Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Trio decide, São Paulo ganha do Botafogo e segue invicto no Brasileirão

Ale Viana / Estadão Conteúdo  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Embalado por onze jogos de invencibilidade, o São Paulo vai cheio de moral para o clássico diante do Palmeiras, no próximo sábado, no Allianz Parque



30/05/2018 | 23:11


Embalado por onze jogos de invencibilidade, o São Paulo vai cheio de moral para o clássico diante do Palmeiras, no próximo sábado, no Allianz Parque. Nesta quarta-feira, o time comandado pelo técnico Diego Aguirre mais uma vez teve uma atuação consistente e, com gols de Nenê, Diego Souza e Everton, venceu o Botafogo por 3 a 2, pela 8ª rodada do Brasileirão.

O trio decisivo diante dos cariocas mostra que está cada dia mais entrosado. Abusou dos toques curtos e rápidos, mostrou posicionamento correto e oportunismo. O gol de Nenê veio de pênalti sofrido por Everton, que anotou o seu após contra-ataque de Diego Souza. E Diego Souza, de peito, como um centroavante, fez seu oitavo gol com a camisa tricolor, o quinto nos últimos cinco jogos.

Já de olho na partida diante dos palmeirenses, Aguirre montou um São Paulo com cinco novidades em relação à vitória sobre o América-MG, domingo passado. Edimar, Petros, Anderson Martins, Marcos Guilherme e Régis começaram jogando.

O treinador mostrou que seu "rodízio" no time, sem dar garantia de titularidade a ninguém, vem dando resultado. Pilhado em campo, o São Paulo manteve uma postura ofensiva durante toda a partida, com falhas pontuais em seu sistema defensivo.

O JOGO - Logo no primeiro minuto de jogo, um choque com Anderson Martins deixou o botafoguense João Pedro desacordado por alguns instantes no gramado do Morumbi. O atleta precisou deixar o campo de ambulância e passa por exames por ter batido a cabeça no chão. Apesar do susto, seu estado de saúde é estável.

A partida recomeçou agitada. Matheus Fernandes tentou de fora da área, mas faltou pontaria e a bola saiu pela direita. Em resposta, no minuto seguinte, Nenê tabelou com Edimar pela esquerda e carimbou a trave de Jefferson.

Com espaço pelas laterais, o Botafogo avançou e Lindoso passou para Léo Valência, que arriscou de fora da área e surpreendeu Sidão, aos 15 minutos. Um golaço para silenciar o Morumbi. Mas a resposta veio rapidamente. Everton foi derrubado na área por Igor Rabello. O árbitro marcou pênalti e, aos 19, Nenê deixou tudo igual.

As duas equipes continuaram na ofensiva. O Botafogo tentava aproveitar as bolas paradas pela direita, enquanto o São Paulo, no passe curto, tentava chegar mais perto do gol alvinegro. E deu certo. Aos 30, Marcos Guilherme viu Diego Souza na área e cruzou. De peito, o camisa 9 virou o placar.

Atrás no placar, o Botafogo tentou manter a pressão. Aproveitava falhas defensivas do meio-campo tricolor, mas parava antes de se aproximar do gol de Sidão. O São Paulo aproveitava a falta de atenção da zaga carioca, que perdia a bola com facilidade.

No fim da primeira etapa, Diego Souza encontrou Everton desmarcado pela esquerda. Aos 48, o atacante avançou e chutou cruzado, com força, sem chance para Jefferson: 3 a 1 para o São Paulo.

A segunda metade de jogo começou com boas oportunidades dos dois lados em menos de dez minutos. Após cobrança de falta de Léo Valência, Marcos Vinicius, de cabeça, carimbou o travessão tricolor. O São Paulo respondeu rápido com Marcos Guilherme, livre de marcação e cara a cara com Jefferson. Em velocidade, o atacante chutou para fora. Pouco depois, após cobrança de falta de Nenê perto da área, Jefferson buscou a bola no ângulo e impediu o quarto gol do São Paulo.

O São Paulo tentava aproveitar erros de marcação e de reposição do Botafogo, ainda mais constantes do que no primeiro tempo, para irritação da torcida alvinegra presente no Morumbi. O Botafogo reagiu, mostrou mais poder ofensivo, mas tinha dificuldades para finalizar e para passar dar marcação tricolor.

Aos 37 minutos, logo depois de entrar em campo, Rodrigo Pimpão aproveitou cruzamento de Léo Valência para descontar para o Botafogo, botando pressão no fim da partida no Morumbi. Mas não deu tempo. A vitória deixa o São Paulo com 16 pontos na tabela do Brasileirão, na liderança provisória, enquanto o Botafogo continua com nove.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 3 x 2 BOTAFOGO

SÃO PAULO - Sidão; Régis, Arboleda, Anderson Martins, Edimar; Jucilei, Petros, Nenê (Shaylon); Everton (Valdívia), Marcos Guilherme e Diego Souza (Liziero). Técnico: Diego Aguirre.

BOTAFOGO - Jefferson; Marcinho, Joel Carli, Igor Rabello e Moisés; Rodrigo Lindoso (Rodrigo Pimpão), Léo Valência, Matheus Fernandes, João Pedro (Marcos Vinicius) e Luiz Fernando (Aguirre); Kieza. Técnico: Alberto Valentim.

GOLS - Léo Valência, aos 15, Nenê (pênalti), aos 17, Diego Souza, aos 30, e Everton, aos 48 minutos do primeiro tempo. Rodrigo Pimpão, aos 37 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Marcos Vinicius, Joel Carli, Nenê e Matheus Fernandes.

ÁRBITRO - Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO).

RENDA - R$ 547.988,00.

PÚBLICO - 25.427 pagantes.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Trio decide, São Paulo ganha do Botafogo e segue invicto no Brasileirão

Embalado por onze jogos de invencibilidade, o São Paulo vai cheio de moral para o clássico diante do Palmeiras, no próximo sábado, no Allianz Parque


30/05/2018 | 23:11


Embalado por onze jogos de invencibilidade, o São Paulo vai cheio de moral para o clássico diante do Palmeiras, no próximo sábado, no Allianz Parque. Nesta quarta-feira, o time comandado pelo técnico Diego Aguirre mais uma vez teve uma atuação consistente e, com gols de Nenê, Diego Souza e Everton, venceu o Botafogo por 3 a 2, pela 8ª rodada do Brasileirão.

O trio decisivo diante dos cariocas mostra que está cada dia mais entrosado. Abusou dos toques curtos e rápidos, mostrou posicionamento correto e oportunismo. O gol de Nenê veio de pênalti sofrido por Everton, que anotou o seu após contra-ataque de Diego Souza. E Diego Souza, de peito, como um centroavante, fez seu oitavo gol com a camisa tricolor, o quinto nos últimos cinco jogos.

Já de olho na partida diante dos palmeirenses, Aguirre montou um São Paulo com cinco novidades em relação à vitória sobre o América-MG, domingo passado. Edimar, Petros, Anderson Martins, Marcos Guilherme e Régis começaram jogando.

O treinador mostrou que seu "rodízio" no time, sem dar garantia de titularidade a ninguém, vem dando resultado. Pilhado em campo, o São Paulo manteve uma postura ofensiva durante toda a partida, com falhas pontuais em seu sistema defensivo.

O JOGO - Logo no primeiro minuto de jogo, um choque com Anderson Martins deixou o botafoguense João Pedro desacordado por alguns instantes no gramado do Morumbi. O atleta precisou deixar o campo de ambulância e passa por exames por ter batido a cabeça no chão. Apesar do susto, seu estado de saúde é estável.

A partida recomeçou agitada. Matheus Fernandes tentou de fora da área, mas faltou pontaria e a bola saiu pela direita. Em resposta, no minuto seguinte, Nenê tabelou com Edimar pela esquerda e carimbou a trave de Jefferson.

Com espaço pelas laterais, o Botafogo avançou e Lindoso passou para Léo Valência, que arriscou de fora da área e surpreendeu Sidão, aos 15 minutos. Um golaço para silenciar o Morumbi. Mas a resposta veio rapidamente. Everton foi derrubado na área por Igor Rabello. O árbitro marcou pênalti e, aos 19, Nenê deixou tudo igual.

As duas equipes continuaram na ofensiva. O Botafogo tentava aproveitar as bolas paradas pela direita, enquanto o São Paulo, no passe curto, tentava chegar mais perto do gol alvinegro. E deu certo. Aos 30, Marcos Guilherme viu Diego Souza na área e cruzou. De peito, o camisa 9 virou o placar.

Atrás no placar, o Botafogo tentou manter a pressão. Aproveitava falhas defensivas do meio-campo tricolor, mas parava antes de se aproximar do gol de Sidão. O São Paulo aproveitava a falta de atenção da zaga carioca, que perdia a bola com facilidade.

No fim da primeira etapa, Diego Souza encontrou Everton desmarcado pela esquerda. Aos 48, o atacante avançou e chutou cruzado, com força, sem chance para Jefferson: 3 a 1 para o São Paulo.

A segunda metade de jogo começou com boas oportunidades dos dois lados em menos de dez minutos. Após cobrança de falta de Léo Valência, Marcos Vinicius, de cabeça, carimbou o travessão tricolor. O São Paulo respondeu rápido com Marcos Guilherme, livre de marcação e cara a cara com Jefferson. Em velocidade, o atacante chutou para fora. Pouco depois, após cobrança de falta de Nenê perto da área, Jefferson buscou a bola no ângulo e impediu o quarto gol do São Paulo.

O São Paulo tentava aproveitar erros de marcação e de reposição do Botafogo, ainda mais constantes do que no primeiro tempo, para irritação da torcida alvinegra presente no Morumbi. O Botafogo reagiu, mostrou mais poder ofensivo, mas tinha dificuldades para finalizar e para passar dar marcação tricolor.

Aos 37 minutos, logo depois de entrar em campo, Rodrigo Pimpão aproveitou cruzamento de Léo Valência para descontar para o Botafogo, botando pressão no fim da partida no Morumbi. Mas não deu tempo. A vitória deixa o São Paulo com 16 pontos na tabela do Brasileirão, na liderança provisória, enquanto o Botafogo continua com nove.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 3 x 2 BOTAFOGO

SÃO PAULO - Sidão; Régis, Arboleda, Anderson Martins, Edimar; Jucilei, Petros, Nenê (Shaylon); Everton (Valdívia), Marcos Guilherme e Diego Souza (Liziero). Técnico: Diego Aguirre.

BOTAFOGO - Jefferson; Marcinho, Joel Carli, Igor Rabello e Moisés; Rodrigo Lindoso (Rodrigo Pimpão), Léo Valência, Matheus Fernandes, João Pedro (Marcos Vinicius) e Luiz Fernando (Aguirre); Kieza. Técnico: Alberto Valentim.

GOLS - Léo Valência, aos 15, Nenê (pênalti), aos 17, Diego Souza, aos 30, e Everton, aos 48 minutos do primeiro tempo. Rodrigo Pimpão, aos 37 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Marcos Vinicius, Joel Carli, Nenê e Matheus Fernandes.

ÁRBITRO - Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO).

RENDA - R$ 547.988,00.

PÚBLICO - 25.427 pagantes.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;