Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Oposição diz que declaração de Lula foi uma grosseria


Do Diário OnLine

30/10/2003 | 18:36


Os partidos de oposição reagiram imediatamente à declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que nesta quinta-feira, na Paraíba, chamou seus antecessores de "covardes". O PSDB, legenda que governo o Brasil nos últimos oito anos com Fernando Henrique Cardoso, sentiu a força das palavras do petista e partiu para o contragolpe.

O líder tucano no Senado, Arthur Virgílio (AM), classificou de grosseria a afirmação do presidente. "A gente procura idéias do governo e só acha grosseria. E justo nessa hora em que ele precisa de uma união para aprovar tantas matérias de interesse do país. Covardia é ele não governar."

Em um tom irônico, Virgílio disse que não tem o poder de impedir que Lula fale "tolices". "Não posso pedir ao presidente para que não fale tolices, mas posso pedir a ele que não discurse de improviso."

Já o também senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) disse que o atual governo tem que aproveitar estes últimos meses do ano para atacar as outras gestões, pois a partir de janeiro de 2004 resultados serão cobrados. "Nós damos essa graça, porque de janeiro em diante terá que mostrar serviço", concluiu.

O líder do PFL na Casa, senador José Agripino Maia (RN), tratou com desdenho o discurso de Lula. Para ele, as palavras do presidente foram "desnecessárias ao interesse do país".

O também pefelista José Carlos Aleluia (BA), líder do partido na Câmara dos Deputados, condenou as palavras do presidente. Segundo ele, Lula precisa de mais "serenidade". "O presidente da República precisa ter serenidade no que fala. Toda generalização é normalmente equivocada. Alguns presidentes foram muito mais corajosos do que o presidente Lula. Acho é que essa declaração é imprópria para o presidente, que precisa ser equilibrado".

Com Agência Brasil



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Oposição diz que declaração de Lula foi uma grosseria

Do Diário OnLine

30/10/2003 | 18:36


Os partidos de oposição reagiram imediatamente à declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que nesta quinta-feira, na Paraíba, chamou seus antecessores de "covardes". O PSDB, legenda que governo o Brasil nos últimos oito anos com Fernando Henrique Cardoso, sentiu a força das palavras do petista e partiu para o contragolpe.

O líder tucano no Senado, Arthur Virgílio (AM), classificou de grosseria a afirmação do presidente. "A gente procura idéias do governo e só acha grosseria. E justo nessa hora em que ele precisa de uma união para aprovar tantas matérias de interesse do país. Covardia é ele não governar."

Em um tom irônico, Virgílio disse que não tem o poder de impedir que Lula fale "tolices". "Não posso pedir ao presidente para que não fale tolices, mas posso pedir a ele que não discurse de improviso."

Já o também senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) disse que o atual governo tem que aproveitar estes últimos meses do ano para atacar as outras gestões, pois a partir de janeiro de 2004 resultados serão cobrados. "Nós damos essa graça, porque de janeiro em diante terá que mostrar serviço", concluiu.

O líder do PFL na Casa, senador José Agripino Maia (RN), tratou com desdenho o discurso de Lula. Para ele, as palavras do presidente foram "desnecessárias ao interesse do país".

O também pefelista José Carlos Aleluia (BA), líder do partido na Câmara dos Deputados, condenou as palavras do presidente. Segundo ele, Lula precisa de mais "serenidade". "O presidente da República precisa ter serenidade no que fala. Toda generalização é normalmente equivocada. Alguns presidentes foram muito mais corajosos do que o presidente Lula. Acho é que essa declaração é imprópria para o presidente, que precisa ser equilibrado".

Com Agência Brasil

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;