Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Fifa vai investir para implantar a proposta 6+5


Das Agências

21/03/2009 | 07:00


A proposta 6+5 segue dando o que falar na Europa. A Fifa pretende diminuir o número de jogadores estrangeiros nos clubes e propôs que o número de extra-comunitários seja no máximo de cinco atletas, dando assim, mais oportunidades ao fruto nacional.

A UE (União Europeia), no entanto, foi contra e paralisou a implantação da proposta. Porém, um estudo do Instituto para Assuntos Europeus dá mais esperanças à Fifa. "Ao menos com o estudo podemos dizer que a nossa proposta não é incompatível com a lei europeia", disse o presidente da Fifa, Joseph Blatter, ontem, após se reunir com o comitê executivo da entidade.

"Você pode imaginar o que aconteceria se todas as entidades políticas no mundo fizessem a mesma intervenção nos esportes como a UE? Não haveria esportes internacionais."

Outros assuntos discutidos no encontro incluíram o relatório financeiro anual da Fifa, que mostrou aumento considerável nas receitas da organização: dos US$ 882 milhões em 2007 para US$ 957 milhões no ano passado.

A Copa de 2010 também esteve em pauta e a entidade está confiante de que a crise mundial não afetará a competição, cuja venda de ingressos corre dentro do esperado, ao contrário das vendas para a Copa das Confederações, em junho deste ano.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fifa vai investir para implantar a proposta 6+5

Das Agências

21/03/2009 | 07:00


A proposta 6+5 segue dando o que falar na Europa. A Fifa pretende diminuir o número de jogadores estrangeiros nos clubes e propôs que o número de extra-comunitários seja no máximo de cinco atletas, dando assim, mais oportunidades ao fruto nacional.

A UE (União Europeia), no entanto, foi contra e paralisou a implantação da proposta. Porém, um estudo do Instituto para Assuntos Europeus dá mais esperanças à Fifa. "Ao menos com o estudo podemos dizer que a nossa proposta não é incompatível com a lei europeia", disse o presidente da Fifa, Joseph Blatter, ontem, após se reunir com o comitê executivo da entidade.

"Você pode imaginar o que aconteceria se todas as entidades políticas no mundo fizessem a mesma intervenção nos esportes como a UE? Não haveria esportes internacionais."

Outros assuntos discutidos no encontro incluíram o relatório financeiro anual da Fifa, que mostrou aumento considerável nas receitas da organização: dos US$ 882 milhões em 2007 para US$ 957 milhões no ano passado.

A Copa de 2010 também esteve em pauta e a entidade está confiante de que a crise mundial não afetará a competição, cuja venda de ingressos corre dentro do esperado, ao contrário das vendas para a Copa das Confederações, em junho deste ano.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;