Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Oposição oficia saída de Tarcisio

Montagem/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Pery Cartola protocolou requerimento ao MP após
secretário ter sido convocado para a CPI da Petrobras


Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

20/04/2015 | 07:00


A oposição no Legislativo de São Bernardo entrou com ofício no Ministério Público em que solicita afastamento do secretário de Serviços Urbanos da Prefeitura, Tarcisio Secoli (PT), devido ao pedido de convocação do titular do governo Luiz Marinho (PT) na CPI da Petrobras, protocolado pelo PPS na Câmara Federal. A medida requer a saída do petista enquanto perdurarem as investigações.

Na semana passada, Tarcisio, hoje favorito de Marinho para ser o candidato do PT na sucessão de 2016, teve seu nome – juntamente com o deputado estadual Teonílio Barba (PT) – evidenciado por integrar o quadro societário da Editora Gráfica Atitude, apontada pela PF (Polícia Federal) na Operação Lava Jato como ponte de recebimento de propina do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, preso no dia 15. Barba ainda é sócio-proprietário.

Vereador de primeiro mandato em São Bernardo e um dos mais críticos ao governo petista, Pery Cartola (SD) impetrou documento na sexta-feira no MP, argumentando que o pedido de licença foi embasado pela “notoriedade da apuração”. “É preciso investigar qualquer pessoa que tenha tido comprovada sua participação em atividade ilícita. Esta CPI é de grande relevância no País e para que não manche mais nossa cidade o sensato é que o secretário preste o esclarecimento longe da Prefeitura”, considerou.

No requerimento, a bancada federal do PPS citou reportagem publicada no dia 16 pelo Diário, que mostrou que movimentações financeiras coordenadas por Vaccari à Editora Gráfica Atitude começaram a ser feitas quando Tarcisio ainda era sócio da empresa – foram três pagamentos, sendo um em 29 de junho de 2010, outro em 6 de junho de 2010 e mais um em 9 de agosto de 2010, totalizando R$ 281.550. O deputado estadual Luiz Cláudio Marcolino (PT) também teve sua convocação pedida. O parlamentar foi sócio da empresa, deixando o quadro no mesmo período de Tarcisio.

“O secretário (Tarcisio) é como se fosse o primeiro-ministro da cidade. Tem realizado grande movimentação política para ser candidato a prefeito. Então, se explique em Brasília, poupando São Bernardo dos holofotes negativos”, adicionou Pery, ao revelar que encaminhará ofício à Assembleia Legislativa pedindo que a Casa cobre explicações de Barba. “O deputado ainda faz parte do quadro de sócios da empresa e não pode sair ileso. Esse trabalho está levando o brasileiro a acompanhar e exigir que os corruptos sejam punidos.”

Pery também direcionou ataques a Marinho ao sugerir que o chefe do Executivo deverá aparecer no rol de investigados. “Estou acompanhando de perto e acho que daqui a alguns meses o prefeito será mencionado. Todos sabem de sua importância dentro do PT nacional”, adicionou.

Também oposicionistas, Juarez Tudo Azul (PSDB) e Marcelo Lima (PPS) afirmaram não ter discutido sobre pedido de afastamento de Tarcisio com a bancada. No entanto, se posicionaram favoráveis à averiguação dos envolvidos. “Trata-se de um pré-candidato a prefeito (Tarcisio) e a grande repercussão que tem esta CPI nos faz querer apuração precisa”, comentou o tucano.
“Foi comprovada participação da gráfica, então o caso precisa de aprofundamento e investigação. Há enorme expectativa em torno desse trabalho e todos esperam por justiça”, complementou Marcelo. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Oposição oficia saída de Tarcisio

Pery Cartola protocolou requerimento ao MP após
secretário ter sido convocado para a CPI da Petrobras

Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

20/04/2015 | 07:00


A oposição no Legislativo de São Bernardo entrou com ofício no Ministério Público em que solicita afastamento do secretário de Serviços Urbanos da Prefeitura, Tarcisio Secoli (PT), devido ao pedido de convocação do titular do governo Luiz Marinho (PT) na CPI da Petrobras, protocolado pelo PPS na Câmara Federal. A medida requer a saída do petista enquanto perdurarem as investigações.

Na semana passada, Tarcisio, hoje favorito de Marinho para ser o candidato do PT na sucessão de 2016, teve seu nome – juntamente com o deputado estadual Teonílio Barba (PT) – evidenciado por integrar o quadro societário da Editora Gráfica Atitude, apontada pela PF (Polícia Federal) na Operação Lava Jato como ponte de recebimento de propina do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, preso no dia 15. Barba ainda é sócio-proprietário.

Vereador de primeiro mandato em São Bernardo e um dos mais críticos ao governo petista, Pery Cartola (SD) impetrou documento na sexta-feira no MP, argumentando que o pedido de licença foi embasado pela “notoriedade da apuração”. “É preciso investigar qualquer pessoa que tenha tido comprovada sua participação em atividade ilícita. Esta CPI é de grande relevância no País e para que não manche mais nossa cidade o sensato é que o secretário preste o esclarecimento longe da Prefeitura”, considerou.

No requerimento, a bancada federal do PPS citou reportagem publicada no dia 16 pelo Diário, que mostrou que movimentações financeiras coordenadas por Vaccari à Editora Gráfica Atitude começaram a ser feitas quando Tarcisio ainda era sócio da empresa – foram três pagamentos, sendo um em 29 de junho de 2010, outro em 6 de junho de 2010 e mais um em 9 de agosto de 2010, totalizando R$ 281.550. O deputado estadual Luiz Cláudio Marcolino (PT) também teve sua convocação pedida. O parlamentar foi sócio da empresa, deixando o quadro no mesmo período de Tarcisio.

“O secretário (Tarcisio) é como se fosse o primeiro-ministro da cidade. Tem realizado grande movimentação política para ser candidato a prefeito. Então, se explique em Brasília, poupando São Bernardo dos holofotes negativos”, adicionou Pery, ao revelar que encaminhará ofício à Assembleia Legislativa pedindo que a Casa cobre explicações de Barba. “O deputado ainda faz parte do quadro de sócios da empresa e não pode sair ileso. Esse trabalho está levando o brasileiro a acompanhar e exigir que os corruptos sejam punidos.”

Pery também direcionou ataques a Marinho ao sugerir que o chefe do Executivo deverá aparecer no rol de investigados. “Estou acompanhando de perto e acho que daqui a alguns meses o prefeito será mencionado. Todos sabem de sua importância dentro do PT nacional”, adicionou.

Também oposicionistas, Juarez Tudo Azul (PSDB) e Marcelo Lima (PPS) afirmaram não ter discutido sobre pedido de afastamento de Tarcisio com a bancada. No entanto, se posicionaram favoráveis à averiguação dos envolvidos. “Trata-se de um pré-candidato a prefeito (Tarcisio) e a grande repercussão que tem esta CPI nos faz querer apuração precisa”, comentou o tucano.
“Foi comprovada participação da gráfica, então o caso precisa de aprofundamento e investigação. Há enorme expectativa em torno desse trabalho e todos esperam por justiça”, complementou Marcelo. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;