Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Polícia procura mais um maníaco em Santo André


Luciana Sereno
Do Diário do Grande ABC

19/06/2005 | 08:48


Depois de prender na última quarta-feira o acusado de estupro e agressão Roberto Nunes Pressoto, 25 anos, reconhecido por quatro vítimas, a Polícia Civil de Santo André procura mais um maníaco. Outras mulheres que sofreram agressão ficaram frente a frente com Pressoto, mas não identificaram nele seu agressor. Elas descrevem um homem mais alto. Enquanto o rapaz preso tem 1,65 m, o novo procurado teria quase 2 m e usaria brinco de argola.

No último dia 11, o Diário publicou reportagem em que uma jovem de 20 anos contou ter escapado de um abuso sexual por ter agarrado o brinco do agressor. Segundo ela, o ataque teria ocorrido por volta das 6h30 do dia 4, em uma travessa da rua Indonésia, no Parque Novo Oratório. O homem a teria segurado pelos braços e prensado seu corpo de frente contra a parede enquanto mordia seu pescoço e dizia palavras obscenas. Ela não apanhou, mas conta que o homem percorreu todo o seu corpo com as mãos.

Outra história parecida chegou ao conhecimento da polícia na última semana. A vítima seria uma empregada doméstica e o ataque teria ocorrido na mesma rua. Ao ver a foto de Pressoto nos jornais, ambas teriam dito não se tratar do mesmo homem. Uma estudante que mora no bairro seria a terceira vítima do novo maníaco.

Segundo policiais do 5º DP, o procurado é pardo, forte, teria mais de 1,90 m. O cabelo seria bem curto, quase raspado. Ele não bate nas vítimas. Abusa delas com as mãos e fala obscenidades. Nenhuma das vítimas havia registrado boletim de ocorrência sobre o abuso, até a prisão de Pressoto.

Pressoto – O suspeito preso na Cadeia Pública de Santo André nega as acusações, apesar dos reconhecimentos. A polícia também se apóia nas peças apreendidas no posto abandonado onde o acusado morava (bolsas femininas e calcinhas) para apontá-lo como o maníaco. Pressoto levava a calcinha de suas vítimas. A polícia aguarda o resultado do DNA do preso para formalizar a acusação.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;