Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Prefeitura de Praia Grande não vai pagar conta da Sabesp



10/05/2006 | 00:05


Por causa do grande número de buracos que a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) deixa na cidade de Praia Grande, no Litoral Sul paulista, o prefeito Alberto Mourão (PSDB) decidiu não mais pagar as contas de água da prefeitura. Ao todo, são 298 crateras e serão necessários R$ 4 milhões para resolver o problema.

O superintendente regional da concessionária na Baixada Santista, Paulo Roberto de Queiroz, visitou Mourão terça-feira. Ele anunciou a abertura do processo de licitação para as obras de remanejamento da rede coletora de esgotos do Boqueirão e Guilhermina, os locais mais afetados, ainda neste mês e discutiu a continuidade do convênio para a repavimentação de ruas, sem dar uma solução para o caso.

Os buracos são provocados por infiltrações de água ou esgoto e também pelos serviços inacabados da Sabesp. Todos eles foram fotografados e constam em um mapa que embasa o protesto de Alberto Mourão, que pressiona a estatal para a formalização de um convênio no montante de R$ 4 milhões para que a prefeitura possa realizar o trabalho de recuperação das ruas esburacadas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Prefeitura de Praia Grande não vai pagar conta da Sabesp


10/05/2006 | 00:05


Por causa do grande número de buracos que a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) deixa na cidade de Praia Grande, no Litoral Sul paulista, o prefeito Alberto Mourão (PSDB) decidiu não mais pagar as contas de água da prefeitura. Ao todo, são 298 crateras e serão necessários R$ 4 milhões para resolver o problema.

O superintendente regional da concessionária na Baixada Santista, Paulo Roberto de Queiroz, visitou Mourão terça-feira. Ele anunciou a abertura do processo de licitação para as obras de remanejamento da rede coletora de esgotos do Boqueirão e Guilhermina, os locais mais afetados, ainda neste mês e discutiu a continuidade do convênio para a repavimentação de ruas, sem dar uma solução para o caso.

Os buracos são provocados por infiltrações de água ou esgoto e também pelos serviços inacabados da Sabesp. Todos eles foram fotografados e constam em um mapa que embasa o protesto de Alberto Mourão, que pressiona a estatal para a formalização de um convênio no montante de R$ 4 milhões para que a prefeitura possa realizar o trabalho de recuperação das ruas esburacadas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;