Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

PSB e PV não aceitarão imposição do vice do PT

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Leandro Laranjeira
Do Diário do Grande ABC

15/05/2008 | 07:04


Aliados de primeira hora do governo petista na Câmara de Santo André - e na eleição municipal de outubro -, PSB e PV descartam aceitar imposição do PT na questão do nome do pré-candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada pelo deputado estadual Vanderlei Siraque.

As duas legendas, somadas a PCdoB, PHS, PSL e PRB, defendem que o cargo seja preenchido pelo sindicalista Cícero Firmino da Silva, o Martinha (PDT). No entanto, as últimas informações acerca do possível acerto entre PT e PTB colocaram os aliados em atenção.

"Quantos mais partidos fortes estiverem com a gente, melhor. Mas o PV não referendará um acordo sem conhecê-lo. Não se pode chegar aos 44 minutos do segundo tempo, com a prerrogativa de entrar na coligação apenas se tiver o vice", criticou o presidente do PV, vereador Donizeti Pereira, referindo-se aos petebistas.

Na opinião do verde, a sigla não pode ficar fora da discussão. "Assim como os demais aliados, abrimos mão de indicar um nome interno porque entendemos a importância de haver um consenso. Não queremos ficar alijados do processo, até porque o PTB sempre disputou eleição com candidatura própria e nunca esteve ao lado do PT", acrescentou.

O PSB segue a mesma linha de raciocínio. "Realmente, estamos diante de uma nova situação. O Aidan (Ravin, vereador petebista, pré-candidato a prefeito e um dos cotados a ser vice do PT) é um ótimo nome, mas existe um bloco que já indicou o vice (Martinha)", reforçou o presidente do PSB, vereador José Ricardo.

O socialista garantiu que a indicação do pedetista pode ser revista, mas desde que o PT consulte os aliados. "Não podemos dizer que a questão do Martinha como vice está sacramentada. Qualquer nome é bem-vindo para compor e podemos abrir uma nova negociação. Mas quem precisa dar os encaminhamentos são os partidos que integram a aliança", sustentou.

Outro lado - O PMDB desmentiu nesta quarta-feira a informação veiculada de que estaria disposto a abrir mão da disputa a fim de apoiar Aidan Ravin como vice do PT.

"Não há nada disso, até porque continuamos a pleitear a indicação do vice. Apenas disse acreditar que entre PTB e PDT, o Aidan tem mais condições de somar. É um diferencial.

Os votos que o Martinha trará já são do Siraque, diferentemente daqueles do Aidan", argumentou o presidente municipal da sigla, vereador Sargento Juliano.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

PSB e PV não aceitarão imposição do vice do PT

Leandro Laranjeira
Do Diário do Grande ABC

15/05/2008 | 07:04


Aliados de primeira hora do governo petista na Câmara de Santo André - e na eleição municipal de outubro -, PSB e PV descartam aceitar imposição do PT na questão do nome do pré-candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada pelo deputado estadual Vanderlei Siraque.

As duas legendas, somadas a PCdoB, PHS, PSL e PRB, defendem que o cargo seja preenchido pelo sindicalista Cícero Firmino da Silva, o Martinha (PDT). No entanto, as últimas informações acerca do possível acerto entre PT e PTB colocaram os aliados em atenção.

"Quantos mais partidos fortes estiverem com a gente, melhor. Mas o PV não referendará um acordo sem conhecê-lo. Não se pode chegar aos 44 minutos do segundo tempo, com a prerrogativa de entrar na coligação apenas se tiver o vice", criticou o presidente do PV, vereador Donizeti Pereira, referindo-se aos petebistas.

Na opinião do verde, a sigla não pode ficar fora da discussão. "Assim como os demais aliados, abrimos mão de indicar um nome interno porque entendemos a importância de haver um consenso. Não queremos ficar alijados do processo, até porque o PTB sempre disputou eleição com candidatura própria e nunca esteve ao lado do PT", acrescentou.

O PSB segue a mesma linha de raciocínio. "Realmente, estamos diante de uma nova situação. O Aidan (Ravin, vereador petebista, pré-candidato a prefeito e um dos cotados a ser vice do PT) é um ótimo nome, mas existe um bloco que já indicou o vice (Martinha)", reforçou o presidente do PSB, vereador José Ricardo.

O socialista garantiu que a indicação do pedetista pode ser revista, mas desde que o PT consulte os aliados. "Não podemos dizer que a questão do Martinha como vice está sacramentada. Qualquer nome é bem-vindo para compor e podemos abrir uma nova negociação. Mas quem precisa dar os encaminhamentos são os partidos que integram a aliança", sustentou.

Outro lado - O PMDB desmentiu nesta quarta-feira a informação veiculada de que estaria disposto a abrir mão da disputa a fim de apoiar Aidan Ravin como vice do PT.

"Não há nada disso, até porque continuamos a pleitear a indicação do vice. Apenas disse acreditar que entre PTB e PDT, o Aidan tem mais condições de somar. É um diferencial.

Os votos que o Martinha trará já são do Siraque, diferentemente daqueles do Aidan", argumentou o presidente municipal da sigla, vereador Sargento Juliano.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;