Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 31 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Protestos de operários deixam pelo menos 130 feridos na Índia


Da AFP

26/07/2005 | 16:46


Os mais violentos confrontos entre operários e policiais nos últimos anos na Índia, que começaram na segunda-feira e continuaram na manhã desta terça-feira, causaram pelo menos 130 feridos, segundo as autoridades. Fontes hospitalares e testemunhas, no entanto, afirmam que o número pode ser maior.

Os conflitos foram travados por policiais e funcionários da Honda Motorcycles and Scooters India Ltd, filial da companhia japonesa Honda, perto da fábrica de Gurgaon, sede de muitas empresas indianas e estrangeiras, a 22 km ao sul de Nova Délhi.

A confusão começou na noite de segunda-feira em meio a um protesto de centenas de operários, ignorando a proibição da polícia, para expressar solidariedade com 30 colegas demitidos. De acordo com a imprensa, os policiais tentaram bloquear os manifestantes que reagiram e atacaram as forças da ordem, agredindo um oficial.

Reforços foram imediatamente chamados e a polícia de choque entrou em cena com fuzis automáticos e cassetetes, espancando centenas de operários e batendo inclusive em pessoas desfalecidas, segundo imagens da TV. "A multidão avançava destruindo carros, lojas e propriedades públicas. Eles carregavam barras de ferro, troncos, machados. Não se pode dizer que foi uma ação unilateral. Algo muito sério poderia ter acontecido", declarou o prefeito adjunto de Gurgaon, Sudhir Rajpal.

De acordo com Rajpal, 130 pessoas foram feridas na segunda-feira. Porém, a imprensa evocou várias centenas de feridos. Segundo a agência PTI (Press Trust of India), 550 pessoas chegaram a procurar os hospitais na noite passada. Entre 300 e 400 pessoas foram detidas antes de serem libertadas mediante pagamento de fiança.

Os confrontos recomeçaram nesta terça-feira, provocados desta vez por mulheres que procuravam seus familiares em um hospital e que apedrejaram policiais e o prefeito adjunto. Atos de violência também foram registrados perto do local dos confrontos da véspera. Policiais agrediram a esmo moradores, trabalhadores e motoristas, segundo testemunhas.

Policiais dispersaram os manifestantes com granadas de gás lacrimogêneo e canhões de água. Imagens de TV mostravam pessoas fugindo, algumas ensangüentadas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Protestos de operários deixam pelo menos 130 feridos na Índia

Da AFP

26/07/2005 | 16:46


Os mais violentos confrontos entre operários e policiais nos últimos anos na Índia, que começaram na segunda-feira e continuaram na manhã desta terça-feira, causaram pelo menos 130 feridos, segundo as autoridades. Fontes hospitalares e testemunhas, no entanto, afirmam que o número pode ser maior.

Os conflitos foram travados por policiais e funcionários da Honda Motorcycles and Scooters India Ltd, filial da companhia japonesa Honda, perto da fábrica de Gurgaon, sede de muitas empresas indianas e estrangeiras, a 22 km ao sul de Nova Délhi.

A confusão começou na noite de segunda-feira em meio a um protesto de centenas de operários, ignorando a proibição da polícia, para expressar solidariedade com 30 colegas demitidos. De acordo com a imprensa, os policiais tentaram bloquear os manifestantes que reagiram e atacaram as forças da ordem, agredindo um oficial.

Reforços foram imediatamente chamados e a polícia de choque entrou em cena com fuzis automáticos e cassetetes, espancando centenas de operários e batendo inclusive em pessoas desfalecidas, segundo imagens da TV. "A multidão avançava destruindo carros, lojas e propriedades públicas. Eles carregavam barras de ferro, troncos, machados. Não se pode dizer que foi uma ação unilateral. Algo muito sério poderia ter acontecido", declarou o prefeito adjunto de Gurgaon, Sudhir Rajpal.

De acordo com Rajpal, 130 pessoas foram feridas na segunda-feira. Porém, a imprensa evocou várias centenas de feridos. Segundo a agência PTI (Press Trust of India), 550 pessoas chegaram a procurar os hospitais na noite passada. Entre 300 e 400 pessoas foram detidas antes de serem libertadas mediante pagamento de fiança.

Os confrontos recomeçaram nesta terça-feira, provocados desta vez por mulheres que procuravam seus familiares em um hospital e que apedrejaram policiais e o prefeito adjunto. Atos de violência também foram registrados perto do local dos confrontos da véspera. Policiais agrediram a esmo moradores, trabalhadores e motoristas, segundo testemunhas.

Policiais dispersaram os manifestantes com granadas de gás lacrimogêneo e canhões de água. Imagens de TV mostravam pessoas fugindo, algumas ensangüentadas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;