Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Corinthians bate Santos e tem vantagem na Libertadores



14/06/2012 | 00:08


O Corinthians conseguiu, nesta quarta-feira, um resultado importantíssimo pela semifinal da Copa Libertadores. Na Vila Belmiro, derrotou o Santos por 1 a 0 - gol do atacante Emerson, aos 27 minutos do primeiro tempo - e abriu vantagem na briga por uma vaga na decisão da competição continental, o que será um fato inédito na história do clube.

Na próxima quarta, desta vez no estádio do Pacaembu, em São Paulo, o Corinthians joga pelo empate para avançar à decisão - contra Boca Juniors, da Argentina, ou Universidad de Chile. Uma vitória do Santos por 1 a 0 levará a decisão para a disputa por pênaltis. Qualquer outra vitória santista dará a possibilidade da equipe de Neymar e Paulo Henrique Ganso de tentar o quarto título da Libertadores.

Em campo, o Corinthians mostrou raça e muita inteligência para jogar. Até a marcação do gol, o time paulistano foi melhor e não deu espaços para o Santos. Com a vantagem, recuou um pouco e preferiu jogar no contra-ataque. Sofreu pressão, principalmente no segundo tempo após a expulsão de Emerson aos 32 minutos, mas teve no goleiro Cássio a figura de destaque com importantes defesas.

O JOGO - O técnico Tite disse, nos dias que antecederam a partida desta quarta, que o Corinthians não iria se limitar a defender. Tinha consciência de que, mesmo com a solidez defensiva que caracteriza o seu time, seria muito arriscado deixar o Santos ficar rondando a sua área. Prometeu e cumpriu.

Desde o início, O Corinthians jogou de maneira ainda mais compacta no primeiro tempo. Marcou um pouco mais adiantado do que normalmente faz, procurou congestionar o meio de campo e, quando o Santos tinha a bola, fechou-se como de costume. Seus jogadores também procuravam movimentar-se bastante. Com isso, dominou o setor e o jogo. Não criava grandes oportunidades, mas também não permitia ao Santos assustar o goleiro Cássio. Em um lance isolado, aos 8 minutos, uma falta na entrada da área, pelo lado direito, Elano bateu fraco, no meio do gol e o arqueiro corintiano fez a defesa com tranquilidade.

No ataque, o Corinthians até que chegava com certa facilidade, mas o último passe antes da finalização era errado. Isso aconteceu com Emerson, com Jorge Henrique, com Danilo e, principalmente, com Alex, que tentava sempre o passe de primeira e o errava. Até que, aos 27 minutos, saiu o gol. Alex tocou no meio para Paulinho, que avançou até a entrada da área e fez o passe para Emerson no bico da área, pela esquerda. O atacante ajeitou a bola e chutou cruzado e alto, no ângulo esquerdo de Rafael.

Com a vantagem, o Corinthians recuou um pouco e deu mais posse de bola para o Santos, que não tinha a rapidez habitual de Neymar e Paulo Henrique Ganso. A única jogada que deu certo aconteceu aos 42 minutos, mas sem a presença dos dois. Adriano encontrou Juan livre na área e o lateral-esquerdo foi até o fundo para cruzar rasteiro para o meio. A bola chegou até Elano, que chutou fraco para o gol e viu Fábio Santos tirar a bola quase em cima da linha.

Na segunda etapa, o técnico Muricy Ramalho resolveu colocar Borges no lugar de Elano e a pressão santista aumentou. Tanto é que em dez minutos três oportunidades de gol foram criadas, por Borges (duas vezes) e Durval, mas as intervenções de Cássio foram vitais.

Aos 11 minutos, o Corinthians teve a sua chance mais clara para fazer o segundo gol e praticamente "matar" a partida. Emerson recebeu livre no meio de campo e só tinha Durval na sua frente. No entanto, ao invés de chutar ao gol ou fazer o passe ou até mesmo driblar o zagueiro, o corintiano resolveu cair no chão e nada foi marcado.

Emerson, aliás, que foi o pivô de um início de confusão. No início do segundo tempo, o atacante já havia recebido o cartão amarelo e, aos 32 minutos, fez uma falta por trás em Neymar e recebeu o vermelho. A partir daí, com um a menos, o Santos foi para cima e só não empatou graças a Cássio, principalmente em um chute de Juan, de dentro da área, espalmada de forma perfeita para escanteio.

Aos 37 minutos, em um contra-ataque do Corinthians, metade do sistema de iluminação da Vila Belmiro apagou e o jogo ficou paralisado por pouco mais de 15 minutos. Na volta, o time corintiano se fechou completamente, com a entrada do zagueiro Wallace no lugar de Alex, e conseguiu segurar a importante vitória na Vila Belmiro.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 0 x 1 CORINTHIANS

SANTOS - Rafael; Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan; Arouca (Felipe Anderson), Adriano, Elano (Borges) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Alan Kardec. Técnico: Muricy Ramalho.

CORINTHIANS - Cássio; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Alex (Wallace) e Danilo; Emerson e Jorge Henrique. Técnico: Tite.

GOL - Emerson, aos 27 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Neymar (Santos); Cássio, Chicão, Alessandro e Leandro Castán (Corinthians).

CARTÃO VERMELHO - Emerson (Corinthians).

ÁRBITRO - Marcelo de Lima Henrique (Fifa/RJ).

RENDA - R$ 969.701,00.

PÚBLICO - 14.788 pagantes.

LOCAL - Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Corinthians bate Santos e tem vantagem na Libertadores


14/06/2012 | 00:08


O Corinthians conseguiu, nesta quarta-feira, um resultado importantíssimo pela semifinal da Copa Libertadores. Na Vila Belmiro, derrotou o Santos por 1 a 0 - gol do atacante Emerson, aos 27 minutos do primeiro tempo - e abriu vantagem na briga por uma vaga na decisão da competição continental, o que será um fato inédito na história do clube.

Na próxima quarta, desta vez no estádio do Pacaembu, em São Paulo, o Corinthians joga pelo empate para avançar à decisão - contra Boca Juniors, da Argentina, ou Universidad de Chile. Uma vitória do Santos por 1 a 0 levará a decisão para a disputa por pênaltis. Qualquer outra vitória santista dará a possibilidade da equipe de Neymar e Paulo Henrique Ganso de tentar o quarto título da Libertadores.

Em campo, o Corinthians mostrou raça e muita inteligência para jogar. Até a marcação do gol, o time paulistano foi melhor e não deu espaços para o Santos. Com a vantagem, recuou um pouco e preferiu jogar no contra-ataque. Sofreu pressão, principalmente no segundo tempo após a expulsão de Emerson aos 32 minutos, mas teve no goleiro Cássio a figura de destaque com importantes defesas.

O JOGO - O técnico Tite disse, nos dias que antecederam a partida desta quarta, que o Corinthians não iria se limitar a defender. Tinha consciência de que, mesmo com a solidez defensiva que caracteriza o seu time, seria muito arriscado deixar o Santos ficar rondando a sua área. Prometeu e cumpriu.

Desde o início, O Corinthians jogou de maneira ainda mais compacta no primeiro tempo. Marcou um pouco mais adiantado do que normalmente faz, procurou congestionar o meio de campo e, quando o Santos tinha a bola, fechou-se como de costume. Seus jogadores também procuravam movimentar-se bastante. Com isso, dominou o setor e o jogo. Não criava grandes oportunidades, mas também não permitia ao Santos assustar o goleiro Cássio. Em um lance isolado, aos 8 minutos, uma falta na entrada da área, pelo lado direito, Elano bateu fraco, no meio do gol e o arqueiro corintiano fez a defesa com tranquilidade.

No ataque, o Corinthians até que chegava com certa facilidade, mas o último passe antes da finalização era errado. Isso aconteceu com Emerson, com Jorge Henrique, com Danilo e, principalmente, com Alex, que tentava sempre o passe de primeira e o errava. Até que, aos 27 minutos, saiu o gol. Alex tocou no meio para Paulinho, que avançou até a entrada da área e fez o passe para Emerson no bico da área, pela esquerda. O atacante ajeitou a bola e chutou cruzado e alto, no ângulo esquerdo de Rafael.

Com a vantagem, o Corinthians recuou um pouco e deu mais posse de bola para o Santos, que não tinha a rapidez habitual de Neymar e Paulo Henrique Ganso. A única jogada que deu certo aconteceu aos 42 minutos, mas sem a presença dos dois. Adriano encontrou Juan livre na área e o lateral-esquerdo foi até o fundo para cruzar rasteiro para o meio. A bola chegou até Elano, que chutou fraco para o gol e viu Fábio Santos tirar a bola quase em cima da linha.

Na segunda etapa, o técnico Muricy Ramalho resolveu colocar Borges no lugar de Elano e a pressão santista aumentou. Tanto é que em dez minutos três oportunidades de gol foram criadas, por Borges (duas vezes) e Durval, mas as intervenções de Cássio foram vitais.

Aos 11 minutos, o Corinthians teve a sua chance mais clara para fazer o segundo gol e praticamente "matar" a partida. Emerson recebeu livre no meio de campo e só tinha Durval na sua frente. No entanto, ao invés de chutar ao gol ou fazer o passe ou até mesmo driblar o zagueiro, o corintiano resolveu cair no chão e nada foi marcado.

Emerson, aliás, que foi o pivô de um início de confusão. No início do segundo tempo, o atacante já havia recebido o cartão amarelo e, aos 32 minutos, fez uma falta por trás em Neymar e recebeu o vermelho. A partir daí, com um a menos, o Santos foi para cima e só não empatou graças a Cássio, principalmente em um chute de Juan, de dentro da área, espalmada de forma perfeita para escanteio.

Aos 37 minutos, em um contra-ataque do Corinthians, metade do sistema de iluminação da Vila Belmiro apagou e o jogo ficou paralisado por pouco mais de 15 minutos. Na volta, o time corintiano se fechou completamente, com a entrada do zagueiro Wallace no lugar de Alex, e conseguiu segurar a importante vitória na Vila Belmiro.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 0 x 1 CORINTHIANS

SANTOS - Rafael; Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan; Arouca (Felipe Anderson), Adriano, Elano (Borges) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Alan Kardec. Técnico: Muricy Ramalho.

CORINTHIANS - Cássio; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Alex (Wallace) e Danilo; Emerson e Jorge Henrique. Técnico: Tite.

GOL - Emerson, aos 27 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Neymar (Santos); Cássio, Chicão, Alessandro e Leandro Castán (Corinthians).

CARTÃO VERMELHO - Emerson (Corinthians).

ÁRBITRO - Marcelo de Lima Henrique (Fifa/RJ).

RENDA - R$ 969.701,00.

PÚBLICO - 14.788 pagantes.

LOCAL - Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;