Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Clima esquenta nos clubes baianos rebaixados


Leandro Calixto
do Diário do Grande ABC

12/09/2005 | 08:06


A chapa esquentou pelos lados de Salvador, após Bahia e Vitória caírem de forma vergonhosa para Terceira Divisão do Campeonato Brasileiro. O presidente do Vitória, Paulo Carneiro, e o goleiro Felipe tiveram forte discussão ainda no vestiário do Barradão, depois da equipe empatar em 3 a 3 com a Portuguesa, de São Paulo.

Segundo o goleiro da Boa Terra, o presidente do Vitória o ofendeu de forma agressiva e preconceituosa após o jogo. Para Carneiro, Felipe teria falhado em dois gols. "Ele me xingou de preto, safado e vagabundo. No Vitória, eu não jogo mais. Fico em casa esperando uma definição. Mas com este presidente não trabalho mais", afirmou o goleiro.

Pelo lado do Bahia, a situação não era diferente. Dezenas de torcedores protestaram contra a campanha pífia do time no Brasileiro da Segunda Divisão. O time que já foi campeão brasileiro da Série A, em 1988, vai ter de amargar a última divisão do futebol nacional. Quem teve trajetória parecida foi o Fluminense, que também chegou ao fundo do poço, mas retornou.

O Bahia é considerado o principal clube do Nordeste. Além de já ter conquistado um Campeonato Brasileiro, o time é recordista de público no futebol nacional. A média de torcedores do Bahia foi de 35 mil, mesmo jogando na Segundona.

O péssimo momento vivido pelos clubes baianos é motivo de lamentação até dos adversários. "É triste ver o futebol baiano nesta situação. São clubes de tradição e com muita torcida. Já esperava a queda do Bahia, mas a do Vitória foi uma surpresa para mim", opinou o técnico do Santo André, Sérgio Soares.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Clima esquenta nos clubes baianos rebaixados

Leandro Calixto
do Diário do Grande ABC

12/09/2005 | 08:06


A chapa esquentou pelos lados de Salvador, após Bahia e Vitória caírem de forma vergonhosa para Terceira Divisão do Campeonato Brasileiro. O presidente do Vitória, Paulo Carneiro, e o goleiro Felipe tiveram forte discussão ainda no vestiário do Barradão, depois da equipe empatar em 3 a 3 com a Portuguesa, de São Paulo.

Segundo o goleiro da Boa Terra, o presidente do Vitória o ofendeu de forma agressiva e preconceituosa após o jogo. Para Carneiro, Felipe teria falhado em dois gols. "Ele me xingou de preto, safado e vagabundo. No Vitória, eu não jogo mais. Fico em casa esperando uma definição. Mas com este presidente não trabalho mais", afirmou o goleiro.

Pelo lado do Bahia, a situação não era diferente. Dezenas de torcedores protestaram contra a campanha pífia do time no Brasileiro da Segunda Divisão. O time que já foi campeão brasileiro da Série A, em 1988, vai ter de amargar a última divisão do futebol nacional. Quem teve trajetória parecida foi o Fluminense, que também chegou ao fundo do poço, mas retornou.

O Bahia é considerado o principal clube do Nordeste. Além de já ter conquistado um Campeonato Brasileiro, o time é recordista de público no futebol nacional. A média de torcedores do Bahia foi de 35 mil, mesmo jogando na Segundona.

O péssimo momento vivido pelos clubes baianos é motivo de lamentação até dos adversários. "É triste ver o futebol baiano nesta situação. São clubes de tradição e com muita torcida. Já esperava a queda do Bahia, mas a do Vitória foi uma surpresa para mim", opinou o técnico do Santo André, Sérgio Soares.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;