Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 11 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Suzantur não possui controle da sua frota

Anderson Silva/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Somente 85% dos ônibus da empresa têm GPS incorporado ao sistema de monitoramento


Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

10/11/2016 | 07:00


 Após um mês de operação em Santo André, a Suzantur ainda patina para ter controle total sobre sua frota de coletivos que tem circulado na cidade. Segundo dados da própria Prefeitura, somente 85% dos ônibus da empresa possuem GPS.

O item, que é uma exigência feita no edital formulado pelo prefeito Carlos Grana (PT), tem sido ignorado pela empresa. Conforme previsto em contrato, no tópico 2.5.8, a Suzantur tinha obrigação de, no prazo de 30 dias, disponibilizar em todos os veículos de sua frota equipamento para localização automática de veículos, por meio de GPS, com a instalação do mesmo já vistoriada pela SATrans (autarquia responsável pelo transporte municipal), dentro desse mesmo período”. No entanto, a regra tem sido descumprida.

De acordo com o Paço, ainda “está sendo montada uma central de monitoramento” para os coletivos da empresa serem controlados. Porém, o Paço não cita qualquer punição para a empresa pelo descumprimento da exigência, como é previsto em contrato.

Conforme noticiado pelo Diário, a Suzantur tem ignorado série de exigências contratuais. Em todas elas são previstas sanções administrativas, no entanto, a Prefeitura não se manifestou sobre o assunto.

 

JUSTIÇA ELEITORAL

O juiz Marcio Bonetti do Tribunal Regional Eleitoral indeferiu ação do Partido Democratas de Santo André que pedia a suspensão do contrato emergencial pela Prefeitura que culminou na seleção da Suzantur para operar 15 linhas de ônibus municipais.

A ação impetrada pelo advogado Fernando Marangoni tinha como argumentação possível “abuso de poder político envolvendo a rescisão de um contrato de serviços de transportes vigente com a empresa Expresso Guarará”.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Suzantur não possui controle da sua frota

Somente 85% dos ônibus da empresa têm GPS incorporado ao sistema de monitoramento

Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

10/11/2016 | 07:00


 Após um mês de operação em Santo André, a Suzantur ainda patina para ter controle total sobre sua frota de coletivos que tem circulado na cidade. Segundo dados da própria Prefeitura, somente 85% dos ônibus da empresa possuem GPS.

O item, que é uma exigência feita no edital formulado pelo prefeito Carlos Grana (PT), tem sido ignorado pela empresa. Conforme previsto em contrato, no tópico 2.5.8, a Suzantur tinha obrigação de, no prazo de 30 dias, disponibilizar em todos os veículos de sua frota equipamento para localização automática de veículos, por meio de GPS, com a instalação do mesmo já vistoriada pela SATrans (autarquia responsável pelo transporte municipal), dentro desse mesmo período”. No entanto, a regra tem sido descumprida.

De acordo com o Paço, ainda “está sendo montada uma central de monitoramento” para os coletivos da empresa serem controlados. Porém, o Paço não cita qualquer punição para a empresa pelo descumprimento da exigência, como é previsto em contrato.

Conforme noticiado pelo Diário, a Suzantur tem ignorado série de exigências contratuais. Em todas elas são previstas sanções administrativas, no entanto, a Prefeitura não se manifestou sobre o assunto.

 

JUSTIÇA ELEITORAL

O juiz Marcio Bonetti do Tribunal Regional Eleitoral indeferiu ação do Partido Democratas de Santo André que pedia a suspensão do contrato emergencial pela Prefeitura que culminou na seleção da Suzantur para operar 15 linhas de ônibus municipais.

A ação impetrada pelo advogado Fernando Marangoni tinha como argumentação possível “abuso de poder político envolvendo a rescisão de um contrato de serviços de transportes vigente com a empresa Expresso Guarará”.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;