Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Servidores da rede estadual de saúde podem entrar em greve


Do Diário OnLine

10/05/2002 | 11:55


Os servidores da rede estadual de saúde decidem nesta sexta-feira, em assembléia, se entram em greve por tempo indeterminado. A categoria reivindica aumento salarial, plano de carreira, reajuste no preço do vale-refeição e melhores condições de trabalho.

Caso a greve seja decidida, apenas os serviços de emergência continuarão funcionando. O sindicato promete avisar a população com antecedência sobre quando os serviços vão estar paralisados.

De acordo com Sônia Takeda, presidente do sindicato da categoria, um programa com as principais reivindicações da categoria foi entregue ao governador Geraldo Alckmin no ano passado, quando houve outra paralisação. No entanto, segundo ela, as autoridades não apresentaram propostas aos servidores.

Os servidores reúnem-se na Praça Roberto Gomes Pedrosa, nas proximidades do estádio do Morumbi, para protestar. Eles seguem para o Palácio dos Bandeirantes, a sede do Governo do Estado de São Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Servidores da rede estadual de saúde podem entrar em greve

Do Diário OnLine

10/05/2002 | 11:55


Os servidores da rede estadual de saúde decidem nesta sexta-feira, em assembléia, se entram em greve por tempo indeterminado. A categoria reivindica aumento salarial, plano de carreira, reajuste no preço do vale-refeição e melhores condições de trabalho.

Caso a greve seja decidida, apenas os serviços de emergência continuarão funcionando. O sindicato promete avisar a população com antecedência sobre quando os serviços vão estar paralisados.

De acordo com Sônia Takeda, presidente do sindicato da categoria, um programa com as principais reivindicações da categoria foi entregue ao governador Geraldo Alckmin no ano passado, quando houve outra paralisação. No entanto, segundo ela, as autoridades não apresentaram propostas aos servidores.

Os servidores reúnem-se na Praça Roberto Gomes Pedrosa, nas proximidades do estádio do Morumbi, para protestar. Eles seguem para o Palácio dos Bandeirantes, a sede do Governo do Estado de São Paulo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;