no Brasil

Acordo

No último dia 18 de fevereiro, Ford e Sindmetau chegaram a um acordo com a direção mundial da fabricante. Ele firmou a volta da produção, que retornou com cerca de 130 funcionários e deve convocar até 330 trabalhadores até o fim desta semana.

Ao todo, a fábrica de Taubaté conta com 830 funcionários. Os que não forem convocados permanecerão em licença remunerada, com salários e benefícios garantidos, segundo o sindicato.

Em Camaçari (BA), serão 700 funcionários de volta ao trabalho pelos próximos três meses, mas o acordo pode ser prorrogado por mais um mês, segundo uma reportagem da TV Bahia, afiliada da Rede Globo.

Na próxima quinta-feira (25), a diretoria global da Ford fará uma reunião com o Sindmetau para tratar sobre o fechamento das fábricas. Esta será a primeira vez que representantes globais da empresa se reunirá com o sindicato desde o anúncio do encerramento das atividades no Brasil, em 11 de janeiro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

TRT proíbe demissões e Ford retoma parte da produção

Leo Alves
Do Garagem360

23/02/2021 | 12:48


A Ford retomou parte de sua produção no Brasil na última segunda-feira (22). As plantas de Taubaté (SP) e Camaçari (BA) retomaram a fabricação após algumas questões judiciais e acordos com sindicatos.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link

Ford retoma produção

A fabricante também foi proibida de realizar demissões em massa pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT). O TRT já havia entrado com uma liminar no início de fevereiro para suspender o processo de demissão. Nesta segunda-feira, a desembargadora Maria da Graça Bonança Barbosa manteve a decisão.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau), a decisão do tribunal manteve a obrigatoriedade do pagamento dos salários e licenças para os profissionais da fábrica do interior paulista. A Ford também está proibida de apresentar propostas individuais aos trabalhadores e de vender o maquinário da fábrica.

Essas questões judiciais foram geradas por conta das estabilidades firmadas pela Ford com os sindicatos de Taubaté e Camaçari. Na planta paulista, o acordo prometia manter os funcionários até 31 de dezembro de 2021. Já na unidade baiana, foi assinado em 2020 um termo de estabilidade de quatro anos.

LEIA MAIS: Entenda como o fim da produção nacional da Ford impacta o setor automotivo

Opinião: 4 erros da Ford que contribuíram para o fim da produção no Brasil

Acordo

No último dia 18 de fevereiro, Ford e Sindmetau chegaram a um acordo com a direção mundial da fabricante. Ele firmou a volta da produção, que retornou com cerca de 130 funcionários e deve convocar até 330 trabalhadores até o fim desta semana.

Ao todo, a fábrica de Taubaté conta com 830 funcionários. Os que não forem convocados permanecerão em licença remunerada, com salários e benefícios garantidos, segundo o sindicato.

Em Camaçari (BA), serão 700 funcionários de volta ao trabalho pelos próximos três meses, mas o acordo pode ser prorrogado por mais um mês, segundo uma reportagem da TV Bahia, afiliada da Rede Globo.

Na próxima quinta-feira (25), a diretoria global da Ford fará uma reunião com o Sindmetau para tratar sobre o fechamento das fábricas. Esta será a primeira vez que representantes globais da empresa se reunirá com o sindicato desde o anúncio do encerramento das atividades no Brasil, em 11 de janeiro.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;