Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

IBGE: Produção da indústria caiu em 8 das 14 regiões pesquisadas


Do Diário OnLine
Com Agências

11/11/2005 | 10:37


A produção industrial brasileira registrou queda em oito dos 14 Estados pesquisados em setembro, em comparação ao mesmo mês do ano passado. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira.

Com crescimento, acima do índice nacional (0,2%), situaram-se: Minas Gerais (4,8%), Pará (4,7%), Rio de Janeiro (4,4%), Amazonas (2,6%), Bahia (2,4%) e Espírito Santo (2,3%). Todas as regiões que ficaram abaixo da média registraram taxas negativas: São Paulo (-1,1%), interrompendo uma seqüência de 22 resultados positivos, Pernambuco (-1,8%), Rio Grande do Sul (-2,8%), região Nordeste (-3,2%), Goiás (-6,8%). Em Santa Catarina, Paraná e Ceará a redução chegou aos dois dígitos: -10,2%, -11,6%, -12,4%, respectivamente.

No terceiro trimestre de 2005, a indústria do Amazonas manteve o maior desempenho entre as regiões, com taxa de 8,1%, apoiada no crescimento da produção de telefones celulares e televisores. Bahia (7,0%), Minas Gerais (5,2%), Rio de Janeiro (2,2%) e São Paulo (1,6%) também cresceram acima da média nacional (1,5%). Nesses locais destacaram-se, respectivamente, os itens: óleo diesel, minérios de ferro, petróleo e revistas e jornais.

São Paulo - Em setembro, a indústria de São Paulo, com uma redução de 1,1% em relação a igual mês do ano anterior, apresentou o menor resultado do ano. Com a queda no indicador mensal, a produção acumulada no período janeiro-setembro (4,6%) ficou abaixo da registrada em agosto (5,4%) e o indicador acumulado nos últimos doze meses acentuou a trajetória de desaceleração ao registrar 5,6% de expansão contra 7,1% em agosto. O terceiro trimestre do ano apresentou crescimento de 1,6%, ligeiramente superior à média nacional (1,5%).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

IBGE: Produção da indústria caiu em 8 das 14 regiões pesquisadas

Do Diário OnLine
Com Agências

11/11/2005 | 10:37


A produção industrial brasileira registrou queda em oito dos 14 Estados pesquisados em setembro, em comparação ao mesmo mês do ano passado. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira.

Com crescimento, acima do índice nacional (0,2%), situaram-se: Minas Gerais (4,8%), Pará (4,7%), Rio de Janeiro (4,4%), Amazonas (2,6%), Bahia (2,4%) e Espírito Santo (2,3%). Todas as regiões que ficaram abaixo da média registraram taxas negativas: São Paulo (-1,1%), interrompendo uma seqüência de 22 resultados positivos, Pernambuco (-1,8%), Rio Grande do Sul (-2,8%), região Nordeste (-3,2%), Goiás (-6,8%). Em Santa Catarina, Paraná e Ceará a redução chegou aos dois dígitos: -10,2%, -11,6%, -12,4%, respectivamente.

No terceiro trimestre de 2005, a indústria do Amazonas manteve o maior desempenho entre as regiões, com taxa de 8,1%, apoiada no crescimento da produção de telefones celulares e televisores. Bahia (7,0%), Minas Gerais (5,2%), Rio de Janeiro (2,2%) e São Paulo (1,6%) também cresceram acima da média nacional (1,5%). Nesses locais destacaram-se, respectivamente, os itens: óleo diesel, minérios de ferro, petróleo e revistas e jornais.

São Paulo - Em setembro, a indústria de São Paulo, com uma redução de 1,1% em relação a igual mês do ano anterior, apresentou o menor resultado do ano. Com a queda no indicador mensal, a produção acumulada no período janeiro-setembro (4,6%) ficou abaixo da registrada em agosto (5,4%) e o indicador acumulado nos últimos doze meses acentuou a trajetória de desaceleração ao registrar 5,6% de expansão contra 7,1% em agosto. O terceiro trimestre do ano apresentou crescimento de 1,6%, ligeiramente superior à média nacional (1,5%).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;