Fechar
Publicidade

Sábado, 22 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Máquinas importadas têm preços 10% mais altos



22/06/2008 | 07:12


As máquinas e equipamentos importados em 2008 estão com preços médios 10% superiores aos registrados no ano passado. O reajuste de preço do minério de ferro, a demanda mundial aquecida por maquinários e o dólar desvalorizado estão entre os fatores de pressão para alta dos preços no exterior.

No Brasil, as importações cresceram 47,6% nos cinco primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período de 2007. O percentual mostra uma tendência de alta no ritmo de crescimento das compras no exterior, uma vez que no ano passado o aumento foi de 32,7%, segundo a Secex (Secretaria de Comércio Exterior).

O presidente da Abimei (Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos Indústrias), Thomas Lee, diz que o aumento do preço do minério de ferro no exterior, principal matéria-prima para a fabricação de máquinas, já está sendo repassado. Ele observa um reajuste médio de 10% a 15% nas encomendas de máquinas e equipamentos importados nos primeiros meses do ano, principalmente dos países asiáticos. Até o final do segundo trimestre, Lee prevê novo reajuste de, pelo menos, mais 5%.

Além da matéria-prima mais cara, outro fator indutor de alta dos preços das máquinas é a desvalorização do dólar, que facilita a importação dos bens pelo Brasil e também exerce pressão sobre os custos em razão da valorização das moedas dos países exportadores.

"Estamos sentido na carne a elevação dos preços lá fora, principalmente pela valorização do yuan (moeda da China) e do dólar taiwanês", diz Paulo Lerner, diretor da Bener, empresa comercial importadora e exportadora do segmento de usinagem.

Segundo Lerner, os preços das máquinas importadas da China e de Taiwan estão chegando ao Brasil com altas médias de 10% a 15%. "Temos estoques com o preço antigo, mas a reposição já está vindo com preço novo", disse.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Máquinas importadas têm preços 10% mais altos


22/06/2008 | 07:12


As máquinas e equipamentos importados em 2008 estão com preços médios 10% superiores aos registrados no ano passado. O reajuste de preço do minério de ferro, a demanda mundial aquecida por maquinários e o dólar desvalorizado estão entre os fatores de pressão para alta dos preços no exterior.

No Brasil, as importações cresceram 47,6% nos cinco primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período de 2007. O percentual mostra uma tendência de alta no ritmo de crescimento das compras no exterior, uma vez que no ano passado o aumento foi de 32,7%, segundo a Secex (Secretaria de Comércio Exterior).

O presidente da Abimei (Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos Indústrias), Thomas Lee, diz que o aumento do preço do minério de ferro no exterior, principal matéria-prima para a fabricação de máquinas, já está sendo repassado. Ele observa um reajuste médio de 10% a 15% nas encomendas de máquinas e equipamentos importados nos primeiros meses do ano, principalmente dos países asiáticos. Até o final do segundo trimestre, Lee prevê novo reajuste de, pelo menos, mais 5%.

Além da matéria-prima mais cara, outro fator indutor de alta dos preços das máquinas é a desvalorização do dólar, que facilita a importação dos bens pelo Brasil e também exerce pressão sobre os custos em razão da valorização das moedas dos países exportadores.

"Estamos sentido na carne a elevação dos preços lá fora, principalmente pela valorização do yuan (moeda da China) e do dólar taiwanês", diz Paulo Lerner, diretor da Bener, empresa comercial importadora e exportadora do segmento de usinagem.

Segundo Lerner, os preços das máquinas importadas da China e de Taiwan estão chegando ao Brasil com altas médias de 10% a 15%. "Temos estoques com o preço antigo, mas a reposição já está vindo com preço novo", disse.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;