Fechar
Publicidade

Sábado, 18 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

O ministro dos bichos

Que Carlos Minc, que nada! O verdadeiro defensor da Mãe Natureza no governo federal é o ministro da Defesa, Nelson Jobim


Carlos Brickmann

10/06/2009 | 00:00


Que Carlos Minc, que nada! O verdadeiro defensor da Mãe Natureza no governo federal é o ministro da Defesa, Nelson Jobim. Em poucos dias, ele falou de crocodilos ("após anos na política, tenho costas de crocodilo"), de jabutis (os 98 altos funcionários que pretende demitir da Infraero "são como jabutis na árvore": como jabuti não sobe em árvore, alguém os colocou lá), de tubarões (comentando o acidente da Air France). Em episódios anteriores, pegou em uma cobra, segurou um mico e acariciou uma onça, aí devidamente fantasiado de general, usando farda camuflada feita sob medida - neste modelo, não há tamanho XXXL.
Já essas coisas pouco ecológicas, como defesa nacional, o ministro deixou pra lá. As Forças Armadas continuam sem verbas, sem treinamento, sem equipamento. A base da defesa aérea nacional são os Tiger F5, fabricados há quase 40 anos e seguidamente reformados, e 12 Mirage 2000 antigos, há muito tempo fora de linha. A concorrência para os novos jatos anda devagar. A Marinha reformou um porta-aviões francês que viraria sucata (e, para a França, virou mesmo é um bom negócio) e o equipou com aviões Skyhawk A4 que comprou, já velhíssimos, do Kuwait. E os submarinos franceses? Um dia, talvez, quem sabe - mas o financiamento sumiu. O Exército não tem verbas nem para as refeições dos recrutas.
Mas, no fundo, está tudo certo. O Brasil não tem problemas com seus vizinhos, mas os bichos estão ameaçados. Ministro da Defesa, portanto, para eles!

PERGUNTAS...
Imaginemos que o caro leitor esteja descontente com Lula. Mas qual a alternativa oferecida pelo PSDB e DEM? Até agora, a oposição, mesmo quando toma a iniciativa, acaba só reagindo às teses oficiais. É o caso da Petrobras: diante da acusação de que se quer privatizá-la, um tucano corre e apresenta um projeto proibindo a privatização. É a mesma coisa que ocorreu com Alckmin, no segundo turno contra Lula: usou aquela jaqueta ridícula, cheia de logotipos de estatais, só se defendeu e teve menos votos no segundo turno do que no primeiro.

...INDISCRETAS
Qual a proposta oposicionista para o câmbio? E para os juros? E para o álcool: com as descobertas do pré-sal, o Brasil mantém sua aposta internacional em novos combustíveis ou prefere ficar com o petróleo? Com um tucano na Presidência, como fica a política externa? O aumento de despesas com funcionalismo, tão criticado, será revertido de que jeito?

PAGANDO O CIGARRO
E, por falar em tucanos, a governadora gaúcha Yeda Crusius acaba de dar um magnífico presente à Souza Cruz, fabricante de um produto reconhecidamente nocivo: incentivos fiscais para uma gráfica, destinada exclusivamente a imprimir maços de cigarros, em volume suficiente para que a fumageira tenha de volta tudo o que gastou. Mas que não se culpe apenas a tucana: o governo federal também subsidia cigarros, mantendo o IPI fixo e garantindo o preço baixo que amplia a vendagem e multiplica as doenças.

CPI...
Não leve muito a sério a história da briga de Renan Calheiros com Romero Jucá. Os dois têm trajetória parecida: foram importantíssimos no governo Fernando Henrique, são importantíssimos no governo Lula, serão importantíssimos no próximo governo, seja quem for o governante (eles são coerentes: estão sempre com o governo). Não são de brigas mortais. A briga dos dois parece muito mais uma cortina de fumaça do que algo verdadeiro; e o objetivo é aproximar a CPI da Petrobras, que o governo vê com péssimos olhos, do esquecimento.

...TADINHA
Imaginemos que tudo corra bem e a CPI seja instalada hoje, conforme o previsto. Mas amanhã é feriado, e o Congresso só volta a funcionar na quarta que vem (é mais fácil que seja na quinta). Aí vem outro fim de semana congressual, bem comprido, e na semana seguinte começam as festas juninas. Aí, chega julho, mês de recesso. Tudo indica que a CPI só consiga funcionar em agosto, quando ninguém mais lembrará de nada.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

O ministro dos bichos

Que Carlos Minc, que nada! O verdadeiro defensor da Mãe Natureza no governo federal é o ministro da Defesa, Nelson Jobim

Carlos Brickmann

10/06/2009 | 00:00


Que Carlos Minc, que nada! O verdadeiro defensor da Mãe Natureza no governo federal é o ministro da Defesa, Nelson Jobim. Em poucos dias, ele falou de crocodilos ("após anos na política, tenho costas de crocodilo"), de jabutis (os 98 altos funcionários que pretende demitir da Infraero "são como jabutis na árvore": como jabuti não sobe em árvore, alguém os colocou lá), de tubarões (comentando o acidente da Air France). Em episódios anteriores, pegou em uma cobra, segurou um mico e acariciou uma onça, aí devidamente fantasiado de general, usando farda camuflada feita sob medida - neste modelo, não há tamanho XXXL.
Já essas coisas pouco ecológicas, como defesa nacional, o ministro deixou pra lá. As Forças Armadas continuam sem verbas, sem treinamento, sem equipamento. A base da defesa aérea nacional são os Tiger F5, fabricados há quase 40 anos e seguidamente reformados, e 12 Mirage 2000 antigos, há muito tempo fora de linha. A concorrência para os novos jatos anda devagar. A Marinha reformou um porta-aviões francês que viraria sucata (e, para a França, virou mesmo é um bom negócio) e o equipou com aviões Skyhawk A4 que comprou, já velhíssimos, do Kuwait. E os submarinos franceses? Um dia, talvez, quem sabe - mas o financiamento sumiu. O Exército não tem verbas nem para as refeições dos recrutas.
Mas, no fundo, está tudo certo. O Brasil não tem problemas com seus vizinhos, mas os bichos estão ameaçados. Ministro da Defesa, portanto, para eles!

PERGUNTAS...
Imaginemos que o caro leitor esteja descontente com Lula. Mas qual a alternativa oferecida pelo PSDB e DEM? Até agora, a oposição, mesmo quando toma a iniciativa, acaba só reagindo às teses oficiais. É o caso da Petrobras: diante da acusação de que se quer privatizá-la, um tucano corre e apresenta um projeto proibindo a privatização. É a mesma coisa que ocorreu com Alckmin, no segundo turno contra Lula: usou aquela jaqueta ridícula, cheia de logotipos de estatais, só se defendeu e teve menos votos no segundo turno do que no primeiro.

...INDISCRETAS
Qual a proposta oposicionista para o câmbio? E para os juros? E para o álcool: com as descobertas do pré-sal, o Brasil mantém sua aposta internacional em novos combustíveis ou prefere ficar com o petróleo? Com um tucano na Presidência, como fica a política externa? O aumento de despesas com funcionalismo, tão criticado, será revertido de que jeito?

PAGANDO O CIGARRO
E, por falar em tucanos, a governadora gaúcha Yeda Crusius acaba de dar um magnífico presente à Souza Cruz, fabricante de um produto reconhecidamente nocivo: incentivos fiscais para uma gráfica, destinada exclusivamente a imprimir maços de cigarros, em volume suficiente para que a fumageira tenha de volta tudo o que gastou. Mas que não se culpe apenas a tucana: o governo federal também subsidia cigarros, mantendo o IPI fixo e garantindo o preço baixo que amplia a vendagem e multiplica as doenças.

CPI...
Não leve muito a sério a história da briga de Renan Calheiros com Romero Jucá. Os dois têm trajetória parecida: foram importantíssimos no governo Fernando Henrique, são importantíssimos no governo Lula, serão importantíssimos no próximo governo, seja quem for o governante (eles são coerentes: estão sempre com o governo). Não são de brigas mortais. A briga dos dois parece muito mais uma cortina de fumaça do que algo verdadeiro; e o objetivo é aproximar a CPI da Petrobras, que o governo vê com péssimos olhos, do esquecimento.

...TADINHA
Imaginemos que tudo corra bem e a CPI seja instalada hoje, conforme o previsto. Mas amanhã é feriado, e o Congresso só volta a funcionar na quarta que vem (é mais fácil que seja na quinta). Aí vem outro fim de semana congressual, bem comprido, e na semana seguinte começam as festas juninas. Aí, chega julho, mês de recesso. Tudo indica que a CPI só consiga funcionar em agosto, quando ninguém mais lembrará de nada.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;