Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Soldados patrulham Santiago após protestos contra alta das tarifas de transporte



19/10/2019 | 15:09


Soldados estão patrulhando as ruas de Santiago, capital do Chile, pela primeira vez desde o fim da ditadura militar do general Augusto Pinochet, em 1990. A presença militar ocorre após o presidente, Sebastián Piñera, ter declarado estado de emergência como resposta ao caos que se instalou na cidade com os protestos estudantis contra elevação das tarifas de ônibus e metrô.

Na sexta-feira, manifestantes danificaram e atearam fogo à entrada de várias estações de metrô, atrapalhando o deslocamento dos habitantes de Santiago. Segundo as autoridades chilenas, 156 policiais e 11 civis ficaram feridos, e mais de 300 pessoas foram detidas.

Neste sábado, as ruas de Santiago amanheceram mais calmas, mas novos protestos romperam ao meio-dia. A polícia disparou gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Soldados patrulham Santiago após protestos contra alta das tarifas de transporte


19/10/2019 | 15:09


Soldados estão patrulhando as ruas de Santiago, capital do Chile, pela primeira vez desde o fim da ditadura militar do general Augusto Pinochet, em 1990. A presença militar ocorre após o presidente, Sebastián Piñera, ter declarado estado de emergência como resposta ao caos que se instalou na cidade com os protestos estudantis contra elevação das tarifas de ônibus e metrô.

Na sexta-feira, manifestantes danificaram e atearam fogo à entrada de várias estações de metrô, atrapalhando o deslocamento dos habitantes de Santiago. Segundo as autoridades chilenas, 156 policiais e 11 civis ficaram feridos, e mais de 300 pessoas foram detidas.

Neste sábado, as ruas de Santiago amanheceram mais calmas, mas novos protestos romperam ao meio-dia. A polícia disparou gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes. Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;