Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Festas de fim de ano podem vir acompanhadas de depressão


Isis Mastromano Correia
Do Diário do Grande ABC

17/12/2007 | 07:04


Se para muitos as festas de final de ano inspiram alegria, amizade e harmonia, para outros os festejos são capazes de desencadear sensações bem diferentes e até levar a depressão.

Se você sente aquela tristeza com a chegada do Natal e do Ano Novo, saiba que não é o único. Especialistas dizem não serem raros quadros depressivos nesta época do ano.

Entretanto, é importante saber distinguir um baixo astral passageiro de uma tristeza recorrente. “Se depois do Natal a pessoa chegar ao Carnaval ainda triste, isso é um problema”, explica o professor de Psiquiatria da Faculdade de Medicina do ABC Sérgio Baldassim.

O especialista explica que pessoas muito tristes há mais de duas semanas devem procurar ajuda médica.

LEMBRANÇAS

Para muitos, a causa da depressão de final de ano está relacionada a lembranças de pessoas que não estão mais por perto ou mesmo à frustração de algum plano. É nessa época que costumamos fazer o balanço de todo o ano que está ficando para trás e isso traz à tona sentimentos desagradáveis para alguns.

Por isso, o ato de relembrar é um dos agentes que provocam o estresse de final do ano. Perda de pessoas queridas, separações, doenças, desemprego também desencadeiam tal depressão.

SUICÍDIO

“Às vezes, a pessoa perdeu a mãe e esse será o primeiro Natal sem ela. Isso mexe bastante”, exemplifica o médico Baldassim. “Nesta época do ano, inclusive, há muitas tentativas de suicídio”, afirma o professor da Faculdade de Medicina.

Não existem estatísticas oficiais, mas psicólogos relatam aumento no número de pessoas que procuram auxílio nessa época do ano.

Vale dizer que Natal e Ano Novo são capazes também de agravar o estado de saúde de quem sofre rotineiramente com a depressão.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Festas de fim de ano podem vir acompanhadas de depressão

Isis Mastromano Correia
Do Diário do Grande ABC

17/12/2007 | 07:04


Se para muitos as festas de final de ano inspiram alegria, amizade e harmonia, para outros os festejos são capazes de desencadear sensações bem diferentes e até levar a depressão.

Se você sente aquela tristeza com a chegada do Natal e do Ano Novo, saiba que não é o único. Especialistas dizem não serem raros quadros depressivos nesta época do ano.

Entretanto, é importante saber distinguir um baixo astral passageiro de uma tristeza recorrente. “Se depois do Natal a pessoa chegar ao Carnaval ainda triste, isso é um problema”, explica o professor de Psiquiatria da Faculdade de Medicina do ABC Sérgio Baldassim.

O especialista explica que pessoas muito tristes há mais de duas semanas devem procurar ajuda médica.

LEMBRANÇAS

Para muitos, a causa da depressão de final de ano está relacionada a lembranças de pessoas que não estão mais por perto ou mesmo à frustração de algum plano. É nessa época que costumamos fazer o balanço de todo o ano que está ficando para trás e isso traz à tona sentimentos desagradáveis para alguns.

Por isso, o ato de relembrar é um dos agentes que provocam o estresse de final do ano. Perda de pessoas queridas, separações, doenças, desemprego também desencadeiam tal depressão.

SUICÍDIO

“Às vezes, a pessoa perdeu a mãe e esse será o primeiro Natal sem ela. Isso mexe bastante”, exemplifica o médico Baldassim. “Nesta época do ano, inclusive, há muitas tentativas de suicídio”, afirma o professor da Faculdade de Medicina.

Não existem estatísticas oficiais, mas psicólogos relatam aumento no número de pessoas que procuram auxílio nessa época do ano.

Vale dizer que Natal e Ano Novo são capazes também de agravar o estado de saúde de quem sofre rotineiramente com a depressão.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;