Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Médico se recusa a comentar notícia sobre clone humano


Das Agências

06/04/2002 | 13:19


O ginecologista italiano Severino Antinori se recusou neste sábado a comentar ou desmentir as informações da revista New Scientist baseadas em suas próprias declarações, segundo as quais uma mulher estaria grávida de oito semanas de um embrião humano clonado.

"A pesquisa científica precisa de silêncio. Não comento nada", disse o médico em uma breve declaração à agência de notícias italiana Ansa. "Só quero lembrar que sempre agi dentro da legalidade, do respeito pela vida e das normas de ordem profissional", acrescentou.

Antinori havia reivindicado, nesta sexta-feira, a primeira gravidez de um embrião humano clonado, informação que reativou a polêmica na Itália, onde é proibida a experiência.

O consultório do ginecologista em Roma se negou a confirmar ou desmentir a informação, difundida no site internet da revista britânica New Scientist.

Artinori se tornou famoso em 1994, ao transformar em mãe uma italiana de 63 anos, fecundada em seu centro especializado em Roma.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Médico se recusa a comentar notícia sobre clone humano

Das Agências

06/04/2002 | 13:19


O ginecologista italiano Severino Antinori se recusou neste sábado a comentar ou desmentir as informações da revista New Scientist baseadas em suas próprias declarações, segundo as quais uma mulher estaria grávida de oito semanas de um embrião humano clonado.

"A pesquisa científica precisa de silêncio. Não comento nada", disse o médico em uma breve declaração à agência de notícias italiana Ansa. "Só quero lembrar que sempre agi dentro da legalidade, do respeito pela vida e das normas de ordem profissional", acrescentou.

Antinori havia reivindicado, nesta sexta-feira, a primeira gravidez de um embrião humano clonado, informação que reativou a polêmica na Itália, onde é proibida a experiência.

O consultório do ginecologista em Roma se negou a confirmar ou desmentir a informação, difundida no site internet da revista britânica New Scientist.

Artinori se tornou famoso em 1994, ao transformar em mãe uma italiana de 63 anos, fecundada em seu centro especializado em Roma.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;