Fechar
Publicidade

Domingo, 19 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Advogada denuncia ministro do STJ por assédio sexual


Do Diário OnLine

15/08/2003 | 09:45


A advogada Glória Maria Pádua Ribeiro Portella entrou com uma queixa-crime no Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quinta-feira, contra o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Paulo Geraldo Medina, 61 anos, o acusando de assédio sexual. Segundo o jornal O Globo, que publica reportagem nesta sexta, Glória acusa o ministro de tê-la assediado pelo menos quatro vezes desde março de 2003.

O advogado de Glória, José Gerardo Grossi, incluiu na queixa-crime, como testemunhas, outros três outros ministros do STJ: Eliana Calmon Alves, Nancy Andrighi e Francisco Falcão Neto. A denunciante é filha do ministro do STJ Antônio de Pádua Ribeiro.

No texto apresentado ao STF, Glória relata que o ministro Medina começou a apresentar “atitudes suspeitas” no final de fevereiro, com “olhares pouco usuais, palavras de duplo sentido, insinuações”. A denúncia afirma que, em abril, Medina teria ido mais longe e pedido um beijo e abraços à advogada após um “olhar enlouquecido”, segundo a queixa-crime.

Glória começou a trabalhar como assistente de Medina em julho de 2001. Em respostas às insistentes investidas, ela teria respondido: “Ministro Medina, o senhor por acaso está me confundindo com as vagabundas das Minas Gerais?”. Na queixa-crime consta ainda que, após esse dia, o assédio diminuiu. Porém, em junho, ela foi novamente abordada, com o ministro dizendo claramente para ela, de acordo com o advogado da suposta vítima, que havia ficado excitado.

O jornal carioca informa em sua edição desta sexta de que há informações que Glória possui uma fita com gravações dos assédios. Por meio de sua assessoria, o ministro Paulo Geraldo Medina declarou que não faria comentários sobre o assunto.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Advogada denuncia ministro do STJ por assédio sexual

Do Diário OnLine

15/08/2003 | 09:45


A advogada Glória Maria Pádua Ribeiro Portella entrou com uma queixa-crime no Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quinta-feira, contra o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Paulo Geraldo Medina, 61 anos, o acusando de assédio sexual. Segundo o jornal O Globo, que publica reportagem nesta sexta, Glória acusa o ministro de tê-la assediado pelo menos quatro vezes desde março de 2003.

O advogado de Glória, José Gerardo Grossi, incluiu na queixa-crime, como testemunhas, outros três outros ministros do STJ: Eliana Calmon Alves, Nancy Andrighi e Francisco Falcão Neto. A denunciante é filha do ministro do STJ Antônio de Pádua Ribeiro.

No texto apresentado ao STF, Glória relata que o ministro Medina começou a apresentar “atitudes suspeitas” no final de fevereiro, com “olhares pouco usuais, palavras de duplo sentido, insinuações”. A denúncia afirma que, em abril, Medina teria ido mais longe e pedido um beijo e abraços à advogada após um “olhar enlouquecido”, segundo a queixa-crime.

Glória começou a trabalhar como assistente de Medina em julho de 2001. Em respostas às insistentes investidas, ela teria respondido: “Ministro Medina, o senhor por acaso está me confundindo com as vagabundas das Minas Gerais?”. Na queixa-crime consta ainda que, após esse dia, o assédio diminuiu. Porém, em junho, ela foi novamente abordada, com o ministro dizendo claramente para ela, de acordo com o advogado da suposta vítima, que havia ficado excitado.

O jornal carioca informa em sua edição desta sexta de que há informações que Glória possui uma fita com gravações dos assédios. Por meio de sua assessoria, o ministro Paulo Geraldo Medina declarou que não faria comentários sobre o assunto.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;