Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 13 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Pastor é condenado a 20 anos de prisão por violentar adolescentes


Da AFP

21/02/2006 | 07:19


O pastor fundador de uma seita cristã japonesa foi condenado nesta terça-feira a 20 anos de prisão por ter violentado ou abusado sexualmente de sete adolescentes, além de ameaçar as jovens dizendo que iriam para o inferno se não cedessem a suas exigências.

O tribunal de Kyoto condenou Tamotsu Kin, de 62 anos, um sul-coreano que nasceu no Japão, fundador e líder da Igreja Central do Deus Sagrado, uma seita cristã.

Os jurados consideraram que as vítimas, com idades entre 12 e 16 anos, não podiam escapar da dominação do acusado, que elas consideravam o "homem mais próximo de Deus".

"Ele jurava que elas iriam para o inferno e que sua agonia seria ilimitada caso se recusassem a submeter-se a suas ordens", informa o jornal Yomiuri.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pastor é condenado a 20 anos de prisão por violentar adolescentes

Da AFP

21/02/2006 | 07:19


O pastor fundador de uma seita cristã japonesa foi condenado nesta terça-feira a 20 anos de prisão por ter violentado ou abusado sexualmente de sete adolescentes, além de ameaçar as jovens dizendo que iriam para o inferno se não cedessem a suas exigências.

O tribunal de Kyoto condenou Tamotsu Kin, de 62 anos, um sul-coreano que nasceu no Japão, fundador e líder da Igreja Central do Deus Sagrado, uma seita cristã.

Os jurados consideraram que as vítimas, com idades entre 12 e 16 anos, não podiam escapar da dominação do acusado, que elas consideravam o "homem mais próximo de Deus".

"Ele jurava que elas iriam para o inferno e que sua agonia seria ilimitada caso se recusassem a submeter-se a suas ordens", informa o jornal Yomiuri.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;