Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Pielonefrite

Infecção do aparelho urinário, geralmente provocada por bactéria...


Leo Kahn

10/05/2012 | 00:00


Infecção do aparelho urinário, geralmente provocada por bactéria mais raramente por vírus e fungos, podendo atingir um ou ambos os rins na forma aguda ou crônica. 

A pielonefrite é causada pelas bactérias gram-negativas que são flora normal no intestino. A escherichia coli, enterobacter, proteus, klebsiella causam as infecções do trato urinário nos bebês que utilizam fraudas, indivíduos com malformação congênita do sistema urinário, portadores de imunodeficiências, nos homens após os 70 anos devido ao aumento da próstata e mais frequentemente em mulheres a partir dos 50 anos. 

As infecções severas ou recorrentes podem causar dano permanente aos rins e ocasionar doença renal crônica, em alguns casos pode se espalhar para a corrente sanguínea ocasionando a sepscemia. Também pode ocorrer a insuficiência renal aguda quando os rins param de funcionar temporariamente.

SINAIS E SINTOMAS
- Podem surgir de forma progressiva ou repentina; - Dor nas costas, no lado ou na virilha;
- Necessidade de urinar urgente e frequente, mesmo à noite;
- Urinar muitas vezes, mas pouco de cada vez; 
- Urina concentrada e escura com odor forte;
- Sensação de mal-estar e calafrios;
- Ardência ao urinar;
- Febre;
- Náusea e vômito;
- Pus e sangue na urina.

O diagnóstico é realizado pelo médico após o histórico dos sintomas e através de exame de urina, urocultura e antibiograma. Pode ser necessário ainda o uso da ecografia abdominal, urografia, tomografia para observar se há cálculos renais, malformações e dilatação. 

SAIBA MAIS
- Beba dois litros de água ao dia;
- Geralmente a bactéria entra pelos genitais e desloca-se até à bexiga, progredindo pelos ureteres até os rins;
- Em casos raros a infecção pode ser proveniente de qualquer parte do corpo e passar para o rim através da corrente sanguínea;
- Nas crianças os sintomas são suaves, dificultando o reconhecimento por parte dos pais;
- O antibiótico cura a doença, mas não previne novos episódios;
- Após um mês de ter acabado o tratamento, deve ser repetido o exame à urina para verificar a eficácia da antibiótico terapia;
- Se a infecção for provocada por alguma obstrução ou malformação pode ser necessária intervenção cirúrgica para eliminar a causa;
- Na pielonefrite crônica a febre pode ser intermitente ou ausente;
- A pielonefrite crônica pode provocar hipertensão, síndrome nefrótica e insuficiência renal com necessidade de diálise;
- As causas mais comuns são infecções de bexiga, uso de cateter para drenar urina da bexiga;
- Uso de cistoscópio para exame da bexiga e uretra, cirurgia no trato urinário, aumento da próstata e pedras nos rins;
- Sempre que suspeitar de alguma alteração consulte o médico, neste caso o nefrologista ou urologista.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pielonefrite

Infecção do aparelho urinário, geralmente provocada por bactéria...

Leo Kahn

10/05/2012 | 00:00


Infecção do aparelho urinário, geralmente provocada por bactéria mais raramente por vírus e fungos, podendo atingir um ou ambos os rins na forma aguda ou crônica. 

A pielonefrite é causada pelas bactérias gram-negativas que são flora normal no intestino. A escherichia coli, enterobacter, proteus, klebsiella causam as infecções do trato urinário nos bebês que utilizam fraudas, indivíduos com malformação congênita do sistema urinário, portadores de imunodeficiências, nos homens após os 70 anos devido ao aumento da próstata e mais frequentemente em mulheres a partir dos 50 anos. 

As infecções severas ou recorrentes podem causar dano permanente aos rins e ocasionar doença renal crônica, em alguns casos pode se espalhar para a corrente sanguínea ocasionando a sepscemia. Também pode ocorrer a insuficiência renal aguda quando os rins param de funcionar temporariamente.

SINAIS E SINTOMAS
- Podem surgir de forma progressiva ou repentina; - Dor nas costas, no lado ou na virilha;
- Necessidade de urinar urgente e frequente, mesmo à noite;
- Urinar muitas vezes, mas pouco de cada vez; 
- Urina concentrada e escura com odor forte;
- Sensação de mal-estar e calafrios;
- Ardência ao urinar;
- Febre;
- Náusea e vômito;
- Pus e sangue na urina.

O diagnóstico é realizado pelo médico após o histórico dos sintomas e através de exame de urina, urocultura e antibiograma. Pode ser necessário ainda o uso da ecografia abdominal, urografia, tomografia para observar se há cálculos renais, malformações e dilatação. 

SAIBA MAIS
- Beba dois litros de água ao dia;
- Geralmente a bactéria entra pelos genitais e desloca-se até à bexiga, progredindo pelos ureteres até os rins;
- Em casos raros a infecção pode ser proveniente de qualquer parte do corpo e passar para o rim através da corrente sanguínea;
- Nas crianças os sintomas são suaves, dificultando o reconhecimento por parte dos pais;
- O antibiótico cura a doença, mas não previne novos episódios;
- Após um mês de ter acabado o tratamento, deve ser repetido o exame à urina para verificar a eficácia da antibiótico terapia;
- Se a infecção for provocada por alguma obstrução ou malformação pode ser necessária intervenção cirúrgica para eliminar a causa;
- Na pielonefrite crônica a febre pode ser intermitente ou ausente;
- A pielonefrite crônica pode provocar hipertensão, síndrome nefrótica e insuficiência renal com necessidade de diálise;
- As causas mais comuns são infecções de bexiga, uso de cateter para drenar urina da bexiga;
- Uso de cistoscópio para exame da bexiga e uretra, cirurgia no trato urinário, aumento da próstata e pedras nos rins;
- Sempre que suspeitar de alguma alteração consulte o médico, neste caso o nefrologista ou urologista.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;