Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Azulão busca cenário nacional

Ricardo Trida/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

São Caetano precisa de vitória para ir à final
da Copinha e voltar às competições da CBF


Felipe Simões
Do Diário do Grande ABC

12/11/2016 | 07:00


Noventa minutos é o tempo que separa o São Caetano do retorno ao cenário nacional do futebol brasileiro. Às 18h, em Araraquara, o Azulão enfrenta a Ferroviária na volta da semifinal da Copa Paulista – a ida, no Anacleto Campanella, terminou 0 a 0 – e precisa de uma vitória simples para avançar à final e garantir vaga na Série D do Brasileiro ou na Copa do Brasil – só o desfecho da eventual decisão dirá – e marcar o retorno às competições organizadas pela CBF, das quais o clube esteve ausente nesta temporada. Em caso de qualquer empate, o finalista será definido nas cobranças de pênaltis.

Experiente, o técnico Luís Carlos Martins não quer bater na trave pela terceira vez no São Caetano – após insucessos na Série D de 2015 e na Série A-2 de 2016 – e aposta na manutenção da equipe e, principalmente, na defesa para sair de Araraquara com a vaga.

“O São Caetano é um time que toma poucos gols. Estamos marcando bem, diminuindo os espaços. Todo time que toma pouco gol passa tranquilidade para os jogadores”, disse o treinador, se referindo ao fato de o Azulão possuir a melhor média de gols sofridos na história da Copa Paulista – 0,37 tento por partida (sete gols em 19 apresentações).

“Não adianta inventar agora, as coisas estão correndo bem assim. O que tínhamos de fazer nós fizemos, agora é manter a tranquilidade e passar a tranquilidade para o grupo desempenhar dentro de campo”, avaliou o Rei do Acesso.

A única alteração na equipe será por força das suspensões de Esley e Paulinho Santos. O treinador não alterará o jeito de jogar do time, mas ainda não definiu quem entra como titular – Eduardo Luiz ou Gercimar. Em ambos os casos, Martins ganha poder de marcação contra o jovem time da Ferroviária, que se notabilizou por aplicar goleadas – em quatro oportunidades, fez cinco gols.

“Estou esperando um jogo rápido, o time deles também gosta de sair no contra-ataque”, alertou Martins.

Do lado da Ferrinha, a dúvida do técnico Antônio Picoli é poder contar com o atacante Wellington, artilheiro da equipe na competição, com sete gols, que volta de lesão. Caso ele não retorne, Bruno Lopes será o titular.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Azulão busca cenário nacional

São Caetano precisa de vitória para ir à final
da Copinha e voltar às competições da CBF

Felipe Simões
Do Diário do Grande ABC

12/11/2016 | 07:00


Noventa minutos é o tempo que separa o São Caetano do retorno ao cenário nacional do futebol brasileiro. Às 18h, em Araraquara, o Azulão enfrenta a Ferroviária na volta da semifinal da Copa Paulista – a ida, no Anacleto Campanella, terminou 0 a 0 – e precisa de uma vitória simples para avançar à final e garantir vaga na Série D do Brasileiro ou na Copa do Brasil – só o desfecho da eventual decisão dirá – e marcar o retorno às competições organizadas pela CBF, das quais o clube esteve ausente nesta temporada. Em caso de qualquer empate, o finalista será definido nas cobranças de pênaltis.

Experiente, o técnico Luís Carlos Martins não quer bater na trave pela terceira vez no São Caetano – após insucessos na Série D de 2015 e na Série A-2 de 2016 – e aposta na manutenção da equipe e, principalmente, na defesa para sair de Araraquara com a vaga.

“O São Caetano é um time que toma poucos gols. Estamos marcando bem, diminuindo os espaços. Todo time que toma pouco gol passa tranquilidade para os jogadores”, disse o treinador, se referindo ao fato de o Azulão possuir a melhor média de gols sofridos na história da Copa Paulista – 0,37 tento por partida (sete gols em 19 apresentações).

“Não adianta inventar agora, as coisas estão correndo bem assim. O que tínhamos de fazer nós fizemos, agora é manter a tranquilidade e passar a tranquilidade para o grupo desempenhar dentro de campo”, avaliou o Rei do Acesso.

A única alteração na equipe será por força das suspensões de Esley e Paulinho Santos. O treinador não alterará o jeito de jogar do time, mas ainda não definiu quem entra como titular – Eduardo Luiz ou Gercimar. Em ambos os casos, Martins ganha poder de marcação contra o jovem time da Ferroviária, que se notabilizou por aplicar goleadas – em quatro oportunidades, fez cinco gols.

“Estou esperando um jogo rápido, o time deles também gosta de sair no contra-ataque”, alertou Martins.

Do lado da Ferrinha, a dúvida do técnico Antônio Picoli é poder contar com o atacante Wellington, artilheiro da equipe na competição, com sete gols, que volta de lesão. Caso ele não retorne, Bruno Lopes será o titular.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;