Fechar
Publicidade

Sábado, 27 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Sem acerto em maio, GP do Brasil diz que F-1 adiou negociação sobre renovação

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


03/06/2020 | 07:00


Ainda sem constar no calendário atualizado de 2020 da Fórmula 1, o GP do Brasil segue apostando na renovação do contrato para continuar recebendo a corrida da principal categoria do automobilismo mundial de 2021 em diante. A organização da prova brasileira havia afirmado ao Estadão que a negociação estaria selada até o fim de maio, o que não aconteceu.

Em contato com a reportagem, o promotor do GP apontou a remontagem do calendário desta temporada como obstáculo na negociação para o futuro. "As conversas continuam e o atraso ocorreu por parte da FOM, que ficou concentrada na solução da fase europeia do campeonato de F-1 deste ano", disse Tamas Rohonyi.

O promotor da prova tenta manter a corrida brasileira em São Paulo, no Autódromo de Interlagos, enquanto sofre a concorrência do Rio de Janeiro. A cidade quer retomar a categoria no futuro circuito a ser erguido no bairro de Deodoro. O projeto carioca é liderado pelo empresário JR Pereira, que também diz estar em processo avançado de negociação com a cúpula da F-1.

No fim do ano passado o Estadão revelou que São Paulo pretende pagar como taxa anual de promoção à categoria cerca de US$ 20 milhões (cerca de R$ 106 milhões na cotação atual). Os recursos viriam de parceiros comerciais. A organização da F-1 cobra um valor variável para todos os países que sediam suas corridas, porém desde 2017 o Brasil não paga a taxa.

Na terça-feira, a direção da F-1 anunciou parte do calendário atualizado da temporada 2020, prejudicada pela pandemia do novo coronavírus. Após cancelar ou adiar 10 das 22 corridas previstas para o ano, a categoria confirmou as primeiras oito provas do campeonato, todas na Europa, entre os meses de julho e setembro, passando por Áustria, Hungria, Inglaterra, Espanha, Bélgica e Itália. Todas com portões fechados, sem a presença de torcedores.

A expectativa é de que a Fórmula 1 siga com corridas até o mês de dezembro. O período, ainda sem atividades confirmadas, vai servir para provas na Ásia e nas Américas, incluindo o GP do Brasil, em São Paulo.

Os ajustes para definir o complemento da temporada 2020 podem afetar novamente as negociações de São Paulo para manter o GP do Brasil a partir de 2021 - o contrato atual se encerra no fim do ano.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;