Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Estudo indica queda da mortalidade infantil no Brasil


Do Diário do Grande ABC

06/06/2000 | 11:20


A estimativa para a taxa de mortalidade infantil neste ano no Brasil é de 35,3 por mil habitantes, segundo o IBGE, que divulgou nesta terça-feira os resultados do estudo "Evoluçao e Perspectiva da Mortalidade Infantil no Brasil". O estudo mostra o progresso na reduçao da mortalidade das crianças principalmente a partir da década de 70, quando a taxa era de 115 falecimentos de menores de um ano por mil nascidos vivos. Em 1990, a taxa caiu para 48 mortes por mil.

O estudo do IBGE mostra que o Nordeste, mesmo com a queda deste índice, ainda tem os maiores níveis de falecimentos deste grupo da populaçao, em relaçao à média nacional. A comparaçao com os índices do Sudeste e Sul é ainda mais desfavorável. Em 1990, a mortalidade infantil no Nordeste era estimada em 74,3 óbitos por mil nascidos vivos. Neste ano, a estimativa do IBGE é que a taxa caia para 56 por mil em 2000. A taxa é bem superior à estimada para o Sudeste (24 mortes por mil) e Sul (22 mortes por mil).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Estudo indica queda da mortalidade infantil no Brasil

Do Diário do Grande ABC

06/06/2000 | 11:20


A estimativa para a taxa de mortalidade infantil neste ano no Brasil é de 35,3 por mil habitantes, segundo o IBGE, que divulgou nesta terça-feira os resultados do estudo "Evoluçao e Perspectiva da Mortalidade Infantil no Brasil". O estudo mostra o progresso na reduçao da mortalidade das crianças principalmente a partir da década de 70, quando a taxa era de 115 falecimentos de menores de um ano por mil nascidos vivos. Em 1990, a taxa caiu para 48 mortes por mil.

O estudo do IBGE mostra que o Nordeste, mesmo com a queda deste índice, ainda tem os maiores níveis de falecimentos deste grupo da populaçao, em relaçao à média nacional. A comparaçao com os índices do Sudeste e Sul é ainda mais desfavorável. Em 1990, a mortalidade infantil no Nordeste era estimada em 74,3 óbitos por mil nascidos vivos. Neste ano, a estimativa do IBGE é que a taxa caia para 56 por mil em 2000. A taxa é bem superior à estimada para o Sudeste (24 mortes por mil) e Sul (22 mortes por mil).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;