Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

PRB destitui Vaguinho da presidência

Avaliação interna de lideranças é a de que sigla quer seguir com governo nas eleições de 2020


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

19/08/2019 | 07:00


 O comando do PRB paulista destituiu o ex-prefeiturável Vaguinho do Conselho do comando do diretório do partido em Diadema. Internamente, lideranças da sigla avaliam que a cúpula estadual do partido estaria sinalizando querer caminhar com o candidato governista na eleição do ano que vem. Atualmente, o PRB faz oposição ao prefeito Lauro Michels (PV) na Câmara.

A saída de Vaguinho do comando da legenda ocorre em momento em que o republicano está inelegível – ainda cabe recurso no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) – e ensaia deixar o partido.

No Legislativo, um dos vereadores da bancada, Ricardo Yoshio, se coloca como possível candidato a prefeito, mas também foi preterido da nova comissão provisória, atualmente sob o comando do médico Saulo da Costa e Silva, candidato derrotado a deputado estadual nas eleições do ano passado. O agora presidente não teve apoio dos correligionários no pleito passado. Vaguinho pediu votos para o hoje deputado Thiago Auricchio (PL), que tem base em São Caetano e é filho do prefeito José Auricchio Júnior (PSDB), e, Cicinho, para Carla Morando (PSDB), cujo domicílio eleitoral é em São Bernardo. 

A mudança no comando da sigla também refletiu no Legislativo. Então líder da bancada na casa, Cicinho foi substituído por Pastor João Gomes. “Não fomos procurados (pelo comando do partido no estado) para discussão sobre essas mudanças e sobre candidatura majoritária dentro do partido. Hoje temos dois nomes (para serem possíveis prefeituráveis), que é o Vaguinho e o próprio Yoshio. Por que trabalhar um terceiro nome?”, criticou Cicinho, em referência à possibilidade de a legenda apostar em candidato ligado ao governo Lauro.

Então coadjuvante na cidade, o PRB teve desempenho inédito no pleito de 2016, quando Vaguinho foi ao segundo turno da eleição com Lauro, que derrotou o republicano por 57,67% a 42,33%. Na corrida por vaga no Legislativo diademense, o partido conquistou três cadeiras. 

Caso o partido siga preterindo os vereadores, a tendência é a de que os parlamentares busquem trocar de sigla para disputar a reeleição no pleito de 2020.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

PRB destitui Vaguinho da presidência

Avaliação interna de lideranças é a de que sigla quer seguir com governo nas eleições de 2020

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

19/08/2019 | 07:00


 O comando do PRB paulista destituiu o ex-prefeiturável Vaguinho do Conselho do comando do diretório do partido em Diadema. Internamente, lideranças da sigla avaliam que a cúpula estadual do partido estaria sinalizando querer caminhar com o candidato governista na eleição do ano que vem. Atualmente, o PRB faz oposição ao prefeito Lauro Michels (PV) na Câmara.

A saída de Vaguinho do comando da legenda ocorre em momento em que o republicano está inelegível – ainda cabe recurso no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) – e ensaia deixar o partido.

No Legislativo, um dos vereadores da bancada, Ricardo Yoshio, se coloca como possível candidato a prefeito, mas também foi preterido da nova comissão provisória, atualmente sob o comando do médico Saulo da Costa e Silva, candidato derrotado a deputado estadual nas eleições do ano passado. O agora presidente não teve apoio dos correligionários no pleito passado. Vaguinho pediu votos para o hoje deputado Thiago Auricchio (PL), que tem base em São Caetano e é filho do prefeito José Auricchio Júnior (PSDB), e, Cicinho, para Carla Morando (PSDB), cujo domicílio eleitoral é em São Bernardo. 

A mudança no comando da sigla também refletiu no Legislativo. Então líder da bancada na casa, Cicinho foi substituído por Pastor João Gomes. “Não fomos procurados (pelo comando do partido no estado) para discussão sobre essas mudanças e sobre candidatura majoritária dentro do partido. Hoje temos dois nomes (para serem possíveis prefeituráveis), que é o Vaguinho e o próprio Yoshio. Por que trabalhar um terceiro nome?”, criticou Cicinho, em referência à possibilidade de a legenda apostar em candidato ligado ao governo Lauro.

Então coadjuvante na cidade, o PRB teve desempenho inédito no pleito de 2016, quando Vaguinho foi ao segundo turno da eleição com Lauro, que derrotou o republicano por 57,67% a 42,33%. Na corrida por vaga no Legislativo diademense, o partido conquistou três cadeiras. 

Caso o partido siga preterindo os vereadores, a tendência é a de que os parlamentares busquem trocar de sigla para disputar a reeleição no pleito de 2020.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;