Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Paulo Serra apresenta estatuto para GCM

Prefeito de Sto.André entregou texto que estabelece estrutura de cargos e salários da guarda


Humberto Domiciano
Do Diário do Grande ABC

29/11/2017 | 07:00


O prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), entregou na Câmara o projeto que moderniza o Estatuto da GCM (Guarda Civil Municipal). As principais novidades são a criação de uma tabela de cargos e salários para a entidade e de um código de conduta. Segundo o tucano, havia pleito de 28 anos para melhorias nas condições dos guardas.

De acordo com o texto enviado ao Legislativo, as remunerações da guarda começarão em R$ 2.525 e terão o teto, para a função de inspetor-chefe, de R$ 6.000. Já a escolaridade para os cargos permanece de Ensino Médio para o GCM e para a classe especial. Os demais postos mais graduados serão preenchidos por quem possui Ensino Superior completo.

Para o prefeito Paulo Serra, a nova legislação atende a uma demanda da categoria. “O estatuto tem característica de valorizar, sistematizar e normatizar a guarda. Cria também o sentido de corporação e dá legitimidade. Foram seis meses de trabalho para chegar a um modelo que se adeque à cidade”, afirmou. Na visão do chefe do Executivo, a aprovação da medida não afetará a contratação de novos profissionais para a guarda. “Temos um compromisso maior. Vamos avaliar se legalmente for possível ampliar o número de contratações. Se sim, a gente vai chamando. Existe o compromisso de fortalecer a instituição”, comentou Paulo Serra, ao referir-se à convocação de 30 agentes aprovados em concurso público, que deve ser realizada no início de 2018.

Segundo o Executivo, atualmente o efetivo municipal conta com 598 pessoas e um possível deficit de 250 soldados poderia ser suprido com contratações e também com remanejamento de pessoal e controle de bancos de horas.

O projeto de lei deve ser votado na terça-feira, já que não houve consenso para a votação na sessão de ontem. O líder de governo, Pedrinho Botaro (PSDB), destacou que os parlamentares pediram mais tempo para analisar a proposta. “Sabemos da importância do projeto e tentamos a inclusão na ordem do dia. Não foi possível de votar hoje (ontem), mas esperamos aprovar ainda neste ano”, prosseguiu. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Paulo Serra apresenta estatuto para GCM

Prefeito de Sto.André entregou texto que estabelece estrutura de cargos e salários da guarda

Humberto Domiciano
Do Diário do Grande ABC

29/11/2017 | 07:00


O prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), entregou na Câmara o projeto que moderniza o Estatuto da GCM (Guarda Civil Municipal). As principais novidades são a criação de uma tabela de cargos e salários para a entidade e de um código de conduta. Segundo o tucano, havia pleito de 28 anos para melhorias nas condições dos guardas.

De acordo com o texto enviado ao Legislativo, as remunerações da guarda começarão em R$ 2.525 e terão o teto, para a função de inspetor-chefe, de R$ 6.000. Já a escolaridade para os cargos permanece de Ensino Médio para o GCM e para a classe especial. Os demais postos mais graduados serão preenchidos por quem possui Ensino Superior completo.

Para o prefeito Paulo Serra, a nova legislação atende a uma demanda da categoria. “O estatuto tem característica de valorizar, sistematizar e normatizar a guarda. Cria também o sentido de corporação e dá legitimidade. Foram seis meses de trabalho para chegar a um modelo que se adeque à cidade”, afirmou. Na visão do chefe do Executivo, a aprovação da medida não afetará a contratação de novos profissionais para a guarda. “Temos um compromisso maior. Vamos avaliar se legalmente for possível ampliar o número de contratações. Se sim, a gente vai chamando. Existe o compromisso de fortalecer a instituição”, comentou Paulo Serra, ao referir-se à convocação de 30 agentes aprovados em concurso público, que deve ser realizada no início de 2018.

Segundo o Executivo, atualmente o efetivo municipal conta com 598 pessoas e um possível deficit de 250 soldados poderia ser suprido com contratações e também com remanejamento de pessoal e controle de bancos de horas.

O projeto de lei deve ser votado na terça-feira, já que não houve consenso para a votação na sessão de ontem. O líder de governo, Pedrinho Botaro (PSDB), destacou que os parlamentares pediram mais tempo para analisar a proposta. “Sabemos da importância do projeto e tentamos a inclusão na ordem do dia. Não foi possível de votar hoje (ontem), mas esperamos aprovar ainda neste ano”, prosseguiu. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;