Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Sto.André nao muda regimento e painel continua ocioso


Gislayne Jacinto
Da Redaçao

09/06/2000 | 00:03


  A Câmara de Santo André adiou nesta quinta, mais uma vez, a mudança do Regimento Interno para que o painel eletrônico, comprado em agosto do ano passado, possa ser usado. Nesta sexta, nao sao previstas as votaçoes eletrônicas, só as nominais. As mudanças no regimento devem acontecer somente na quinta-feira da semana que vem.

O vice-líder do PT, José Montoro Filho, o Montorinho, disse que os vereadores estao aguardando alguns acertos técnicos no painel. Ele acrescentou que desde esta quinta a empresa Gimenez Nakazone está acertando alguns detalhes no equipamento.

O vereador Franco Masiero, líder do PTB, acha que alguns problemas teriam sido evitados se tivesse sido feito um estudo antes da compra do painel. Ele afirmou que há problemas, por exemplo, na interligaçao entre o sistema de vídeo e o equipamento. As sessoes sao todas gravadas, evitando, assim, o uso da taquigrafia. Por isso, há a necessidade de uma sintonia dos dois sistemas.

O painel já foi o alvo de uma CPI (Comissao Parlamentar de Inquérito). O equipamento virou uma espécie de elefante branco. Desde agosto do ano passado, quando foi comprado e instalado, o painel está ocioso por falta de acordo político entre governistas e oposiçao. O aparelho custou aos cofres públicos R$ 66 mil.

A Câmara de Santo André aprovou nesta quinta, em segunda votaçao, projeto de Montorinho que cria e autoriza a publicaçao de uma cartilha com as principais leis vigentes no município.

Masiero e Dinah Zekcer (PTB) acham que a iniciativa é boa, mas de difícil aplicabilidade. Segundo eles, seria difícil, por exemplo, incluir na cartilha a Lei de Zoneamento e o Código de Obras. "O volume é imenso", disse Masiero.

O projeto aprovado pela Câmara ainda depende de sançao do prefeito Celso Daniel. Se a medida for considerada inviável Celso pode vetar.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sto.André nao muda regimento e painel continua ocioso

Gislayne Jacinto
Da Redaçao

09/06/2000 | 00:03


  A Câmara de Santo André adiou nesta quinta, mais uma vez, a mudança do Regimento Interno para que o painel eletrônico, comprado em agosto do ano passado, possa ser usado. Nesta sexta, nao sao previstas as votaçoes eletrônicas, só as nominais. As mudanças no regimento devem acontecer somente na quinta-feira da semana que vem.

O vice-líder do PT, José Montoro Filho, o Montorinho, disse que os vereadores estao aguardando alguns acertos técnicos no painel. Ele acrescentou que desde esta quinta a empresa Gimenez Nakazone está acertando alguns detalhes no equipamento.

O vereador Franco Masiero, líder do PTB, acha que alguns problemas teriam sido evitados se tivesse sido feito um estudo antes da compra do painel. Ele afirmou que há problemas, por exemplo, na interligaçao entre o sistema de vídeo e o equipamento. As sessoes sao todas gravadas, evitando, assim, o uso da taquigrafia. Por isso, há a necessidade de uma sintonia dos dois sistemas.

O painel já foi o alvo de uma CPI (Comissao Parlamentar de Inquérito). O equipamento virou uma espécie de elefante branco. Desde agosto do ano passado, quando foi comprado e instalado, o painel está ocioso por falta de acordo político entre governistas e oposiçao. O aparelho custou aos cofres públicos R$ 66 mil.

A Câmara de Santo André aprovou nesta quinta, em segunda votaçao, projeto de Montorinho que cria e autoriza a publicaçao de uma cartilha com as principais leis vigentes no município.

Masiero e Dinah Zekcer (PTB) acham que a iniciativa é boa, mas de difícil aplicabilidade. Segundo eles, seria difícil, por exemplo, incluir na cartilha a Lei de Zoneamento e o Código de Obras. "O volume é imenso", disse Masiero.

O projeto aprovado pela Câmara ainda depende de sançao do prefeito Celso Daniel. Se a medida for considerada inviável Celso pode vetar.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;