Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 12 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Grande ABC tem o objetivo de imunizar 143 mil crianças

Ari Paleta/DGABC: Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Cidades realizam hoje Dia D da
Campanha Nacional da Vacinação


Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

15/08/2015 | 07:00


De hoje até o dia 31, as sete cidades do Grande ABC têm a meta de imunizar 142.992 crianças com idade entre 6 meses e 5 anos incompletos contra a paralisia infantil. A ação integra a 36ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite.

A paralisia infantil é uma doença infectocontagiosa grave. Na maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores. O mal é causado pelo poliovírus e a infecção se dá, na maior parte dos casos, por via oral. O Brasil está livre da enfermidade desde 1990.

No ano passado, com exceção de São Caetano e Ribeirão Pires, que não informaram, 124.456 doses foram aplicadas. A cidade que teve menor adesão naquela ocasião foi Santo André: 28.662 pequenos foram vacinados, que representaram 77,37% da cobertura total da cidade. Segundo a Secretaria de Saúde, vários fatores externos implicam na não adesão à meta mínima. “Por exemplo, médico que não indica a vacinação no período da campanha; criança que adoece; pais que não podem levar o filho por vários motivos, entre eles, trabalho fora; divulgação e até mesmo falta de conscientização das pessoas – neste caso, pai e/ou responsável pela criança”. Conforme a Pasta, muitos pais vacinam os filhos no calendário de rotina e não durante as campanhas de imunização em massa – o que não entra na contabilidade de mobilização.

Este ano, a meta andreense é imunizar 36.704 crianças, nas 33 UBSs (Unidades Básicas de Saúde). Um posto volante na Emeif (Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental) do Parque Andreense também será ponto de imunização gratuita, das 8h às 17h.

Em São Bernardo, o objetivo é vacinar 43.155 das 45.427 crianças com idade enquadrada no perfil, em 34 UBSs. A Coordenadoria Municipal de Imunização de São Caetano planeja aplicar a vacina em 6.557 crianças em 13 postos de Saúde. Diadema quer imunizar 24.094 pequeninos, de um total de 26.094, em 17 UBSs.

Na cidade de Mauá, a Secretaria de Saúde pretende vacinar 24.540 de 25.831 crianças que integram o público-alvo. São 30 postos fixos distribuídos em todos os bairros.</CW>

Ribeirão Pires planeja vacinar 80% das crianças (5.009), das 6.262 que vivem na cidade. Todas as unidades de Saúde disponibilizarão a imunização de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h, exceto UBS do Centro, que funciona das 8h às 17h. Em Rio Grande da Serra, a meta é proteger 2.933 crianças, em oito pontos de vacinação.

Considerando cinco cidades (exceto São Caetano e Rio Grande da Serra, que não retornaram a informação), a região possui 140.660 moradores com essa faixa etária.

Pediatra destaca importância da vacina, mesmo sem o vírus no País

Apesar de o Brasil estar livre da paralisia infantil desde 1990, a professora do Departamento de Pediatria da FMABC (Faculdade de Medicina do ABC) Denise de Oliveira Schoeps alerta para a importância da aplicação da vacina. “Na maioria das vezes, as crianças estão com as vacinas em dia e os pais não entendem o porquê da campanha. Mas ainda há casos no mundo e o vírus pode migrar de um lugar para o outro, pois hoje é muito fácil disseminar um vírus por conta da globalização”, salienta.

Nove países registraram casos em 2014 e 2015. Em três – Nigéria, Paquistão e Afeganistão – a poliomielite é endêmica. Os casos registrados na Somália, Guiné Equatorial, Iraque, Camarões, Siria e Etiopia foram decorrentes de importação do poliovírus selvagem.

A meta do Ministério da Saúde é vacinar 12 milhões de crianças, o que representa 95% do público-alvo, (12,7 milhões). Para o Estado de São Paulo, a Pasta distribuiu 3,1 milhões de doses.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Grande ABC tem o objetivo de imunizar 143 mil crianças

Cidades realizam hoje Dia D da
Campanha Nacional da Vacinação

Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

15/08/2015 | 07:00


De hoje até o dia 31, as sete cidades do Grande ABC têm a meta de imunizar 142.992 crianças com idade entre 6 meses e 5 anos incompletos contra a paralisia infantil. A ação integra a 36ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite.

A paralisia infantil é uma doença infectocontagiosa grave. Na maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores. O mal é causado pelo poliovírus e a infecção se dá, na maior parte dos casos, por via oral. O Brasil está livre da enfermidade desde 1990.

No ano passado, com exceção de São Caetano e Ribeirão Pires, que não informaram, 124.456 doses foram aplicadas. A cidade que teve menor adesão naquela ocasião foi Santo André: 28.662 pequenos foram vacinados, que representaram 77,37% da cobertura total da cidade. Segundo a Secretaria de Saúde, vários fatores externos implicam na não adesão à meta mínima. “Por exemplo, médico que não indica a vacinação no período da campanha; criança que adoece; pais que não podem levar o filho por vários motivos, entre eles, trabalho fora; divulgação e até mesmo falta de conscientização das pessoas – neste caso, pai e/ou responsável pela criança”. Conforme a Pasta, muitos pais vacinam os filhos no calendário de rotina e não durante as campanhas de imunização em massa – o que não entra na contabilidade de mobilização.

Este ano, a meta andreense é imunizar 36.704 crianças, nas 33 UBSs (Unidades Básicas de Saúde). Um posto volante na Emeif (Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental) do Parque Andreense também será ponto de imunização gratuita, das 8h às 17h.

Em São Bernardo, o objetivo é vacinar 43.155 das 45.427 crianças com idade enquadrada no perfil, em 34 UBSs. A Coordenadoria Municipal de Imunização de São Caetano planeja aplicar a vacina em 6.557 crianças em 13 postos de Saúde. Diadema quer imunizar 24.094 pequeninos, de um total de 26.094, em 17 UBSs.

Na cidade de Mauá, a Secretaria de Saúde pretende vacinar 24.540 de 25.831 crianças que integram o público-alvo. São 30 postos fixos distribuídos em todos os bairros.</CW>

Ribeirão Pires planeja vacinar 80% das crianças (5.009), das 6.262 que vivem na cidade. Todas as unidades de Saúde disponibilizarão a imunização de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h, exceto UBS do Centro, que funciona das 8h às 17h. Em Rio Grande da Serra, a meta é proteger 2.933 crianças, em oito pontos de vacinação.

Considerando cinco cidades (exceto São Caetano e Rio Grande da Serra, que não retornaram a informação), a região possui 140.660 moradores com essa faixa etária.

Pediatra destaca importância da vacina, mesmo sem o vírus no País

Apesar de o Brasil estar livre da paralisia infantil desde 1990, a professora do Departamento de Pediatria da FMABC (Faculdade de Medicina do ABC) Denise de Oliveira Schoeps alerta para a importância da aplicação da vacina. “Na maioria das vezes, as crianças estão com as vacinas em dia e os pais não entendem o porquê da campanha. Mas ainda há casos no mundo e o vírus pode migrar de um lugar para o outro, pois hoje é muito fácil disseminar um vírus por conta da globalização”, salienta.

Nove países registraram casos em 2014 e 2015. Em três – Nigéria, Paquistão e Afeganistão – a poliomielite é endêmica. Os casos registrados na Somália, Guiné Equatorial, Iraque, Camarões, Siria e Etiopia foram decorrentes de importação do poliovírus selvagem.

A meta do Ministério da Saúde é vacinar 12 milhões de crianças, o que representa 95% do público-alvo, (12,7 milhões). Para o Estado de São Paulo, a Pasta distribuiu 3,1 milhões de doses.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;