Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Irã ameaça rever a cooperação com a AIEA


Da AFP

10/11/2006 | 12:08


O principal negociador da questão nuclear iraniana, Ali Larijani, ameaçou nesta sexta-feira, em Moscou, rever sua cooperação com a AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) caso o Conselho de Segurança da ONU adote o projeto de resolução apresentado pelos europeus e que prevê sanções econômicas contra Teerã.

"Reexaminaremos nossas relações com a AIEA se a ONU adotar a resolução européia sem levar em conta as mudanças propostas pela Rússia", declarou Larijani, citado pela agência Interfax.

Após ter chegado pela manhã em Moscou para ‘negociações’ com o objetivo de "encontrar uma solução" para a crise iraniana, Larijani se reuniu com o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, antes de um encontro com seu colega do Conselho russo de Segurança, Igor Ivanov.

O alto representante iraniano fez referência ao projeto de resolução apresentado pelos europeus ao Conselho de Segurança da ONU e que ainda será debatido nesta quinta-feira em Nova York.

As seis grandes potências (os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, Estados Unidos, Rússia, China, Grã-Bretanha e França, mais a Alemanha) divergem em relação a este texto que prevê sanções econômicas e comerciais contra o Irã devido a sua recusa em suspender o enriquecimento de urânio.

A Rússia quer fazer mudanças com o objetivo de suprimir, entre outras, qualquer menção a sanções individuais contra os iranianos associadas a atividades nucleares, tais como a proibição de viagens e o congelamento dos bens financeiros no exterior.

Aliada tradicional do Irã, a Rússia procura desempenhar um papel decisivo na queda-de-braço entre Teerã e a comunidade internacional.

Moscou elaborou uma proposta visando conciliar as ambições energéticas iranianas e as preocupações ocidentais, criando uma companhia comum russo-iraniana que poderia enriquecer urânio iraniano em território russo.

"Esta proposta nunca foi rejeitada e continua na mesa de negociações", declarou Larijani. "A discussão a respeito deste tema continua", acrescentou, citado pela agência Ria Novosti. O líder negociador iraniano insistiu que seu país estava disposto a encontrar uma saída para a crise.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Irã ameaça rever a cooperação com a AIEA

Da AFP

10/11/2006 | 12:08


O principal negociador da questão nuclear iraniana, Ali Larijani, ameaçou nesta sexta-feira, em Moscou, rever sua cooperação com a AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) caso o Conselho de Segurança da ONU adote o projeto de resolução apresentado pelos europeus e que prevê sanções econômicas contra Teerã.

"Reexaminaremos nossas relações com a AIEA se a ONU adotar a resolução européia sem levar em conta as mudanças propostas pela Rússia", declarou Larijani, citado pela agência Interfax.

Após ter chegado pela manhã em Moscou para ‘negociações’ com o objetivo de "encontrar uma solução" para a crise iraniana, Larijani se reuniu com o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, antes de um encontro com seu colega do Conselho russo de Segurança, Igor Ivanov.

O alto representante iraniano fez referência ao projeto de resolução apresentado pelos europeus ao Conselho de Segurança da ONU e que ainda será debatido nesta quinta-feira em Nova York.

As seis grandes potências (os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, Estados Unidos, Rússia, China, Grã-Bretanha e França, mais a Alemanha) divergem em relação a este texto que prevê sanções econômicas e comerciais contra o Irã devido a sua recusa em suspender o enriquecimento de urânio.

A Rússia quer fazer mudanças com o objetivo de suprimir, entre outras, qualquer menção a sanções individuais contra os iranianos associadas a atividades nucleares, tais como a proibição de viagens e o congelamento dos bens financeiros no exterior.

Aliada tradicional do Irã, a Rússia procura desempenhar um papel decisivo na queda-de-braço entre Teerã e a comunidade internacional.

Moscou elaborou uma proposta visando conciliar as ambições energéticas iranianas e as preocupações ocidentais, criando uma companhia comum russo-iraniana que poderia enriquecer urânio iraniano em território russo.

"Esta proposta nunca foi rejeitada e continua na mesa de negociações", declarou Larijani. "A discussão a respeito deste tema continua", acrescentou, citado pela agência Ria Novosti. O líder negociador iraniano insistiu que seu país estava disposto a encontrar uma saída para a crise.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;