Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 11 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Azulão busca primeira vitória fora

Equipe de Sérgio Soares espera surpreender o Vila Nova, que ainda não venceu na Série B do Brasileirão


Marco Borba
Do Diário do Grande ABC

22/05/2009 | 07:00


Empolgado com a vitória diante do Bahia e a semana inteira de preparação, o São Caetano enfrenta o Vila Nova hoje, às 21h (Sportv), no Serra Dourada, disposto a tirar proveito do mau início do adversário, que ainda não venceu na Série B do Brasileiro. O time goiano é o 16º colocado, com apenas um ponto conquistado no empate em casa diante d a Portuguesa, na abertura do torneio. Na última rodada, foi goleado pelo Ipatinga (4 a 0), em Minas, e perdeu o técnico Gilson Kleina. O substituto, Vágner Benazzi, anunciado ontem, fica no banco de reservas.

Apesar da maré adversária, Sérgio Soares prega cautela. "É uma equipe com jogadores experientes. O Osmar é um lateral que apoia bem e o ataque tem o Vanderlei (atacante), que sabe finalizar. Além disso, jogam em casa."

O Azulão é o 12º colocado, com três pontos, e tenta a primeira vitória fora de casa. E o treinador está otimista. "Notei evolução contra o Bahia. O time criou mais, chegou mais." Admitiu, porém, que a equipe ainda falha nas conclusões. Por isso, ao longo da semana colocou todo o elenco para treinar exaustivamente finalizações.

"A equipe está em formação e é com repetições que se assimila. No jogo, às vezes, surge só uma oportunidade. Quando acontece, temos de aproveitar. Repito diversas vezes para que entendam o que é pedido, até para que depois eu possa cobrar", enfatizou.

Sérgio Soares não antecipou o time que entra em campo. A formação deve ser a mesma que iniciou o jogo com o Tricolor. O atacante Marinho pode surgir como novidade no lugar de Tiago.

Por não conhecer o grupo, Benazzi também não deve mexer na estrutura do Vila Nova. A equipe deve ser a mesma que enfrentou o Ipatinga na última rodada.

Jogada aérea vira arma do Azulão no Serra Dourada

A jogada aérea será uma das armas do São Caetano no confronto com o Vila Nova. O técnico Sérgio Soares pretende usar o recurso, que mostrou-se eficiente no Campeonato Paulista. E um dos atiradores incumbidos da função não é um atacante, mas o zagueiro Marcelo Batatais.

O jogador fez três gols de cabeça no Estadual, contra Corinthians, Palmeiras e São Paulo, em jogadas idênticas. A bola é lançada na linha do pênalti e o zagueiro cabeceia para trás, antes da chegada do goleiro.

Esse tipo de lance foi ensaiado seguidas vezes ao longo da semana. "É com a repetição que se chega ao ideal. Às vezes, com a bola em movimento, não surge oportunidade. E, em uma jogada assim, com bola parada, a gente pode decidir", avalia Batatais.

É a terceira vez que o zagueiro enfrenta o Vila Nova. As outras duas foram na Série B de 2006. Na ocasião, o zagueiro defendia o Coritiba.

Batatais volta a formar dupla com Everaldo, com quem atuou em boa parte do Paulista. Na primeira rodada da Série B, jogou ao lado de Anderson Marques, que no segundo duelo perdeu o lugar para Everaldo.

"Tivemos um pouco de dificuldade naquela partida (Bragantino). Era a primeira e, naquele dia, o time, como um todo, não foi bem. Contra o Bahia nos saímos melhores e o fato de ter atuado com ele (Everaldo) em alguns jogos também ajudou."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Azulão busca primeira vitória fora

Equipe de Sérgio Soares espera surpreender o Vila Nova, que ainda não venceu na Série B do Brasileirão

Marco Borba
Do Diário do Grande ABC

22/05/2009 | 07:00


Empolgado com a vitória diante do Bahia e a semana inteira de preparação, o São Caetano enfrenta o Vila Nova hoje, às 21h (Sportv), no Serra Dourada, disposto a tirar proveito do mau início do adversário, que ainda não venceu na Série B do Brasileiro. O time goiano é o 16º colocado, com apenas um ponto conquistado no empate em casa diante d a Portuguesa, na abertura do torneio. Na última rodada, foi goleado pelo Ipatinga (4 a 0), em Minas, e perdeu o técnico Gilson Kleina. O substituto, Vágner Benazzi, anunciado ontem, fica no banco de reservas.

Apesar da maré adversária, Sérgio Soares prega cautela. "É uma equipe com jogadores experientes. O Osmar é um lateral que apoia bem e o ataque tem o Vanderlei (atacante), que sabe finalizar. Além disso, jogam em casa."

O Azulão é o 12º colocado, com três pontos, e tenta a primeira vitória fora de casa. E o treinador está otimista. "Notei evolução contra o Bahia. O time criou mais, chegou mais." Admitiu, porém, que a equipe ainda falha nas conclusões. Por isso, ao longo da semana colocou todo o elenco para treinar exaustivamente finalizações.

"A equipe está em formação e é com repetições que se assimila. No jogo, às vezes, surge só uma oportunidade. Quando acontece, temos de aproveitar. Repito diversas vezes para que entendam o que é pedido, até para que depois eu possa cobrar", enfatizou.

Sérgio Soares não antecipou o time que entra em campo. A formação deve ser a mesma que iniciou o jogo com o Tricolor. O atacante Marinho pode surgir como novidade no lugar de Tiago.

Por não conhecer o grupo, Benazzi também não deve mexer na estrutura do Vila Nova. A equipe deve ser a mesma que enfrentou o Ipatinga na última rodada.

Jogada aérea vira arma do Azulão no Serra Dourada

A jogada aérea será uma das armas do São Caetano no confronto com o Vila Nova. O técnico Sérgio Soares pretende usar o recurso, que mostrou-se eficiente no Campeonato Paulista. E um dos atiradores incumbidos da função não é um atacante, mas o zagueiro Marcelo Batatais.

O jogador fez três gols de cabeça no Estadual, contra Corinthians, Palmeiras e São Paulo, em jogadas idênticas. A bola é lançada na linha do pênalti e o zagueiro cabeceia para trás, antes da chegada do goleiro.

Esse tipo de lance foi ensaiado seguidas vezes ao longo da semana. "É com a repetição que se chega ao ideal. Às vezes, com a bola em movimento, não surge oportunidade. E, em uma jogada assim, com bola parada, a gente pode decidir", avalia Batatais.

É a terceira vez que o zagueiro enfrenta o Vila Nova. As outras duas foram na Série B de 2006. Na ocasião, o zagueiro defendia o Coritiba.

Batatais volta a formar dupla com Everaldo, com quem atuou em boa parte do Paulista. Na primeira rodada da Série B, jogou ao lado de Anderson Marques, que no segundo duelo perdeu o lugar para Everaldo.

"Tivemos um pouco de dificuldade naquela partida (Bragantino). Era a primeira e, naquele dia, o time, como um todo, não foi bem. Contra o Bahia nos saímos melhores e o fato de ter atuado com ele (Everaldo) em alguns jogos também ajudou."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;