Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Júri absolve delegado acusado de envolvimento na morte de jesuíta


Da Agência Brasil

29/10/2006 | 11:47


Depois de quase cinco dias de julgamento, o júri popular em Mato Grosso absolveu, na madrugada deste domingo, o ex-delegado de polícia Ronaldo Antônio Osmar, acusado de responsabilidade no assassinato do missionário jesuíta Vicente Cañas. O crime ocorreu há 19 anos na terra indígena dos Enawenê-Nawê, e até hoje não havia sido julgado.

Vicente foi morto a facadas por defender a demarcação da terra do povo Enawenê-Nawê, e seu corpo foi encontrado 40 dias depois do crime na porta do barraco onde morava. A sentença do júri confirmou que o missionário jesuíta foi mesmo assassinado, mas absolveu Ronaldo de responsabilidade por não conseguir estabelecer a ligação entre ele e o crime. Ronaldo Osmar era delegado de polícia de Juína, município próximo à terra indígena, na época do crime.

Dos seis acusados de participação na morte de Cañas, dois já morreram, dois atingiram 70 anos, o que faz com que a acusação contra eles prescreva, Ronaldo foi absolvido e o último acusado, o pistoleiro José Vicente da Silva, vai enfrentar o tribunal na próxima semana. O júri popular começa no dia 6 de novembro na Justiça Federal em Mato Grosso.


Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;