Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Tavares diz que não pediu por vacina


Raphael Rocha

08/05/2021 | 00:01


Gerente jurídico da FUABC (Fundação do ABC) e uma das pessoas de área administrativa da entidade que já foram imunizadas contra a Covid-19, furando a fila do procedimento, Sandro Tavares declarou que não pediu para ser vacinado. Ele aparece em vídeo divulgado nesta semana pelo vereador Márcio Colombo (PSDB), de Santo André, que foi à sede da instituição regional ao lado do deputado estadual Arthur do Val (Patriota) depois que veio à tona denúncia de que aliados da presidente da FUABC, Adriana Berringer Stephan, haviam sido imunizados mesmo sem estar na linha de frente do combate ao novo coronavírus. “Existe um comitê da faculdade (de Medicina do ABC) que recebe as vacinas e me convocou. Eu não pedi vacina para ninguém”, comentou Tavares, advogado de 44 anos – ou seja, sem atingir os critérios de prioridade da vacinação. O gerente jurídico já recebeu as duas doses da Coronavac.


BASTIDORES

Preocupação – 1
Após a mais recente derrota jurídica na tentativa de ver validados seus votos e, assim, tomar posse para o quarto mandato como prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB) tem transparecido a pessoas próximas que é bastante remota a possibilidade de a Justiça Eleitoral acolher seus argumentos. Auricchio foi o mais bem votado na eleição de 2020, mas foi impugnado por condenação eleitoral da campanha de 2016. No mês passado, o ministro Luís Felipe Salomão, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), rejeitou recurso da defesa do tucano, que argumentava ter recurso especial concedido pelo presidente do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo), Waldir Nuevo Campos, liberando sua empreitada eleitoral. Cabe recurso ao plenário do TSE, porém, a seguir a tendência da corte, a avaliação de Salomão, relator do caso, deve ser mantida.

Preocupação – 2
No despacho de sua decisão, o ministro Luís Felipe Salomão, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), argumentou que o efeito suspensivo concedido a José Auricchio Júnior (PSDB) se deu apenas porque o Brasil atravessa a crise da pandemia de Covid-19 e trocar o prefeito neste período – a decisão foi do ano passado, quando Auricchio ainda estava na cadeira – causaria instabilidade política em um período delicado.

Preocupação – 3
“Extrai-se da moldura fática do aresto a quo de forma inequívoca que a decisão suspensiva se revestiu de caráter excepcional limitada apenas a manter temporariamente o prefeito no cargo em virtude do cenário pandêmico oriundo da Covid-19, evitando-se, com isso, instabilidade no comando de políticas públicas essenciais ao enfrentamento da doença (...) Consta expressamente no aresto do TRE-SP que ‘apenas em virtude da pandemia é que não se permitiu a troca de poder na cidade, em execução da decisão, apenas se pensando nos munícipes de São Caetano, e não no atual prefeito, a quem os efeitos do quanto decidido permanecem hígidos’”, escreveu Salomão.

Ausências
Durante a solenidade de apresentação do BRT (sigla em inglês para ônibus de alta velocidade), chamou atenção as ausências dos prefeitos de Santo André, Paulo Serra (PSDB), de Ribeirão Pires, Clóvis Volpi (PL), e de Rio Grande da Serra, Claudinho da Geladeira (Podemos). Dois deputados da região estavam presentes, casos de Carla Morando (PSDB) e Thiago Auricchio (PL) – a bancada regional conta com seis nomes. Márcio da Farmácia (Podemos) foi citado pelo cerimonial, mas não apareceu.

OAB de São Caetano
A advogada Fabiane Verones Virgilio Galarraga foi nomeada para presidir a comissão de licitações e contratos administrativos da subsecção da OAB em São Caetano, presidida por João Paulo Borges. À frente do setor, Fabiane terá a missão de discutir a nova Lei de Licitações, recentemente aprovada no Congresso Nacional.

OAB de Santo André
A subsecção da OAB de Santo André recebeu ontem lideranças do direito da região para debater medidas de enfrentamento à Covid-19 e o futuro da advocacia pós-pandemia. “O momento é de união de toda a advocacia. Muitos dos líderes presentes, que foram adversários no passado, abriram mão de suas diferenças para mostrar unidade no enfrentamento às consequências da pandemia. Enfrentar este momento difícil é a prioridade absoluta da atual gestão”, afirmou Andrea Tartuce, presidente da OAB andreense.  



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;