Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 26 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Estado acelera corrida por indústrias

A crise é sinônimo de oportunidades. Exatos 202 municípios paulistas já se cadastraram no portal Investe São Paulo, quatro meses após o seu lançamento


Do Diário do Grande ABC

20/04/2015 | 07:00


A crise é sinônimo de oportunidades. Exatos 202 municípios paulistas já se cadastraram no portal Investe São Paulo, quatro meses após o seu lançamento. Cerca de 60 terrenos foram colocados à disposição de investidores que desejam atrair empreendimentos. A finalidade da ferramenta é disponibilizar de forma mais rápida e completa informações sobre as vantagens competitivas das cidades paulistas para a instalação de novas plantas produtivas. Agilizar, em outras palavras. “Assim fica mais fácil para a agência atender o investidor de forma ágil e precisa, cruzando as necessidades dos empreendedores com o que cada município tem para oferecer”, divulgou o órgão. Por meio de um login de acesso, os gestores podem cadastrar os terrenos disponíveis, informar a respeito da legislação tributária municipal e o plano diretor e elencar investimentos de infraestrutura recentes na cidade. A ideia é mostrar que a empresa pode ficar mais próxima de um cliente ou fornecedor estratégico instalado na região, entre outras facilidades. “Além de ganharmos eficiência na comunicação e intensificarmos a parceria com os municípios, padronizaremos o recebimento de informações, dando oportunidades iguais às cidades de participar do processo de escolha do local do empreendimento pelo investidor, respeitando as necessidades e exigências de cada empresa”, diz o presidente da agência, Juan Quirós. A sorte está lançada. Quem mais se habilita?

De vento em popa – 1
A indústria automotiva paulista fabricou 1.437.256 veículos em 2014, segundo dados da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores). O número representa 45,3% da produção nacional, o que indica aumento de 2,5 pontos percentuais com relação à participação no bolo nacional de 2013. Isso torna o Estado o único entre os três principais Estados produtores (os outros são o Paraná e Minas Gerais) a aumentar sua participação percentual nos últimos três anos. Na área do governo estadual, a informação foi comemorada como evidência de que São Paulo continua firme como o principal celeiro do mercado automotivo brasileiro, apesar dos desafios na economia e de um quadro complexo nas exportações.

De vento em popa – 2
O governo estadual trabalha com cenário positivo em 2014 de evolução em processos produtivos, tecnologia aplicada, inovação e desenvolvimento de produtos no setor automotivo. Multinacionais instalaram ou expandiram operações no Estado e unidades industriais foram inauguradas. São Paulo recuperou percentual de participação na produção nacional que apresentava no fim da década passada. No último ano, iniciaram operações a Chery, em Jacareí, a unidade ampliada de estamparia da Hyundai, em Piracicaba, e o laboratório de motores da Toyota, em Sorocaba. Em 2015, a Mercedes-Benz lançou a pedra fundamental de sua mais nova unidade industrial, em Iracemápolis, que terá início de produção em janeiro de 2016.

Investimentos no Estado
4 Sorocaba está otimista em relação à economia por conta dos planos de grandes grupos empresariais locais. Seis deles anunciaram semana passada que manterão investimentos mesmo diante da crise econômica: Toyota, Carmar Oil & Gas, Mettalica, Grupo VMF, Exco Brasil e a PepsiCo. A Toyota confirmou que investirá R$ 100 milhões em 2015 e contratará 300 novos trabalhadores para ampliar a produção do modelo Etios.
4 A Centauron investirá R$ 30 milhões na ampliação de seus centros de distribuição e em tecnologia da informação visando os negócios on-line. Parte dos recursos será aplicada para aumentar e automatizar a área de armazenagem da unidade em Jarinu, interior paulista.
4 O Parque Tecnológico de Botucatu foi inaugurado semana passada com a presença do vice-governador, Márcio França (PSB). É o sétimo no Estado e há plano do governo estadual de instalar mais 28. A unidade vai desenvolver novos produtos e serviços nas áreas de bioprocessos, biotecnologia, meio ambiente, tecnologias sociais e logística.

Pancadões, não
Projeto de lei na Assembleia Legislativa tem o objetivo de controlar o som alto nos bailes funk em ruas e praças. A ideia é ampliar a fiscalização para todo o Estado. O principal alvo são os veículos com som alto estacionados nas ruas e em áreas particulares, como estacionamentos e postos de gasolina.

Quem sobe ao poste?
O pedido de efeito suspensivo feito pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) contra liminar que desobrigou o município de Viçosa, Minas Gerais, a assumir os ativos de iluminação pública foi rejeitado pelo TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região. A Aneel insiste na ideia de que as prefeituras devem cumprir com resolução dela própria, que impõe a obrigação às administrações locais – já sobrecarregadas com compromissos na Educação e Saúde – de cuidar das lâmpadas, reatores, relês e fiação da iluminação pública, e com isso tirar esse peso das empresas concessionárias de energia. O juiz federal disse que não. Mas a queda de braço deve continuar. A agência não vai desistir do plano tão cedo. Enquanto isso, cabe às prefeituras continuar recorrendo à Justiça. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Estado acelera corrida por indústrias

A crise é sinônimo de oportunidades. Exatos 202 municípios paulistas já se cadastraram no portal Investe São Paulo, quatro meses após o seu lançamento

Do Diário do Grande ABC

20/04/2015 | 07:00


A crise é sinônimo de oportunidades. Exatos 202 municípios paulistas já se cadastraram no portal Investe São Paulo, quatro meses após o seu lançamento. Cerca de 60 terrenos foram colocados à disposição de investidores que desejam atrair empreendimentos. A finalidade da ferramenta é disponibilizar de forma mais rápida e completa informações sobre as vantagens competitivas das cidades paulistas para a instalação de novas plantas produtivas. Agilizar, em outras palavras. “Assim fica mais fácil para a agência atender o investidor de forma ágil e precisa, cruzando as necessidades dos empreendedores com o que cada município tem para oferecer”, divulgou o órgão. Por meio de um login de acesso, os gestores podem cadastrar os terrenos disponíveis, informar a respeito da legislação tributária municipal e o plano diretor e elencar investimentos de infraestrutura recentes na cidade. A ideia é mostrar que a empresa pode ficar mais próxima de um cliente ou fornecedor estratégico instalado na região, entre outras facilidades. “Além de ganharmos eficiência na comunicação e intensificarmos a parceria com os municípios, padronizaremos o recebimento de informações, dando oportunidades iguais às cidades de participar do processo de escolha do local do empreendimento pelo investidor, respeitando as necessidades e exigências de cada empresa”, diz o presidente da agência, Juan Quirós. A sorte está lançada. Quem mais se habilita?

De vento em popa – 1
A indústria automotiva paulista fabricou 1.437.256 veículos em 2014, segundo dados da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores). O número representa 45,3% da produção nacional, o que indica aumento de 2,5 pontos percentuais com relação à participação no bolo nacional de 2013. Isso torna o Estado o único entre os três principais Estados produtores (os outros são o Paraná e Minas Gerais) a aumentar sua participação percentual nos últimos três anos. Na área do governo estadual, a informação foi comemorada como evidência de que São Paulo continua firme como o principal celeiro do mercado automotivo brasileiro, apesar dos desafios na economia e de um quadro complexo nas exportações.

De vento em popa – 2
O governo estadual trabalha com cenário positivo em 2014 de evolução em processos produtivos, tecnologia aplicada, inovação e desenvolvimento de produtos no setor automotivo. Multinacionais instalaram ou expandiram operações no Estado e unidades industriais foram inauguradas. São Paulo recuperou percentual de participação na produção nacional que apresentava no fim da década passada. No último ano, iniciaram operações a Chery, em Jacareí, a unidade ampliada de estamparia da Hyundai, em Piracicaba, e o laboratório de motores da Toyota, em Sorocaba. Em 2015, a Mercedes-Benz lançou a pedra fundamental de sua mais nova unidade industrial, em Iracemápolis, que terá início de produção em janeiro de 2016.

Investimentos no Estado
4 Sorocaba está otimista em relação à economia por conta dos planos de grandes grupos empresariais locais. Seis deles anunciaram semana passada que manterão investimentos mesmo diante da crise econômica: Toyota, Carmar Oil & Gas, Mettalica, Grupo VMF, Exco Brasil e a PepsiCo. A Toyota confirmou que investirá R$ 100 milhões em 2015 e contratará 300 novos trabalhadores para ampliar a produção do modelo Etios.
4 A Centauron investirá R$ 30 milhões na ampliação de seus centros de distribuição e em tecnologia da informação visando os negócios on-line. Parte dos recursos será aplicada para aumentar e automatizar a área de armazenagem da unidade em Jarinu, interior paulista.
4 O Parque Tecnológico de Botucatu foi inaugurado semana passada com a presença do vice-governador, Márcio França (PSB). É o sétimo no Estado e há plano do governo estadual de instalar mais 28. A unidade vai desenvolver novos produtos e serviços nas áreas de bioprocessos, biotecnologia, meio ambiente, tecnologias sociais e logística.

Pancadões, não
Projeto de lei na Assembleia Legislativa tem o objetivo de controlar o som alto nos bailes funk em ruas e praças. A ideia é ampliar a fiscalização para todo o Estado. O principal alvo são os veículos com som alto estacionados nas ruas e em áreas particulares, como estacionamentos e postos de gasolina.

Quem sobe ao poste?
O pedido de efeito suspensivo feito pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) contra liminar que desobrigou o município de Viçosa, Minas Gerais, a assumir os ativos de iluminação pública foi rejeitado pelo TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região. A Aneel insiste na ideia de que as prefeituras devem cumprir com resolução dela própria, que impõe a obrigação às administrações locais – já sobrecarregadas com compromissos na Educação e Saúde – de cuidar das lâmpadas, reatores, relês e fiação da iluminação pública, e com isso tirar esse peso das empresas concessionárias de energia. O juiz federal disse que não. Mas a queda de braço deve continuar. A agência não vai desistir do plano tão cedo. Enquanto isso, cabe às prefeituras continuar recorrendo à Justiça. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;