Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 15 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Secretário-executivo da Fazenda defende alíquota menor para CPMF


Da Agência Brasil

06/06/2006 | 19:22


O secretário executivo do Ministério da Fazenda, Bernardo Appy, defendeu nesta terça-feira uma alíquota menor para a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira). O imposto provisório de 0,38% cobrado sobre cheques e movimentações bancárias é prorrogado há três anos pelo governo.

Em audiência na CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) do Senado, o secretário executivo disse que a CPMF é de grande importância no controle das operações bancárias, além de carrear R$ 14 bilhões por ano para os cofres públicos.

Appy admitiu que é favorável à redução da alíquota atual, mas fez questão de frisar que se trata de uma posição pessoal, e não de governo. Em resposta a questionamento do senador Eduardo Suplicy (PT-SP), ele disse que gostaria de dar caráter definitivo à CPMF, mas "com carga tributária menor".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Secretário-executivo da Fazenda defende alíquota menor para CPMF

Da Agência Brasil

06/06/2006 | 19:22


O secretário executivo do Ministério da Fazenda, Bernardo Appy, defendeu nesta terça-feira uma alíquota menor para a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira). O imposto provisório de 0,38% cobrado sobre cheques e movimentações bancárias é prorrogado há três anos pelo governo.

Em audiência na CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) do Senado, o secretário executivo disse que a CPMF é de grande importância no controle das operações bancárias, além de carrear R$ 14 bilhões por ano para os cofres públicos.

Appy admitiu que é favorável à redução da alíquota atual, mas fez questão de frisar que se trata de uma posição pessoal, e não de governo. Em resposta a questionamento do senador Eduardo Suplicy (PT-SP), ele disse que gostaria de dar caráter definitivo à CPMF, mas "com carga tributária menor".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;