Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Romenos evitam demonstrar oposiçao à Otan


Do Diário do Grande ABC

14/04/1999 | 08:57


Os romenos, que se declaram com facilidade solidários com seus ``irmaos ortodoxos'' sérvios, temem contudo voltar novamente para o jugo de Moscou e por isso evitam converter sua compaixao pela Iugoslávia em atitude anti-Otan.

'`Os romenos compreendem que se ficamos do lado da Iugoslávia, nos convertemos de maneira inevitável em aliados da Rússia. Entretanto, sua hostilidade em relaçao à Rússia é tao grande que preferem afastar-se a todo custo do eixo Belgrado-Moscou'', declara o politólogo Silviu Brucan.

A votaçao, na última segunda-feira, do Parlamento iugoslavo em favor da adesao da República Federal da Iugoslávia à Uniao de Rússia e Bielorrússia, afastou ainda mais Bucareste de Belgrado.

Os partidos políticos romenos expressaram sua preocupaçao ante esta decisao e assinalaram que pode ``colocar em perigo países como a Romênia, que nao dispoem de garantias de segurança'' por parte da Aliança.

Desde que começaram os ataques da Otan contra a Iugoslávia, as autoridades romenas tomaram uma posiçao firme em favor dos aliados e responsabilizaram o presidente iugoslavo Slobodan Milosevic pelo conflito.

``O objetivo da Romênia é ingressar na Otan'', declarou o ministro de Relaçoes Exteriores, Andrei Plesu.

Entretanto, a opiniao pública romena e alguns jornais declaram sua simpatia em relaçao a seus vizinhos, na maioria ortodoxos como na Romênia.

``O governo se equivocou quando decidiu apoiar os ataques da Otan contra os sérvios, um povo com quem nunca tivemos nenhum tipo de conflito'', afirma Alexandru, um estudante cuja opiniao reflete bem a opiniao pública.

Segundo Brucan, ``os bombardeios podem ser considerados necessários, mas nunca serao populares''.

Mas para o governo ``nao se pode desejar ser membro da Otan e preservar as boas relaçoes com Belgrado''.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Romenos evitam demonstrar oposiçao à Otan

Do Diário do Grande ABC

14/04/1999 | 08:57


Os romenos, que se declaram com facilidade solidários com seus ``irmaos ortodoxos'' sérvios, temem contudo voltar novamente para o jugo de Moscou e por isso evitam converter sua compaixao pela Iugoslávia em atitude anti-Otan.

'`Os romenos compreendem que se ficamos do lado da Iugoslávia, nos convertemos de maneira inevitável em aliados da Rússia. Entretanto, sua hostilidade em relaçao à Rússia é tao grande que preferem afastar-se a todo custo do eixo Belgrado-Moscou'', declara o politólogo Silviu Brucan.

A votaçao, na última segunda-feira, do Parlamento iugoslavo em favor da adesao da República Federal da Iugoslávia à Uniao de Rússia e Bielorrússia, afastou ainda mais Bucareste de Belgrado.

Os partidos políticos romenos expressaram sua preocupaçao ante esta decisao e assinalaram que pode ``colocar em perigo países como a Romênia, que nao dispoem de garantias de segurança'' por parte da Aliança.

Desde que começaram os ataques da Otan contra a Iugoslávia, as autoridades romenas tomaram uma posiçao firme em favor dos aliados e responsabilizaram o presidente iugoslavo Slobodan Milosevic pelo conflito.

``O objetivo da Romênia é ingressar na Otan'', declarou o ministro de Relaçoes Exteriores, Andrei Plesu.

Entretanto, a opiniao pública romena e alguns jornais declaram sua simpatia em relaçao a seus vizinhos, na maioria ortodoxos como na Romênia.

``O governo se equivocou quando decidiu apoiar os ataques da Otan contra os sérvios, um povo com quem nunca tivemos nenhum tipo de conflito'', afirma Alexandru, um estudante cuja opiniao reflete bem a opiniao pública.

Segundo Brucan, ``os bombardeios podem ser considerados necessários, mas nunca serao populares''.

Mas para o governo ``nao se pode desejar ser membro da Otan e preservar as boas relaçoes com Belgrado''.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;