Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

USP é autuada por fabricaçao de remédio


Do Diário do Grande ABC

11/11/2000 | 00:01


A Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de Sao Paulo (USP) foi autuada nesta sexta-feira pela Vigilância Sanitária por causa da fabricaçao ilegal do remédio Agaricus. A faculdade pode receber uma multa de R$ 80 mil.

O produto nao tinha registro no Ministério da Saúde e prometia auxiliar no tratamento das seqüelas da Aids. O Agaricus era fabricado nas dependências da faculdade pelo professor titular Milton Leôncio Brazzachi e posteriormente vendido pelo laboratório OPX. A sala do professor foi interditada pela VS e materiais usados na fabricaçao foram apreendidos.

Informaçoes de funcionários da USP dao conta de que o professor produzia cerca de seis litros do remédio por semana e cobrava R$ 90 por um frasco contendo 30 ml.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

USP é autuada por fabricaçao de remédio

Do Diário do Grande ABC

11/11/2000 | 00:01


A Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de Sao Paulo (USP) foi autuada nesta sexta-feira pela Vigilância Sanitária por causa da fabricaçao ilegal do remédio Agaricus. A faculdade pode receber uma multa de R$ 80 mil.

O produto nao tinha registro no Ministério da Saúde e prometia auxiliar no tratamento das seqüelas da Aids. O Agaricus era fabricado nas dependências da faculdade pelo professor titular Milton Leôncio Brazzachi e posteriormente vendido pelo laboratório OPX. A sala do professor foi interditada pela VS e materiais usados na fabricaçao foram apreendidos.

Informaçoes de funcionários da USP dao conta de que o professor produzia cerca de seis litros do remédio por semana e cobrava R$ 90 por um frasco contendo 30 ml.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;