Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Alckmin: Estado não é responsável por morte de bebês


Do Diário OnLine

20/10/2003 | 15:25


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou que o Estado não é responsável pela morte de nove bebês, na semana passada, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neo-natal do Hospital Geral de Itaquaquecetuba, na região metropolitana da capital. Segundo ele, o local é gerenciado pelas irmãs marcelinas, responsáveis pela organização social Santa Marcelina.

Alckmin ressaltou que a Vigilância Sanitária já interditou a UTI do hospital, que é do Estado, e está realizando os exames necessários para descobrir as causas das mortes. Os primeiros laudos, realizados pelo Instituto Adolfo Lutz, devem ficar prontos nesta terça-feira.

Ele também reclamou da diminuição do repasse de verbas para o Sistema Único de Saúde em SP. Segundo o governador, o governo federal tirou R$ 3,5 bilhões do setor para destinar ao Programa Fome Zero.

Investigação- A Delegacia de Itaquaquecetuba abriu inquérito nesta segunda-feira para determinar os responsáveis pelas mortes. O delegado Mauro Ricardo informou que vai ouvir a direção do hospital na terça.

Ricardo também espera o depoimento dos pais dos bebês. Para ele, o caso pode se caracterizar como um homicídio culposo (sem intenção de matar) coletivo.

Mortes- As mortes começaram no dia 9 deste mês. Três bebês faleceram neste dia. A situação parecia normalizada, mas no dia 14 outras três crianças morreram na UTI.

Preocupados, os responsáveis pelo hospital levaram os três bebês que ainda estavam na UTI para outra ala, mas dois deles faleceram no dia 15 e outro no dia 16.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alckmin: Estado não é responsável por morte de bebês

Do Diário OnLine

20/10/2003 | 15:25


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou que o Estado não é responsável pela morte de nove bebês, na semana passada, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neo-natal do Hospital Geral de Itaquaquecetuba, na região metropolitana da capital. Segundo ele, o local é gerenciado pelas irmãs marcelinas, responsáveis pela organização social Santa Marcelina.

Alckmin ressaltou que a Vigilância Sanitária já interditou a UTI do hospital, que é do Estado, e está realizando os exames necessários para descobrir as causas das mortes. Os primeiros laudos, realizados pelo Instituto Adolfo Lutz, devem ficar prontos nesta terça-feira.

Ele também reclamou da diminuição do repasse de verbas para o Sistema Único de Saúde em SP. Segundo o governador, o governo federal tirou R$ 3,5 bilhões do setor para destinar ao Programa Fome Zero.

Investigação- A Delegacia de Itaquaquecetuba abriu inquérito nesta segunda-feira para determinar os responsáveis pelas mortes. O delegado Mauro Ricardo informou que vai ouvir a direção do hospital na terça.

Ricardo também espera o depoimento dos pais dos bebês. Para ele, o caso pode se caracterizar como um homicídio culposo (sem intenção de matar) coletivo.

Mortes- As mortes começaram no dia 9 deste mês. Três bebês faleceram neste dia. A situação parecia normalizada, mas no dia 14 outras três crianças morreram na UTI.

Preocupados, os responsáveis pelo hospital levaram os três bebês que ainda estavam na UTI para outra ala, mas dois deles faleceram no dia 15 e outro no dia 16.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;