Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 1 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Chacina deixa quatro jovens mortos em São Bernardo

André Henriques/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Polícia Civil investiga se execuções, no Jardim Industrial, estão relacionadas a ação policial ou acerto de contas do tráfico


Bianca Barbosa
Especial para o Diário

18/04/2018 | 07:00


 Quatro jovens, com idade entre 22 e 25 anos, foram assassinados na noite de segunda-feira, na primeira chacina do ano no Grande ABC. O crime aconteceu por volta das 23h, em São Bernardo, em frente a uma mercearia situada na Rua Edson de Queiroz, no Jardim Industrial, área carente do município, na divisa com Santo André. A Polícia Civil ainda investiga a motivação das execuções.

Os rapazes conversavam em frente ao estabelecimento onde um deles trabalhava quando foram abordados por pelo menos quatro pessoas em duas motocicletas. Após discussão, os criminosos ordenaram que os quatro jovens se ajoelhassem virados para a porta da mercearia, onde cada um foi alvejado por três a quatro tiros na cabeça. Amigos de infância, Diego da Silva, 22 anos; Rafael André Borges, 25; Edival de Lima Júnior, 23; e Cássio de Almeida Santos, 23, morreram na hora.

A suspeita é a de que o crime tenha sido premeditado, tendo em vista a abordagem dos criminosos. “Não podemos afirmar nada, mas a investigação não vai descartar nenhuma hipótese. Já instauraram o inquérito hoje (ontem). Caberá à investigação esclarecer a autoria”, disse o delegado titular do 1º DP (Centro) de São Bernardo, Aloizio Pires de Araújo. A corporação investiga possível relação do crime com a execução de policial militar, no mês passado, em tentativa de assalto na Via Anchieta, em São Bernardo. A possibilidade de se tratar de acerto de contas com traficantes também está sendo considerada.

Em primeira análise feita pela Polícia Civil, os projéteis utilizados na execução dos jovens são de armas de calibre 380 e ponto 40. O material recolhido na cena do crime foi encaminhado para análise da Polícia Científica. Chamou atenção ainda o fato de nenhum dos rapazes estar com o celular.

Investigadores trabalham, agora, na análise de imagens capturadas por câmeras de segurança do supermercado que fica na esquina da rua, próximo ao local do acontecimento.

Liberados na noite de ontem pelo IML (Instituto Médico-Legal) de São Bernardo, os corpos das quatro vítimas serão enterrados hoje, a partir das 9h, no Cemitério do Curuçá, em Santo André. Abalados, familiares dos rapazes não quiseram falar a respeito do crime.

 

RECEIO

Comerciantes e moradores do Jardim Industrial ainda tentavam entender a motivação da execução na manhã de ontem. A principal dúvida está relacionada à autoria do crime. A comunidade não descarta o envolvimento de policiais na ação, mas também acredita que o grupo pode ter sido confundido com criminosos.

Segundo a dona da mercearia onde os jovens foram executados, os quatro amigos tinham o costume de se reunir na porta do estabelecimento para conversar, após o expediente. Na segunda-feira, tinham motivo extra: Diego completava 22 anos. Pai de duas crianças – com 7 meses e 3 anos –, ele se desdobrava entre dois empregos. Embora estivesse de folga naquele dia, aceitou trabalhar no lugar de colega cuja moto estava quebrada. “O Diego trabalhava o dia inteiro aqui comigo (entregava lanches). Era uma pessoa muito boa. À noite fazia a entrega de pizzas”, revela.

Conforme a polícia, Junior era o único do grupo com passagem policial. Além de envolvimento em roubo de moto, ele chegou a ser detido por porte de drogas.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Chacina deixa quatro jovens mortos em São Bernardo

Polícia Civil investiga se execuções, no Jardim Industrial, estão relacionadas a ação policial ou acerto de contas do tráfico

Bianca Barbosa
Especial para o Diário

18/04/2018 | 07:00


 Quatro jovens, com idade entre 22 e 25 anos, foram assassinados na noite de segunda-feira, na primeira chacina do ano no Grande ABC. O crime aconteceu por volta das 23h, em São Bernardo, em frente a uma mercearia situada na Rua Edson de Queiroz, no Jardim Industrial, área carente do município, na divisa com Santo André. A Polícia Civil ainda investiga a motivação das execuções.

Os rapazes conversavam em frente ao estabelecimento onde um deles trabalhava quando foram abordados por pelo menos quatro pessoas em duas motocicletas. Após discussão, os criminosos ordenaram que os quatro jovens se ajoelhassem virados para a porta da mercearia, onde cada um foi alvejado por três a quatro tiros na cabeça. Amigos de infância, Diego da Silva, 22 anos; Rafael André Borges, 25; Edival de Lima Júnior, 23; e Cássio de Almeida Santos, 23, morreram na hora.

A suspeita é a de que o crime tenha sido premeditado, tendo em vista a abordagem dos criminosos. “Não podemos afirmar nada, mas a investigação não vai descartar nenhuma hipótese. Já instauraram o inquérito hoje (ontem). Caberá à investigação esclarecer a autoria”, disse o delegado titular do 1º DP (Centro) de São Bernardo, Aloizio Pires de Araújo. A corporação investiga possível relação do crime com a execução de policial militar, no mês passado, em tentativa de assalto na Via Anchieta, em São Bernardo. A possibilidade de se tratar de acerto de contas com traficantes também está sendo considerada.

Em primeira análise feita pela Polícia Civil, os projéteis utilizados na execução dos jovens são de armas de calibre 380 e ponto 40. O material recolhido na cena do crime foi encaminhado para análise da Polícia Científica. Chamou atenção ainda o fato de nenhum dos rapazes estar com o celular.

Investigadores trabalham, agora, na análise de imagens capturadas por câmeras de segurança do supermercado que fica na esquina da rua, próximo ao local do acontecimento.

Liberados na noite de ontem pelo IML (Instituto Médico-Legal) de São Bernardo, os corpos das quatro vítimas serão enterrados hoje, a partir das 9h, no Cemitério do Curuçá, em Santo André. Abalados, familiares dos rapazes não quiseram falar a respeito do crime.

 

RECEIO

Comerciantes e moradores do Jardim Industrial ainda tentavam entender a motivação da execução na manhã de ontem. A principal dúvida está relacionada à autoria do crime. A comunidade não descarta o envolvimento de policiais na ação, mas também acredita que o grupo pode ter sido confundido com criminosos.

Segundo a dona da mercearia onde os jovens foram executados, os quatro amigos tinham o costume de se reunir na porta do estabelecimento para conversar, após o expediente. Na segunda-feira, tinham motivo extra: Diego completava 22 anos. Pai de duas crianças – com 7 meses e 3 anos –, ele se desdobrava entre dois empregos. Embora estivesse de folga naquele dia, aceitou trabalhar no lugar de colega cuja moto estava quebrada. “O Diego trabalhava o dia inteiro aqui comigo (entregava lanches). Era uma pessoa muito boa. À noite fazia a entrega de pizzas”, revela.

Conforme a polícia, Junior era o único do grupo com passagem policial. Além de envolvimento em roubo de moto, ele chegou a ser detido por porte de drogas.

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;