Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Petrobras retoma rodada de negociações com estatal boliviana


Do Diário OnLine

06/11/2006 | 17:41


A Petrobras iniciou nesta segunda-feira uma rodada de negociação com a estatal boliviana YPFB (Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos) sobre os preços do gás. As negociações seguem até o final de semana no Rio de Janeiro.

No entanto, há chances das negociações falharem novamente, segundo sinalizou na semana passada o ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau. O ministrou lembrou que uma negociação aberta pelo Brasil em 2003 não foi encerrada até hoje.

Nesta segunda, o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, afirmou que o preço do gás no Brasil está "abaixo do que deve ser" e precisa ser reavaliado para segurar o crescimento da demanda interna. Ele não indicou, porém, quando essa 'reavaliação', que pode ser traduzida como reajuste de preço, vai acontecer.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Petrobras retoma rodada de negociações com estatal boliviana

Do Diário OnLine

06/11/2006 | 17:41


A Petrobras iniciou nesta segunda-feira uma rodada de negociação com a estatal boliviana YPFB (Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos) sobre os preços do gás. As negociações seguem até o final de semana no Rio de Janeiro.

No entanto, há chances das negociações falharem novamente, segundo sinalizou na semana passada o ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau. O ministrou lembrou que uma negociação aberta pelo Brasil em 2003 não foi encerrada até hoje.

Nesta segunda, o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, afirmou que o preço do gás no Brasil está "abaixo do que deve ser" e precisa ser reavaliado para segurar o crescimento da demanda interna. Ele não indicou, porém, quando essa 'reavaliação', que pode ser traduzida como reajuste de preço, vai acontecer.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;