Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Buraco no meio da rua atrapalha a vida de motoristas em Diadema

Sabesp afirma que técnicos da companhia farão o reparo ainda hoje


Matheus Angioleto

22/11/2017 | 07:00


“Faz mais ou menos dez dias que o buraco está aí, e um motoqueiro quase caiu porque passou rápido pelo local.” A frase do aposentado Hélio Morais, 60 anos, que falou rapidamente à equipe do <CF52>Diário</CF> enquanto aguardava o ônibus, exemplifica os problemas causados por buraco no encontro da Avenida Fagundes de Oliveira com a Rua Georg Rexrot, no bairro Piraporinha, em Diadema. 

A fissura no asfalto, sinalizada por cone com a base parcialmente coberta por água de esgoto, atrapalha a vida de motoristas, que precisam desviar do buraco no meio da pista.

Utilizar a contramão ou parte da pista colada à calçada foi saída comum tomada por condutores enquanto a equipe do Diário esteve no local. O odor que chega às ruas próximas é incômodo para quem trabalha com alimentos e precisa de condições satisfatórias de produção. Medidas efetivas que solucionem o problema são cobradas por quem tem de viver diariamente com o transtorno.

Caso do comerciante Eliomar Ferreira Leite, 49 anos, que há quatro anos e meio mantém bar na Rua Georg Rexroth, na esquina com a Fagundes de Oliveira. Na parte interior do comércio é possível sentir o mau cheiro. Para ele, o problema merece atenção imediata. “Está no meio da avenida, que tem grande fluxo e tem hora que sobe um mau cheiro danado. Não teve acidentes, mas um motoqueiro quase caiu, porque quando se deparou com o buraco já estava em cima e não dava para parar”, lamenta.

A situação detalhada por Leite é criticada pelo motorista José Unaldo dos Santos, 63, que circulava na área que fica próxima à empresa onde trabalha. “Os caras abrem o buraco e não fecham, mas é algo urgente, porque acidentes acontecem. É totalmente errado, além do que os carros têm de passar aí. Acidente é algo que acontece rápido”, relata.

>Por meio de nota, a Sabesp lamentou os trasntornos e informou que na tarde de ontem desentupiu a rede coletora de esgotos no local. Também afirmou que na manhã de hoje técnicos da companhia farão o recapeamento asfáltico. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Buraco no meio da rua atrapalha a vida de motoristas em Diadema

Sabesp afirma que técnicos da companhia farão o reparo ainda hoje

Matheus Angioleto

22/11/2017 | 07:00


“Faz mais ou menos dez dias que o buraco está aí, e um motoqueiro quase caiu porque passou rápido pelo local.” A frase do aposentado Hélio Morais, 60 anos, que falou rapidamente à equipe do <CF52>Diário</CF> enquanto aguardava o ônibus, exemplifica os problemas causados por buraco no encontro da Avenida Fagundes de Oliveira com a Rua Georg Rexrot, no bairro Piraporinha, em Diadema. 

A fissura no asfalto, sinalizada por cone com a base parcialmente coberta por água de esgoto, atrapalha a vida de motoristas, que precisam desviar do buraco no meio da pista.

Utilizar a contramão ou parte da pista colada à calçada foi saída comum tomada por condutores enquanto a equipe do Diário esteve no local. O odor que chega às ruas próximas é incômodo para quem trabalha com alimentos e precisa de condições satisfatórias de produção. Medidas efetivas que solucionem o problema são cobradas por quem tem de viver diariamente com o transtorno.

Caso do comerciante Eliomar Ferreira Leite, 49 anos, que há quatro anos e meio mantém bar na Rua Georg Rexroth, na esquina com a Fagundes de Oliveira. Na parte interior do comércio é possível sentir o mau cheiro. Para ele, o problema merece atenção imediata. “Está no meio da avenida, que tem grande fluxo e tem hora que sobe um mau cheiro danado. Não teve acidentes, mas um motoqueiro quase caiu, porque quando se deparou com o buraco já estava em cima e não dava para parar”, lamenta.

A situação detalhada por Leite é criticada pelo motorista José Unaldo dos Santos, 63, que circulava na área que fica próxima à empresa onde trabalha. “Os caras abrem o buraco e não fecham, mas é algo urgente, porque acidentes acontecem. É totalmente errado, além do que os carros têm de passar aí. Acidente é algo que acontece rápido”, relata.

>Por meio de nota, a Sabesp lamentou os trasntornos e informou que na tarde de ontem desentupiu a rede coletora de esgotos no local. Também afirmou que na manhã de hoje técnicos da companhia farão o recapeamento asfáltico. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;