Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 14 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

EUA: bebê se recupera após receber doação de seis órgãos


Da AFP

15/01/2005 | 15:18


Um bebê chileno-japonês se recupera bem de uma operação de doação de seis órgãos - um procedimento proibido no Japão - e poderá receber alta neste fim de semana, informaram neste sábado os médicos responsáveis pela operação realizada em Miami.

A surpreendente recuperação de Yosuke Ohashi, um bebê que completará um ano no dia 25 de janeiro, "pode ter um grande impacto", na lei japonesa que proíbe transplantes em crianças menores de 15 anos, disse Tomoaki Kato, cirurgião que realizou a operação.

Após alguns procedimentos cirúrgicos sem sucesso no Chile, Yosuke foi transferido para Miami onde foi realizada a operação no dia 24 de dezembro e recebeu seis órgãos: estômago, pâncreas, fígado, baço e os intestinos grosso e delgado.

Yosuke, que tem uma irmã gêmea, teve uma vida normal até os cinco meses, quando começaram os problemas com seu intestino. No Chile, foram eliminados pedaços de ambos os intestinos, mas o problema de mal funcionamento não foi solucionado. A família decidiu então viajar para Miami e fazer o que fosse necessário para salvar a vida do bebê, que recebeu os órgãos de uma outra criança de 6 meses, da Flórida.

"Foi um grande milagre e um presente de Natal que recebemos", disse o pai do bebê, Yukiho Ohashi, que trabalhava há cinco anos no Chile no comércio de trutas, salmão e vinho, quando nasceu seu filho. "Meu filho está vivo. Ainda não posso acreditar", declarou com um limitado espanhol a mãe do pequeno, Yoshie Ohashi, acrescentando que "no Japão não é permitida a realização de transplantes, e por isso muitas crianças morrem". Ela disse que está decidida a iniciar uma campanha em seu país para reformar uma legislação que este ano seria revisada.

Consultado sobre o caso, um jornalista do jornal japonês Asahi Shimbun disse que a sociedade japonesa parece não estar pronta para aceitar a doação de órgãos de crianças com morte cerebral.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

EUA: bebê se recupera após receber doação de seis órgãos

Da AFP

15/01/2005 | 15:18


Um bebê chileno-japonês se recupera bem de uma operação de doação de seis órgãos - um procedimento proibido no Japão - e poderá receber alta neste fim de semana, informaram neste sábado os médicos responsáveis pela operação realizada em Miami.

A surpreendente recuperação de Yosuke Ohashi, um bebê que completará um ano no dia 25 de janeiro, "pode ter um grande impacto", na lei japonesa que proíbe transplantes em crianças menores de 15 anos, disse Tomoaki Kato, cirurgião que realizou a operação.

Após alguns procedimentos cirúrgicos sem sucesso no Chile, Yosuke foi transferido para Miami onde foi realizada a operação no dia 24 de dezembro e recebeu seis órgãos: estômago, pâncreas, fígado, baço e os intestinos grosso e delgado.

Yosuke, que tem uma irmã gêmea, teve uma vida normal até os cinco meses, quando começaram os problemas com seu intestino. No Chile, foram eliminados pedaços de ambos os intestinos, mas o problema de mal funcionamento não foi solucionado. A família decidiu então viajar para Miami e fazer o que fosse necessário para salvar a vida do bebê, que recebeu os órgãos de uma outra criança de 6 meses, da Flórida.

"Foi um grande milagre e um presente de Natal que recebemos", disse o pai do bebê, Yukiho Ohashi, que trabalhava há cinco anos no Chile no comércio de trutas, salmão e vinho, quando nasceu seu filho. "Meu filho está vivo. Ainda não posso acreditar", declarou com um limitado espanhol a mãe do pequeno, Yoshie Ohashi, acrescentando que "no Japão não é permitida a realização de transplantes, e por isso muitas crianças morrem". Ela disse que está decidida a iniciar uma campanha em seu país para reformar uma legislação que este ano seria revisada.

Consultado sobre o caso, um jornalista do jornal japonês Asahi Shimbun disse que a sociedade japonesa parece não estar pronta para aceitar a doação de órgãos de crianças com morte cerebral.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;