Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 16 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Nhô ruim e nhô pió

O prefeito paulistano Gilberto Kassab, que o PT só não chamou de santo, se comprometeu a proteger as informações sobre o Imposto sobre Serviços pago


Carlos Brickmann

22/05/2011 | 00:00


O prefeito paulistano Gilberto Kassab, que o PT só não chamou de santo, se comprometeu a proteger as informações sobre o Imposto sobre Serviços pago pela empresa do ministro Palocci - pelo ISS, seria possível calcular o faturamento da dita cuja. O ex-governador José Serra, que o PT só não chamou de bonito, já disse que não vai criticar um ministro só porque seu patrimônio cresceu. O senador Aécio Neves, que até já se aliou ao PT, mas deve ser candidato à Presidência da República contra os petistas, está numa doçura de derrubar diabético.

Goste-se ou não de Kassab, Serra e Aécio, burros é que não são. Analisaram o caso e chegaram à conclusão de que piores do que Palocci são os adversários de dentro do PT que se dedicam a derrubá-lo. Palocci é simpático, divertido, mas isso não seduziria um mal-humorado de carteirinha como Serra. Se os adversários amaciam com Palocci é porque sabem quem está contra ele.

Palocci é um importante quadro partidário do PT, mas tem limitações. Age nas fronteiras traçadas pelo ex-presidente Lula e pela presidente Dilma. Além disso, por mais que se fortaleça, tem uma tremenda capacidade de se meter em encrencas que bloqueiam voos mais altos. Já seus inimigos internos, não. Querem envolver o governo, enquadrar a presidente, transformar o ex-presidente num símbolo decorativo, não mais que isso, e tratar os adversários a pão e água - sendo que os adversários, se forem prudentes, só tomarão a água depois de analisá-la. Pode ser a Escolha de Sofia, mas se é ruim com Palocci é pior sem ele.

GATINHOS RONRONANTES

O PSDB concluiu que, embora macio, tem de fazer alguma coisa no caso Palocci. Decidiu propor uma CPI mista. Precisa de 171 deputados e 27 senadores. Quando tentou uma medida ainda mais light, conseguiu 72 assinaturas.

DEFINITIVO

Frase de Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, responsável pela denúncia do Mensalão, conhecedor da política, sobre a guerra contra Palocci:

"Recuso-me a assistir a pecador ficar atirando pedra em Maria Madalena".

A PRIMEIRA PEDRA

A Turma dos Dossiês (Lula os chamaria de "aloprados") que iniciou a caça a Palocci pode ter destampado a panela. A imprensa descobriu que mais cinco ministros têm consultorias como a de Palocci, todas ativas. São José Eduardo Cardozo (Justiça), Fernando Bezerra (Integração), Fernando Pimentel (Desenvolvimento), Leônidas Cristino (Portos) e Moreira Franco (Assuntos Estratégicos).

LÁ E CÁ

Um assíduo leitor desta coluna, morador nos Estados Unidos, tomou outro dia o trem de Washington para Nova York, e duas filas à sua frente estava o secretário do Tesouro (aqui seria o ministro da Fazenda), Timothy Geitner. "Ele não viajava de primeira classe (veio conosco, pobres mortais), não carregava comitiva, não tinha segurança aparente - só uma pessoa ao lado. Nas duas horas e meia da viagem, trabalhou o tempo todo no computador". Pois é: nem carro oficial, nem jatinho, nem equipe de assessores. Deve ser horrível viver num país tão pobre.

TERRA DE SAMBA...

Pensa no Poder Executivo? Roseana Sarney é governadora do Maranhão. Pensa no Poder Legislativo? José Sarney é presidente do Senado. Pensa na oposição? Zequinha Sarney é o líder do Partido Verde na Câmara. E promete obstruir a votação do Código Florestal, depois de amanhã. Ver um Sarney na oposição é curioso, mas se quiser obstruir, ele consegue: basta ameaçar os colegas de Câmara com um discurso verde-Sarney. Há gente que diz que Zequinha, uma soma de Adriano com Ronaldo Fenômeno, só que com menos altura, poderia simplesmente ficar na frente da porta, mas este colunista não publica maldades.

... E PANDEIRO

Até aí, tudo normal: o Estádio do Corinthians, orçado inicialmente em R$ 650 milhões, nem começou a ser construído e já está em R$ 1 bilhão. Que fez o Corinthians, buscando viabilizar o empreendimento? Veja o título do jornal: Corinthians procura ex-presidente Lula para diminuir os custos do Itaquerão. Ou seja, Lula conversa com a Construtora Norberto Odebrecht (que ele mesmo sugeriu para que tocasse a obra) e o custo cai. Alguém deve saber como.

NÃO ENTRA, NÃO SAI

Lembra daquelas eufóricas declarações oficiais sobre a manutenção dos preços da gasolina e do diesel, por mais que subisse o custo do petróleo? Bom, a primeira consequência já está na porta: a Petrobras tem de revisar seu Plano de Negócios para o período 2011/2015, cortando US$ 35 bilhões de investimentos. A venda de gasolina e diesel representa 60% do faturamento. Pagando o petróleo mais caro e mantendo o preço fixo (é uma das armas do governo para conter a inflação), a Petrobras tem menos recursos para investir - e isso numa época em que tem de se preparar para o pré-sal, que exige equipamentos caros.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Nhô ruim e nhô pió

O prefeito paulistano Gilberto Kassab, que o PT só não chamou de santo, se comprometeu a proteger as informações sobre o Imposto sobre Serviços pago

Carlos Brickmann

22/05/2011 | 00:00


O prefeito paulistano Gilberto Kassab, que o PT só não chamou de santo, se comprometeu a proteger as informações sobre o Imposto sobre Serviços pago pela empresa do ministro Palocci - pelo ISS, seria possível calcular o faturamento da dita cuja. O ex-governador José Serra, que o PT só não chamou de bonito, já disse que não vai criticar um ministro só porque seu patrimônio cresceu. O senador Aécio Neves, que até já se aliou ao PT, mas deve ser candidato à Presidência da República contra os petistas, está numa doçura de derrubar diabético.

Goste-se ou não de Kassab, Serra e Aécio, burros é que não são. Analisaram o caso e chegaram à conclusão de que piores do que Palocci são os adversários de dentro do PT que se dedicam a derrubá-lo. Palocci é simpático, divertido, mas isso não seduziria um mal-humorado de carteirinha como Serra. Se os adversários amaciam com Palocci é porque sabem quem está contra ele.

Palocci é um importante quadro partidário do PT, mas tem limitações. Age nas fronteiras traçadas pelo ex-presidente Lula e pela presidente Dilma. Além disso, por mais que se fortaleça, tem uma tremenda capacidade de se meter em encrencas que bloqueiam voos mais altos. Já seus inimigos internos, não. Querem envolver o governo, enquadrar a presidente, transformar o ex-presidente num símbolo decorativo, não mais que isso, e tratar os adversários a pão e água - sendo que os adversários, se forem prudentes, só tomarão a água depois de analisá-la. Pode ser a Escolha de Sofia, mas se é ruim com Palocci é pior sem ele.

GATINHOS RONRONANTES

O PSDB concluiu que, embora macio, tem de fazer alguma coisa no caso Palocci. Decidiu propor uma CPI mista. Precisa de 171 deputados e 27 senadores. Quando tentou uma medida ainda mais light, conseguiu 72 assinaturas.

DEFINITIVO

Frase de Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, responsável pela denúncia do Mensalão, conhecedor da política, sobre a guerra contra Palocci:

"Recuso-me a assistir a pecador ficar atirando pedra em Maria Madalena".

A PRIMEIRA PEDRA

A Turma dos Dossiês (Lula os chamaria de "aloprados") que iniciou a caça a Palocci pode ter destampado a panela. A imprensa descobriu que mais cinco ministros têm consultorias como a de Palocci, todas ativas. São José Eduardo Cardozo (Justiça), Fernando Bezerra (Integração), Fernando Pimentel (Desenvolvimento), Leônidas Cristino (Portos) e Moreira Franco (Assuntos Estratégicos).

LÁ E CÁ

Um assíduo leitor desta coluna, morador nos Estados Unidos, tomou outro dia o trem de Washington para Nova York, e duas filas à sua frente estava o secretário do Tesouro (aqui seria o ministro da Fazenda), Timothy Geitner. "Ele não viajava de primeira classe (veio conosco, pobres mortais), não carregava comitiva, não tinha segurança aparente - só uma pessoa ao lado. Nas duas horas e meia da viagem, trabalhou o tempo todo no computador". Pois é: nem carro oficial, nem jatinho, nem equipe de assessores. Deve ser horrível viver num país tão pobre.

TERRA DE SAMBA...

Pensa no Poder Executivo? Roseana Sarney é governadora do Maranhão. Pensa no Poder Legislativo? José Sarney é presidente do Senado. Pensa na oposição? Zequinha Sarney é o líder do Partido Verde na Câmara. E promete obstruir a votação do Código Florestal, depois de amanhã. Ver um Sarney na oposição é curioso, mas se quiser obstruir, ele consegue: basta ameaçar os colegas de Câmara com um discurso verde-Sarney. Há gente que diz que Zequinha, uma soma de Adriano com Ronaldo Fenômeno, só que com menos altura, poderia simplesmente ficar na frente da porta, mas este colunista não publica maldades.

... E PANDEIRO

Até aí, tudo normal: o Estádio do Corinthians, orçado inicialmente em R$ 650 milhões, nem começou a ser construído e já está em R$ 1 bilhão. Que fez o Corinthians, buscando viabilizar o empreendimento? Veja o título do jornal: Corinthians procura ex-presidente Lula para diminuir os custos do Itaquerão. Ou seja, Lula conversa com a Construtora Norberto Odebrecht (que ele mesmo sugeriu para que tocasse a obra) e o custo cai. Alguém deve saber como.

NÃO ENTRA, NÃO SAI

Lembra daquelas eufóricas declarações oficiais sobre a manutenção dos preços da gasolina e do diesel, por mais que subisse o custo do petróleo? Bom, a primeira consequência já está na porta: a Petrobras tem de revisar seu Plano de Negócios para o período 2011/2015, cortando US$ 35 bilhões de investimentos. A venda de gasolina e diesel representa 60% do faturamento. Pagando o petróleo mais caro e mantendo o preço fixo (é uma das armas do governo para conter a inflação), a Petrobras tem menos recursos para investir - e isso numa época em que tem de se preparar para o pré-sal, que exige equipamentos caros.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;